Tolerância religiosa


Lê-se no artigo 18 da Declaração Universal de Direitos Humanos:

“Toda pessoa tem direito à liberdade de pensamento, de consciência e de religião: este direito implica a liberdade de mudar de religião ou de convicção, assim como a liberdade de manifestar a religião, sozinho ou em comum, tanto em público como em privado, pelo ensino, pela prática, pelo culto e pelos ritos.”

        O respeito à pluralidade de convicções religiosas é comemorado no Brasil anualmente no 3º domingo de janeiro, no Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa. Uma data para se unir esforços contra a discriminação e em favor da diversidade. Uma das principais ferramentas contra a intolerância é a informação, conhecer é a melhor maneira de respeitar. Então vamos lá: seguem 5 tours virtuais por igrejas e templos de diferentes religiões. Visite, explore, conheça e acima de tudo RESPEITE.

Ilê Oba L'Oke

- Ilê Oba L'Oke (terreiro de Candomblé, em Lauro de Farias-BA) A palavra “candomblé” significa “dança” ou “dança com atabaques” e cultua os orixás, normalmente reverenciados por meio de danças, cantos e oferendas. Como prática religiosa, ganhou contornos nítidos na Bahia em meados do século XVIII e definiu-se durante o século XX. Atualmente, existem milhões de praticantes em todo Brasil, podendo chegar a mais de 1,5% da população nacional. Os rituais de Candomblé são, via de regra, realizados por meio de cânticos, danças, batidas de tambores, oferendas de vegetais, minerais, objetos e, às vezes, sacrifício de alguns animais.

Solo Sagrado de Guarapiranga

- Solo Sagrado de Guarapiranga (Igreja Messiânica Mundial, em São Paulo) - Foi fundada no Japão em 1935 por Mokiti Okada, chamado pelos messiânicos Meishu-Sama, que, em português, significa “Senhor da Luz”. No Brasil, a Igreja foi introduzida em 1955 e suas unidades são denominadas Johrei Centers. O Johrei é o principal instrumento de difusão religiosa e atua em áreas distintas como arte, educação, cultura e meio ambiente. O Solo Sagrado foi inaugurado pela Igreja Messiânica Mundial do Brasil, em 1995, às margens da represa de Guarapiranga, aliando a beleza natural à beleza das construções e jardins criados pela inspiração humana.

Templo Budista

- Borobudur (Templo Budista, na Indonésia) - fica na Ilha de Java e é um dos mais importantes templos budistas do mundo. De tão importante, está na lista de Patrimônio Mundial da UNESCO. São nove plataformas sobrepostas, algumas retangulares e outras circulares, com uma abóbada central. O Budismo é uma doutrina filosófica e espiritual, surgida na Índia, nos séc. VI a.C. que tem como preceito a busca pelo fim do sofrimento humano para assim alcançar a iluminação. Seus princípios baseiam-se nos ensinamentos de Siddhārtha Gautama, conhecido como Buda, que significa "Desperto" ou "Iluminado" .

Igreja da Paz - Joinville

- Igreja da Paz (Templo Protestante Luterano, em Joinville) - Luteranismo é a doutrina protestante, vertente do Cristianismo pregado pela Igreja Católica, defendida por Martinho Lutero. Passados 500 anos da Reforma Protestante, as diferenças entre as duas Igrejas persistem, passando pelo celibato, a adoração de santos e a eucaristia. O culto aos santos, por exemplo, é categoricamente rejeitado pela Igreja Protestante, por não condizer com os escritos bíblicos. Na Alemanha, onde nasceu a Reforma da Igreja, católicos e protestantes ainda viviam em profunda hostilidade até algumas décadas atrás.

Igreja Cristo Vive

- Igreja Cristo Vive (Igreja Evangélica, no Rio de Janeiro) - além da igreja luterana, há outras ramificações do protestantismo denominadas como igrejas evangélicas (Batista, Universal, Congregação Cristã, Igreja da Graça, Deus é Amos, etc). Os evangélicos seguem os princípios das quatro crenças cardeais, que são: - A Bíblia contém a verdade absoluta; - A salvação só vem pela crença em Jesus Cristo; - Crença em nascer de novo, ou seja, que ao se converter, é como se o crente ganhasse uma nova vida; - A importância de espalhar a palavra de Deus por meio da evangelização.

Vaticano

- Basílica de São Pedro (templo católico, no Vaticano) - localizada na Praça de São Pedro, a estrutura do mais importante templo católico do mundo foi erguido com contribuições de célebres artistas como Michelangelo, Rafael, Bernini e Bramante. Sob o altar-mor da basílica estaria enterrado Pedro, um dos doze apóstolos de Jesus e considerado o primeiro papa. As principais crenças do catolicismo estão embasadas na crença em um único Deus verdadeiro que integra a Santíssima Trindade, que vincula a figura divina ao seu filho Jesus e ao Espírito Santo. Jogo católico para as crianças: vista o Papa.

Santo Sepúlcro

- Basílica do Santo Sepulcro (Templo Cristão, em Jerusalém) - é o local máximo de adoração do cristianismo no mundo. Na entrada da igreja está a sagrada Pedra da Unção, que a tradição diz ser o local onde o corpo de Jesus foi preparado para o sepultamento por José de Arimateia e Nicodemos. O local é um centro espiritual para todas as dissidências do Cristianismo, que realizam diariamente celebrações ecumênicas, todas em honra do local sagrado que visitam. O Cristianismo é centrado na vida e nos ensinamentos de Jesus de Nazaré, tais como são apresentados no Novo Testamento. A fé cristã acredita essencialmente em Jesus como o Cristo, Filho de Deus, Salvador e Senhor.

Templo da Boa Vontade

- Templo da Boa Vontade (Monumento Ecumênico, em Brasília) - O Templo da Boa Vontade congrega todas as pessoas, independentemente de sua crença ou descrença. Vai além do relacionamento inter-religioso, pois acredita no entrelaçamento fraterno entre todos os segmentos do saber humano e espiritual: ciência, religião, filosofia, economia, política, esporte e assim sucessivamente. Em suma, é “a união de todos pelo bem de todos”, como afirma o construtor desse espaço, Paiva Netto.

Que a paz esteja com todos nós.

 

IFriend - Inhotim
      
    De férias e em casa foi conhecer os tours virtuais da The IFriend, uma startup brasileira que iniciou seus trabalhos em 2018 com o objetivo de reunir guias locais de cada destino com os visitantes que querem aproveitar o máximo de cada viagem.
      No site da IFriend estão cadastrados brasileiros moradores do mundo inteiro para que em qualquer lugar para onde um de nós decida viajar encontre um conterrâneo que fale nossa língua e nos apresente à cidade como um morador e não apenas como um turista. Na descrição da IFriend, o que eles oferecem são 'experiências' e não 'passeios'. Para se cadastrar como prestador de serviço nem é preciso ser guia de turismo profissional, pode ser um morador decidido a dedicar seu tempo disponível a essa atividade.


IFriend - Bahia

        O site é um catálogo de guias de turismo com informações básicas sobre cada um e o valor por hora de tour, achei esse ponto muito interessante. Há duas categorias que classificam os prestadores de serviço: "Guias Profissionais" e "Nossos Guias", onde você pode encontrar um chef de cozinha, um fotógrafo, um DJ, um gestor, um recepcionista... o importante é seja morador e bom conhecedor dos pontos de interesse turístico da cidade. Quem decide se quer um guia profissional ou não é você.
        Pois bem, e como uma startup de turismo pode sobreviver em épocas de pandemia e um ano inteiro de "baixa temporada"? Com um sócio de peso, no caso Álvaro Garnero - apresentador do programa de viagens 50 por 1, da Record TV - e muita criatividade.

IFriend - Campos do Jordão
       Enquanto as viagens estão limitadas pelos cuidados contra a pandemia de coronavírus, os guias investem em divulgação tanto do destino como de seus próprios serviços por meio de tours virtuais oferecidos na plataforma Sympla e transmitidos pelo canal The IFriend no Youtube. Eu assisti a algumas dessas lives que duram em torno de uma hora e gostei bastante, embora a qualidade do tour virtual dependa mais das características do(a) guia que o conduz que propriamente do destino em si. Além da preparação do que será mostrado, prendem a atenção de quem assiste a desenvoltura, a segurança e a simpatia de quem apresenta o destino. Alguns guias fazem isso melhor que outros.
        Após o tour virtual ao vivo, os vídeos ficam todos disponíveis no canal, a diferença entre assistir no momento ou depois é a interação possível durante a live em que os comentários e perguntas do chat são respondidos pelo apresentador do tour. A playlist já tem, entre outros destinos, Capadócia, Israel, Embu das Artes, Campo Grande, Curitiba, Florença...

IFriend - Gramado

        Para testar os tours virtuais comecei por cidades que conheço (Campos do Jordão, Gramado, Salvador), pois queria ver se as indicações de atrações não são 'comerciais' demais. Não são, felizmente. O intuito é mesmo apresentar as atrações da cidade numa mistura de pontos tradicionais com locais mais secretos, não tão conhecidos pelos turistas, e ainda inserir nesse tour um pouco de história e de contexto que transforme o passeio em 'experiência'.
            Falta experimentar pessoalmente os serviços, mas por enquanto o que vi nos tours virtuais agradou bastante, principalmente pela possibilidade de avaliar tanto o roteiro quanto o guia antecipadamente. Como minhas férias serão em casa, já tenho agendados mais alguns tours: Santos em São Paulo, Curitiba, Arte Urbana de Belo Horizonte, Petrópolis, Cunha e Dubai (uma listinha bem eclética, não é?).
           Para ver os tours disponíveis e conhecer mais sobre o destino de sua próxima viagem, atente-se aos links abaixo:



Museu de Arte de Rua de São Paulo

Quando se fala em arte urbana, São Paulo sempre está entre as menções de referência, a iniciar-se pelo coração da arte urbana paulistana no Beco do Batman, Vila Madalena. Democrática e inclusiva, a arte a céu aberto não exige ingresso e atrai a todos que queiram ir para a rua admirá-la... mas não na quarentena.

             Contudo, é possível respeitar a orientação de ficar em casa e ainda conhecer o que foi produzido pelos artistas no ano de 2020 (não, o mundo não parou!). Para ver o que há de novo no Beco do Batman, por exemplo, que está em constante modificação, assista ao tour virtual promovido pela Secretaria de Turismo do Estado de São Paulo que contextualiza artistas e suas obras em diferentes estilos (dos figurativos aos abstratos) e ainda vai explicando as nuances de cada técnica artística utilizada no beco: spray, grapixo, lambe-lambe, stencil, borroco... Para saber o que caracteriza cada uma delas, assista à live de 45min e, quando for possível, visite pessoalmente o Beco, você estará preparado para apreciar e aproveitar ao máximo o passeio.

Museu de Arte de Rua - MAR

Para quem ama São Paulo e sua arte de rua, esse tour de realidade virtual promovido pelo MAR (Museu de Arte de Rua) é para passar horas passeando por 110km da cidade e localizando dezenas de graffitis produzidos em 2020 por mais de 40 artistas muralistas.  A temática das obras remete à pandemia de COVID-2019 com intervenções em dois eixos: homenagens aos profissionais da linha de frente e obras que promovam esperança e alento para suportarmos esse período.

A exposição MAR 360º promove uma experiência imersiva a partir de um mapa ilustrado da cidade de São Paulo que localiza cada uma das obras. Clique sobre o prédio que quer ver e a imagem se abrirá em 360º com ícone de informações sobre a obra. Você também pode localizar a obra que quer conhecer clicando na imagem com o nome do artista na barra lateral da tela.

Mapa MAR 360º

Não mais na rua, mas divulgados nas redes sociais, os cartuns (charges) produzidos sobre a pandemia de coronavírus no mundo todo foram reunidos pela Associação dos Cartunistas do Brasil na exposição Vírus versos nós que tem como intuito mostrar que por traz do humor dessas imagens há ideias que levam à reflexão. O acervo de cartuns pode ser apreciado no blog oficial do troféu HQMIX que tem outras exposições temáticas bem interessantes: BoechatBrumadinhoGugu LiberatoCarnaval.
Autor: André Camargo
Autoria: Angel Boligan
Organizando as informações:

Para conhecer mais sobre a arte de rua:


 

Domingou no Ibira

        São Paulo está completando 467 anos em 2021 e para comemorar segue a crônica que Mário Viana escreveu sobre um dos maiores símbolos da paisagem paulistana: o Parque do Ibirapuera. Depois da crônica, assista ao tour virtual produzido pela Secretaria de Turismo do estado de São Paulo para quando puder visitar o parque não perder nenhum detalhe.

Domingou no Ibira
Mário Viana

        Começo pedindo desculpas aos fãs da Paulista Aberta – eu, entre eles -, mas a verdadeira cara de São Paulo se mostra todo mundo no parque do Ibirapuera. Vem gente de todo canto, figuras de todo tipo com a certeza de que serão bem recebidas nas alamedas lotadas de bikes, cães, atletas e preguiçosos. 

         Não há modelitos a seguir, o à-vontade impera. Lá estamos entre feios e bonitos, gordos e magros. Casais gays e crianças barulhentas, gringos e nativos. Tem de tudo, como sempre acontece em São Paulo. 

            Inaugurado em 1954, os 158 hectares do Parque do Ibirapuera parecem insuficientes para receber todo mundo que cruza seus portões aos domingos. Só em 2017, foram 14 milhões de visitantes, um número que seguramente nem passava pela cabeça do então prefeito da cidade, José Pires do Rio, quando, nos anos 1920, ele chegou a ventilar a ideia de criar um espaço nos moldes dos parques europeus na área antigamente ocupada por uma tribo indígena. A ideia afundou nas partes alagadiças da região. 

            Foi só em 1927 que a coisa começou a pegar. Um funcionário da prefeitura chamado Manequinho Lopes – o que dá nome ao viveiro – passou a plantar eucaliptos na região para ‘chupar’, a água. Resumindo a ópera: a ideia ressurgiu e, quando a cidade comemorava seu quarto centenário, foi inaugurado o parque que conhecemos hoje. 

        Tenho certeza que nenhum dos barulhentos skatistas que se exibem em manobras, às vezes geniais, outras vezes amadoras, sabe dessa história. Os casais de namorados, que embaralham pernas, braços e bocas nos gramados, também não pensam nisso. O que importa para eles é ter um espaço amplo e que possa ser chamado de seu, mesmo que por alguns breves rodopios e amassos. 

         A cidade respira e desfila no parque. Há quem vá para visitar os ótimos museus – o de Arte Moderna e ao Afro Brasil sempre com mostras atraentes, e o de Arte Contemporânea, que ocupa o antigo prédio do Detran, já fora do Ibira. Aliás, é do terraço dele que se tem uma vista linda do parque, vale a visita. Outros vão paquerar, fazer piquenique ou só bater perna. 

         Entre cerejeiras em flor e sabiás saltitantes, tudo é bacana e, ao mesmo tempo, caótico no domingão do Ibira. Outro dia - um domingo, claro -, encontrei a amiga Carla Jimenez, sentada, extasiada diante do algo. “Como é bom ficar contemplando, disse ela, que tinha ido a pé da Pompeia até lá. “A gente, às vezes, esquece de curtir a cidade”. 

        É claro que o domingo no parque não é uma amostra do paraíso. Se fosse, nem seria São Paulo. Tem banheiro cheio, faltam opções de lanche, alguns ciclistas acreditam que estão disputando medalha de ouro numa prova olímpica e de vez em quando dá trabalho convencer o dono daquele bloodhound de que seu pet é enorme e não merecia ser batizado de Pipoca. 

      O encontro e a convivência de universos tão desparatados é que dão o tom ao domingão. É a “cota de natureza” que saboreamos antes de voltar à rotina dos ônibus lotados, trânsito lento e contas a pagar. O sabia que saltitava poucos parágrafos acima continuará cantando em nossa memória por mais alguns dias, até que chegue outro domingo.

Texto publicado originalmente em: 


        Assista ao tour virtual pelo Parque do Ibirapuera apresentado pela guia de turismo Érika Shemann e divulgado no canal do Youtube da Secretaria de Turismo do Estado de São Paulo:

 
logo mala
 Leia também:


         O momento mais lindo da vida é o nascimento. Eu não tenho lembranças registradas em foto e vídeo do nascimento de minhas filhas gêmeas porque foram prematuras (28 semanas de gestação) e esse tipo de registro não é permitido em partos de risco, pelo menos não era há 22 anos quando nasceram minhas 'meninas'. Mesmo sem os registros, o momento foi inesquecível. Comecei o dia de meu aniversário na sala de cirurgia e partir dessa data deixei de ser identificada pelo nome e passei a ser a "mãe das gêmeas", deixei de comemorar meu aniversário para preparar as festinhas delas... e esses passaram a ser os momentos mais felizes de minha vida.
      Outras mães conseguem a proeza de terem registros fotográficos lindos e emocionantes mesmo em uma situação de tanta dor, nervosismo, ansiedade... A exposição virtual "Nascer -  a luz do parto", da fotógrafa Mirella Rabaioli, é um presente sensível e emotivo para todas as mães que se verão representadas nas fotos, vídeos e relatos de quatro delas que optaram pelo parto domiciliar. Em comum, as histórias têm o fato dessas quatros mulheres preferirem um parto humanizado com o acompanhamento seguro de doulas e de enfermeiras obstétricas (EO), porém, cada nascimento é único, as emoções são diferentes e nem sempre tudo acontece como o planejado. Também esses momentos inesperados estão narrados pelas mães que aceitaram compartilhar nessa exposição os registros feitos por Mirella, que é especialista em fotos de família e de partos domiciliares.
     Intencionalmente a postagem aqui no blog tem apenas uma imagem da exposição, para não estragar a emoção das narrativas fotográficas. Ao final de cada uma delas está a opção de acesso para o relato completo da mãe, que vale muito a pena ser lido, assim como na seção "Reencontro com o parir" estão os depoimentos em vídeo da própria fotógrafa, de uma doula e de uma EO. 
        Ao acessar a exposição "Nascer -  a luz do parto" surge o aviso de imagens sensíveis e desaconselháveis para menores de 18 anos. Com exceção dessa advertência, é uma exposição repleta de sensibilidade que certamente vai agradar às mulheres que são mães, planejam ser mães, preparam-se para ser mães, têm mães... ou seja, a todas. Imperdível.

Outras exposições virtuais imperdíveis! #fiqueemcasa



A TV aberta no Brasil completou 70 anos em 2020 e para comemorar sete décadas de sucessos a ABERT (Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão) lançou uma exposição incrível com resgate histórico dos principais eventos do período. 

O Memorial da Televisão Brasileira  é uma retrospectiva dividida por décadas. A exposição se distribui por 7 salas virtuais de cenários interativos com os principais ícones televisivos, informações escritas, fotos e vídeos curtos (até 3min) em forma de  pout pourri sobre a programação. 

TV brasileira na década de 60.

Os ícones indicativos de fotos ou vídeos ficam próximos a imagens que representam segmentos da programação que sempre estiveram presentes desde os primeiros tempos até hoje: novelas, programas de auditório, esportes, telejornais, humorísticos, infantis, histórias seriadas, variedades, programas femininos... Veja primeiro as fotos, pois possuem legendas, e depois veja o vídeo com trechos de cada programa. Aliás, antes de ler as legendas tente identificar alguns atores e atrizes nas fotos, muitos deles estão atuando até hoje e você certamente conhece, já se 'reconhece' em fotos antigas é outra história. No material audiovisual estão vinhetas, aberturas, logotipos... tudo para ativar nossa memória e nos deixar saudosistas.

TV brasileira na década de 70.

As duas primeiras salas - décadas de 50 e 60 -  são em branco e preto, assim como eram as transmissões televisivas. A partir da década de 70 os cenários das salas ficam coloridos, indicando a chegada da TV em cores no Brasil em 1972.

Em cada uma das salas, as telenovelas ganham destaque em painéis que trazem os nomes daquelas que ficaram mais populares. Ao ver as fotos e os vídeos preste atenção nas diferenças entre as versões das novelas que ganharam remakes em diferentes épocas: Ti-Ti-Ti (1985, 2010), Cabocla (1979, 2004), o Astro (1977, 2011), Éramos Seis (1958, 1967, 1977, 1994, 2019), Mulheres de Areia (1973, 1993) e tantas outras que comprovam que nossos autores sabem fazer novela boa há muito tempo.

TV brasileira na década de 80.

O Brasil foi o primeiro país da América do Sul e um dos primeiros do mundo a ter televisão. Essa e muitas outras curiosidades estão disponíveis no texto de introdução de cada sala, disponível em português, inglês e espanhol. Está disponível até mesmo um trecho da primeira transmissão feita no Brasil, a inauguração da TV Tupi.

As imagens mais antigas, além de arquivos das próprias emissoras de TV, são de acervos pessoais de atrizes como Eva Wilma e Laura Cardoso, além de apresentadores como Sílvio Luiz e o radialista Enéas Machado de Assis. O trabalho de resgate e reconstrução da história foi mesmo primoroso, um trabalho que merece aplausos.

TV brasileira na década de 90.

Será que você reconhece o cenário da sala da década de 90? Ela recria a sala futurística da abertura da novela Explode Coração (1995), criada por Hans Donner que você pode ver completa clicando aqui (preste atenção em Ana Furtado dançando). É o período de chegada da internet no Brasil e com ela os recursos videográficos foram se modernizando e tornando a TV ainda mais fascinante.

Mais novidades nos anos 2000, após meio século a TV chega na era digital e amplia seus recursos de interatividade com o telespectador tornando-se parte da programação, por exemplo, em reality shows como o Big Brother Brasil que ganhou na exposição uma retrospectiva dos vencedores das 5 primeiras temporadas. Você se lembra quem foram?

TV brasileira na década de 2000.

Se você era fã de Vídeo Show desde quando era apresentado por Miguel Falabella ou se divertiu com a novela Verão 90 (2019), certamente vai gostar do Memorial da Televisão Brasileira. Até mesmo o momento atual da pandemia está ali representado com cenas de novelas que foram interrompidas em março/2020 e ainda precisaremos aguardar para conhecer o final da trama. Você se recorda de quais novelas estava assistindo? A exposição ajudar a lembrar que ainda não terminamos de assistir 'Amor de Mãe' e 'Salve-se quem puder'.

Década de 2010

Não tenha pressa, faça a visita com calma e aproveite todos os detalhes que há para ver, ouvir e lembrar. São centenas de itens. Quantas boas lembranças! Que delícia trazer de volta tantos bons momentos. Aproveite!

Para os apaixonados pela caixa mágica, seguem outra sugestões de leituras interessantes que revivem momentos marcantes da programação da TV aberta:

- Exposição Hebe Eterna - em qualquer das décadas que você revisite na história da televisão barsileira, lá está Hebe Camargo, a dama da TV brasileira. A exposição Hebe Eterna, realizada no Farol Santander em 2019 trouxe todo o glamour de Hebe, Linda de viver.

Hebe Camargo - a dama da TV brasileira

- Castelo Ra-Tim-Bum, a exposição - Entre 1994 e 1997 não havia criança que não conhecesse os personagens encantados que viviam nesse castelo. A exposição já passou pelo MIS, pelo Memorial da América Latina e por algumas cidades do país na versão itinerante. Na pandemia fomos presenteados com a versão virtual da exposição que pode ser acessada aqui.

Castelo Ra-Tim-Bum

- Plateias Virtuais - a pandemia de Covid-19 trouxe a necessidade de mais uma vez a TV se adaptar, principalmente em um momento em que ela foi tão procurada seja nos momentos de informação ou naqueles de distração. A solução encontrada pelos programas de auditório foi a plateia virtual.

Domingão do Faustão

Uma boa programação para você.
logo mala




Super Nintendo World

Em 1990 era lançado no Japão o Super Nintendo, o videogame de maior sucesso da época,  vendendo até 2003 aproximadamente 50 milhões de unidades. O jogo de estreia e de maior sucesso foi o Super Mário World que de tão popular está ganhando um parque temático inteirinho inspirado nele após 3 décadas de sua criação. O Super Nintendo World, um parque Universal Studios Japan, foi construído em Osaka, no Japão, e após alguns adiamentos por conta da pandemia, está com sua inauguração marcada para fevereiro/2021.
No site oficial do Super Nintendo World estão detalhadas duas atrações: Mario Kart: Koopa’s Challenge e Yoshi’s Adventure com fotos e descrições de cada aventura, além de uma visão geral do parque, o cardápio exclusivo do Kinopio’s Café e do Yoshi’s Snack Island (o balde de pipoca terá o formato do Kart do Mário), além dos produtos que serão vendidos nas lojinhas, incluindo as pulseiras Power-Up Band que tornarão a experiência imersiva nos jogos de videogame ainda mais interessantes com desafios e itens virtuais.

Mário Kart

O jogo de corrida Super Mario Kart, de 1992, entrou para o 
Guinness World Records, como o primeiro de uma lista de 50 games de grande impacto inicial que deixaram um legado. No videogame os jogadores competem em diferentes pistas temáticas usando um dos oito personagens disponíveis com suas próprias características, além de contar com os diferentes itens encontrados no mapa para atrapalhar os oponentes. A tecnologia de ponta deu vida aos elementos do jogo combinando elementos físicos e projeções para recriar os cenários do jogo com detalhes cheios de magia.

Yoshi’s Adventure

Depois de sua estreia em Super Mario World, o mascote Yoshi tornou-se tão popular que em 1995 ganhou destaque em Super Mario World 2: Yoshi's Island. O protagonista da história é o dinossauro Yoshi que deve levar o bebê Mario por seis mundos para salvar o seu irmão Luigi das garras dos capangas do Baby Bowser. No parque, a atração Yoshi’s Adventure é mais leve, para toda a família incluindo as crianças menores que montadas em Yoshi seguirão por uma caça ao tesouro nos cenários incríveis do Reino dos Cogumelos (Mushroom Kingdom).
Para se lembrar de mais detalhes dos jogos, os saudosistas podem acessar o Museu do Mario que não tem nenhuma relação com o parque ou com a Universal Studios, mas proporciona uma experiência interativa com todas as eras dos jogos do personagem.

Super Nintendo World

Admita, o Japão pode não fazer parte de seus planos de viagem, mas se você gosta de videogame e de parques temáticos, não dá pra negar que conhecer o Super Nintendo World já é um motivo para começar a pensar em um roteiro pelo país do sol nascente 'depois' de encerradas as restrições para a entrada de estrangeiros no Japão
O vídeo a seguir é um tour de apresentação do parque que em 15 min mostra cada detalhe. A narração é em japonês e as legendas em inglês, mas as imagens falam por si. 


logo mala

 

Exposição Pratodomundo

    "Pratodomundo" = "Pra todo mundo" ou "Prato do mundo"? Não sei a resposta, mas o trocadilho que dá nome à exposição ficou bem legal! Pratodomundo foi uma exposição temporária do Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro, que ficou em cartaz de abril a outubro/2019. Em 2020, ano de ficar em casa por segurança, voltou à programação do museu em uma versão virtual. Assim, como já escrevi sobre "Leonardo Da Vinci: 500 anos de um gênio", também em Pratodomundo não estamos falando simplesmente de um tour virtual como tantos outros que acalentaram nossos dias em casa. Nesses dois exemplos a interação vai além da imagem em 360º, são visitas virtuais interativas e informativas, como se houvesse um guia acompanhando a visitação que se faz presente por meio de áudios, vídeos e textos escritos que vão explicando o que você está vendo. 

Exposição Pratodomundo

    Muito diferente de uma simples visitação virtual em que você vaga aleatoriamente por corredores de um museu, Pratodomundo tem um roteiro linear que segue a proposta da curadoria e faz com que o visitante entenda quais foram as intenções de cada setor da exposição. Além das setas na tela que indicam o caminho, há um menu lateral que traz todas as sessões ordenadamente, caso você se 'perca' dentro da exposição, basta um clique para voltar onde estava.
     Presencialmente, a exposição foi visitada por mais de 220 mil pessoas enquanto esteve em cartaz e foi premiada com o Grand Prix de bronze na categoria Exposição Temporária. Assim como o acervo fixo do Museu do Amanhã, tudo é muito tecnológico e voltado para o futuro. A questão que norteia a temática é: Como alimentar, na década de 2050, uma população de 10 bilhões de pessoas com qualidade nutricional, diversidade de produção e sustentabilidade?

Museu do Amanhã - RJ

        A resposta chega ao visitante norteada pela tecnologia e criatividade que poderá garantir o sustento mundial se soubermos lidar com essa questão. Nem tudo pode ser vivenciado virtualmente, por exemplo, o que chamou muito a atenção do público foram as informações em forma de quizzes e jogos como o CSI (Comida Sob Investigação) e a Geladeira Sincerona que avaliava com tiradas bem humoradas a qualidade nutricional de 5 alimentos que cada visitante podia escolher. Esses recursos não estão disponíveis online, mas de qualquer forma a 'visita' vale a pena.
        Antes mesmo da exposição, as questões sobre alimentação e contra o desperdício de alimentos já faziam parte da temática do Museu do Amanhã. As reflexões, oficinas e trocas de experiências que se iniciaram em 2018 geraram o livro "Receitas do Amanhã: gastronomia do porto carioca sem desperdícios" que pode ser baixado em arquivo PDF.

Museu do Amanhã - RJ

          O Museu do Amanhã é lindo! Quando houver oportunidade e segurança não deixe de visitá-lo. Até lá, enquanto estivermos em casa, vamos nos distrair a aprender dentro das possibilidades do novo normal. Não sei vocês, mas eu estou quietinha em casa, sem sair de minha cidade desde janeiro/2020 e assim pretendo permanecer até que a vacina esteja disponível para todos. Entre tantas informações veiculadas pela TV, me chamou a atenção a frase de um diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, Tedros Adhanom: "Ninguém está seguro até que todos estejam seguros".
        Como uma blogueira de viagem pode desaconselhar que as pessoas viajem!? Justamente porque ainda quero viajar muito e para que isso volte a acontecer naturalmente está faltando conscientização e paciência da parte de muita gente.
logo mala


- Para visitar virtualmente a exposição Pratodomundo clique aqui.
- Para visitar virtualmente a parte externa do Museu do Amanhã, clique aqui.
- Para saber como foi nossa visita presencial ao museu leia aqui.

    

               Pois é... as férias escolares chegaram, mas a vacina contra a COVID19, não. O que você vai fazer com as crianças em casa depois de um ano inteiro de luta com as tarefas escolares? Ideias não vão faltar, basta soltar a criatividade. Entre uma atividade ou outra mais agitada, reserve um tempo de calmaria para sentarem-se juntos e explorarem algumas atrações virtuais bem legais que podem ser divertidas e instrutivas ao mesmo tempo.
          Seguem em ordem alfabética nossas 5 sugestões de recursos virtuais que vão agradar as crianças de 8 a 80 anos:

        Difícil saber se agradará mais às crianças ou aos papais e mamães que assistiram ao programa em sua infância na década de 90. De qualquer forma, caso os personagens não sejam conhecidos dos pequenos, assistam juntos aos vídeos, ouçam as vozes originais de cada um e contem para seus filhas o quanto era legal assistir ao Castelo Ra-Tim-Bum.
Castelo Ra-Tim-Bum - a exposição


        Os 4 parques da Disney na Florida possuem passeios virtuais. Quando a tela se abrir com o mapa da região, clique no ícone como o parque que deseja visitar. Há vídeos curtos sobre cada um e os caminhos estão todos liberados. Uma sugestão: no Animal Kingdom visite Pandora (Avatar) e visualize o cenário nas imagens diurnas e noturnas. É lindo demais! Nós conferimos presencialmente e contamos como foi a experiência de Pandora durante o dia e Pandora durante a noite.
Magic Kingdom

        A fotógrafa Kátia Arantes posicionou bonecos de heróis e vilões da Marvel e da DC Comics em frente a prédios históricos da cidade de São Paulo. Os efeitos de luz e perspectiva inserem os bonecos de 35cm na paisagem paulistana como se estivessem em tamanho real. As fotos do making of ajudam a entender como a ilusão de ótica é produzida. Todos os personagens possuem fichas que os descrevem e ao final da página há um formulário para deixar sua opinião e baixar o calendário 2021 da exposição.
    'Winter, o golfinho' e 'Winter, o golfinho2' são filmes estrelados e baseados na história de um golfinho que perdeu a cauda ao ficar preso em uma armadilha para pegar caranguejos. Esse e outros golfinhos que aparecem no filme vivem no aquário de ClearWater e podem ser observados em tempo real por 4 câmeras direcionadas a seus tanques, além de outras webcams para outros animais. Então já sabe: sessão pipoca com os filmes de Winter e depois vê-lo em tempo real. Em KidsZone, entre várias atividades há vídeos interessantes de Winter e outros animais do aquário.
Winter

        Férias também são momentos de incentivar a leitura e o ato de ler por prazer. Seu filho já conhece "O Menino Maluquinho" e outros personagens de Ziraldo? Para conhecer um pouco mais do autor e sua obra, estão disponíveis 5 exposições online: Rio, Livros Infantis, Mural do Canecão, Quadrinhos e Originais. Divirtam-se!
Ziraldo - O bichinho da maçã

logo mala