Le Burger
         O que há de diferente em uma hamburgueria temática? É um lugar idealizado não apenas para comer, mas também para se divertir. A Le Burger, na região dos jardins em São Paulo, se propõe a isso. Na onda dos espaços instagramáveis, podemos dizer que essa hamburgueria reúne em um só lugar muitos cenários que vão deixar crianças, nerds e geeks apaixonados. A mistura de personagens é grande desde ET, Caça-Fantasmas, super heróis da Marvel e da DC, Game of Thrones, Dragon Ball, Star Wars, Power Rangers, Harry Potter e mais, mais, mais... A impressão que fica é de se estar diante do acervo de um colecionador geek que não tem mais onde expor tantos itens e, por isso, eles estão por toda parte: nas paredes, no teto, no banheiro, no jardim, no bacão, nas prateleiras... tudo junto e misturado, como no quarto de um adolescente que não deixa a mãe entrar há muito tempo.
Le burger
         Creio que a ideia seja exatamente essa, já que a hamburgueria Le Burger pertence ao chef Arthur Sauer, vencedor da 1ª Temporada de 'Cozinha sob Pressão' (SBT), que se assume como um geek convicto, fã e colecionador ávido por réplicas, brinquedos e HQs desde a infância (obs: não entendi o que o avental do Master Chef faz por lá). A influência de heróis e vilões não está apenas na decoração, mas também no cardápio que tem Dragon Ball (bolinhas de queijo com bacon), Heróis do bem (combo com dois miniburgers), Fenda do Biquíni (com salmão) e muitas outras opções que são classificadas de 1 a 3 em 'nível de gordice', a exceção à classificação é o MacGyver com uma combinação explosiva de calorias ao juntar dois hamburgueres, mussarela, cheddar, crispy de cebola, crispy de bacon e mix de cogumelos. Também há opções veganas e vegetarianas que no lugar da carne levam grão de bico ou berinjela, como o Eggplant Burger.
Le burger
           E as opções do cardápio são boas? Bem... são 'ok' tanto no sabor, quanto no preço. Os hamburgueres são saborosos, sem nada de excepcional, e os valores (em média R$30) são os praticados em outras hamburguerias gourmet, sendo um tantinho mais salgados, provavelmente pelo cardápio levar a assinatura do chef Arthur Sauer que criou as opções mas não está lá para ver como são executadas. Sabe aquela diferença entre expectativa e realidade? Pois é, colocar o lanche que chega à mesa ao lado da foto no menu deixará essa diferença bem evidente. E o atendimento? Esse realmente precisa melhorar, é fraco. Tudo demora, a atendente precisa levar a uma terceira pessoa cada pergunta que lhe é feita... e olha que eu não estava querendo saber a procedência da carne ou se a berinjela era orgânica, apenas queria que trouxessem o lanche partido ao meio.
          Outra coisa que não achei legal é que as salas temáticas são apenas para reservas de grupos, mesmo que a hamburgueria esteja vazia, como estava quando lanchamos por lá em um domingo por volta do meio dia. Essas salas ficam no piso superior do sobrado e até pudemos subir para conhecê-las, mas em nosso rastro estava a atendente explicando que eram exclusivas para reservas e deveríamos escolher uma mesa embaixo. Ou seja, a decoração é mesmo bem legal, mas usufruir desses ambientes não está disponível a todos os clientes. Vi um casal chegando com um menino de cerca de 7 anos deslumbrado com os personagens em tamanho natural, o que indica que comemorar aniversários infantis por lá é uma boa pedida, pois a decoração já está pronta.
Le Burger
        Minha conclusão: é uma hamburgueria decorada com personagens da cultura geek, não chega a ser uma hamburgueria 'temática', pois não proporciona uma experiência de imersão e nem se define em relação ao tema. Essa tentativa de agradar todos os públicos torna tudo um tanto desfocado, de Bob Esponja a Star Wars, de Toy Story a Harry Potter... as diferenças entre os fãs são enormes. E o que eu esperava? Que a vassoura de Harry Potter realmente voasse ou que o hamburguer flutuasse até a mesa? Não se trata disso, claro. Mas confesso que eu esperava atendentes de cosplay (e mais animadas e eficientes também) ou no mínimo de uniformes que remetessem à cultura geek; esperava o escudo do Capital América como bandeja e o sabre de luz de Star Wars na mesa para que eu pudesse utilizar para chamar a atendente (anote as dicas, Chef Arthur).
Le Burger
          Na verdade, essa expectativa que não se concretizou deve-se à visita que fizemos anteriormente à Vassoura Quebrada, uma hamburgueria realmente temática, onde tudo remete ao mundo bruxo de Harry Potter, desde a recepcionista vestida de bruxa, até o simbolismo presente no momento de fechar a conta (leia mais). Por isso, foi um tantinho decepcionante para mim, mas todo lugar vale a pena ser conhecido; já uma segunda visita vai depender dos comentários internet a fora, principalmente das avaliações do TripAdvisor que no geral estão bem caidinhas.
Le Burger
Serviço
Site (apenas página do Facebook):
Endereço: Alameda Franca, 1055 - Jardim Paulista - SP
Horários: 
sábado - 12h – 23h
domingo - 12h – 22h
segunda-feira - Fechado
terça a sexta-feira - 12h–15:30h - 18h –23h

Contatos: leburger1055@gmail.com / (11) 95276-0746
logo mala

Memorial da América Latina
          São Paulo é o mundo! E é impossível conhecer o mundo todo de uma única vez, por isso, a cada oportunidade de visitar a capital paulista procuro me hospedar em regiões diferentes  para ficar mais próxima de determinados pontos de interesse e assim ganhar tempo e dinheiro para visitá-los. Hoje vamos falar do Distrito da Barra Funda e das várias atrações interessantes que ficam nessa região. Clique nos links do título de cada atração para saber mais sobre elas.
Memorial da América Latina
Memorial da América Latina - o conjunto arquitetônico projetado por Oscar Niemeyer tem como objetivo divulgar a arte dos povos latino-americanos. São vários pavilhões com exposições fixas e temporárias, além de instalações na área externa que são sempre muito atrativas. O Memorial também é o local de grandes exposições temáticas como a do Castelo Rá-Tim-Bum que reproduziu o castelo  e Batman 80 Expo, exibida até 15/12/2019. Reserve ao menos duas horas para visitar os espaços de exposições (leia mais).
EndereçoAv. Auro Soares de Moura Andrade, 664 – Barra Funda.
Entrada gratuita

Parque da Água Branca
Parque da Água Branca - Bem próximo ao Memorial da América Latina (saia pelo Portão 2) e caminhando menos de 500m você estará no portão principal do Parque da Água Branca que tem muito verde com trilhas para caminhada, pequenos animais soltos, aquário, museu e muito mais para se passar 2 ou 3 horas sem nem se dar conta do tempo. Ótima opção para quem está com crianças (leia mais).
EndereçoAv. Francisco Matarazzo, 455 - Barra Funda.
Entrada gratuita

Casa de Mário de Andrade
Casa de Mário de Andrade - O sobrado geminado onde o escritor morou com sua família durante metade de sua curta vida, abreviada aos 51 anos de idade, é hoje uma casa-museu que conserva móveis, objetos pessoais e muita história. Mário de Andrade era muito apegado à família e em especial a essa casa na Rua Lopes Chaves que foi citada em prosa e verso nos textos escritos por ele. A Casa de Mário de Andrade está acerca de um km do Parque da Água Branca, porém, essa não é uma região segura para se caminhar. Um Uber resolve a questão (leia mais).
EndereçoRua Lopes Chaves, 546 - Barra Funda
Entrada gratuita

Allianz Parque
Allianz Parque - Não precisa ser palmeirense para visitar o templo do Palmeiras. Claro que a emoção de quem tem parte do coração verde deve ser maior, mas de qualquer maneira o estádio é lindo, moderno, com uma infra-estrutura excelente que atrai shows de artista renomados do mundo todo. O Allianz Parque Experience Tour percorre várias instalações como vestiários, sala de imprensa e camarotes. É feito diariamente, com exceção de dias de jogos ou shows. Os preços variam entre R$50 e R$70 dependendo do dia (leia mais).
Endereço: Rua Palestra Itália, 214 (Portão A).

Plaza Inn American Loft
Plaza Inn American Loft - Além do café da manhã perfeito, o hotel tem como ponto positivo a localização bem em frente ao Allianz Parque. Para quem vai a algum show ou jogo no estádio do Palmeiras é a melhor opção de hospedagem. Os apartamentos possuem microondas, cockingtop, geladeira e utensílios de cozinha. Bem pertinho dali está o Shopping Bourbon com supermercado para as comprinhas necessárias e praça de alimentação diversificada. Se puder ficar mais um dia em São Paulo, descanse para continuar os passeios entre Barra Funda, Pompeia e Água Branca, pois ainda há muito a fazer por lá (leia mais sobre o hotel).
EndereçoRua Palestra Itália, 263

SESC Pompeia
Sesc Pompeia - A antiga fábrica de tambores, hoje é um centro de arte e cultura que é uma atração em si mesmo. A arquitetura do prédio merece a visita guiada que acontece às sextas, sábados e domingos em dois horários (às 11h ou às 15h). A atividade é gratuita e as senhas precisam ser retiradas meia hora antes no hall do teatro. Os amplos espaços permitem exposições grandiosas como Entrevendo, com 150 obras de Cildo Meireles, em cartaz até 02/02/2020 (leia mais).
EndereçoRua Clélia, 93, Pompeia

MIS Experience
MIS Experience - A recente unidade do Museu da Imagem e do Som, foi inaugurada em 02/11/2019 com a exposição imersiva "Leonardo Da Vinci - 500 anos de um gênio". Se do lado de dentro a clássica Monalisa atrai as atenções, fora as releituras do Homem Vitruviano, da própria Gioconda e o retrato de Da Vinci feitos pelo grafiteiro Eduardo Kobra atraem todos os clicks. Vá com tempo e use-o para apreciar cada obra e interagir onde for permitido (leia mais).
Endereço: Rua Vladimir Herzog, n.75 

Vassoura Quebrada
Vassoura Quebrada - Mais que uma hamburgueria temática, um espaço totalmente imersivo inspirado no bruxo Harry Potter. Todos os atendentes estão vestidos de bruxos, para pedir a conta basta erguer sua varinha, os lanches têm nomes de feitiços, o pão é de abóbora, as bebidas são poções mágicas... o ambiente é agradável, os lanches saborosos e os preços justos. Tudo perfeito. Experimente os anéis de cebola (leia mais).
Endereço: Rua Desembargador do Vale, 836 - Perdizes

     Como praia de paulistano é shopping, caso você queria se inserir no esquema, os shoppings mais próximos são o Bourbon e o West Plaza . Bons passeios!
logo mala
Outros roteiros em São Paulo
Parque da Água Branca
           Ao entrar no Parque da Água Branca por sua entrada principal a impressão que fica é de estar chegando a uma antiga fazenda com sua Casa Grande imponente se destacando na paisagem. Os patos, galinhas, pavões e outros pequenos animais que passeiam livremente pelas alamedas reforçam a sensação de um cantinho rural encrustado em plena metrópole. Eu já conhecia tantos lugares de São Paulo, mas nunca tinha visitado esse parque e tive uma grata surpresa: é um lugar para se ficar por horas sem sentir o tempo passar. Afinal são 136.765.41 m² com jardins, lagos artificiais, playground, trilhas para caminhadas, aquário, museu de geologia, área para piquenique, quiosques de alimentação, trenzinho, espaço para leitura, arena para aulas de equitação... além dos eventos ocasionais em datas comemorativas e feiras, shows, bailes, exposições...
Parque da Água Branca
          Não está procurando por agito? Encontre um cantinho e sente para meditar, ou então pegue um livro no espaço de leitura ou ainda inspire-se na paisagem para desenhá-la. O parque é perfeito para quem está com crianças que, além de se encantarem com as aves soltas que vão cruzando pelo caminho, se divertem brincando no playground ou no parque de diversões (Parquinho da Família) que tem atrações pagas. Também há um trenzinho que contorna o parque e passa pelas suas principais atrações. Achei um tanto caro o valor de R$6 por 8 minutos de passeio, mas crianças amam esses veículos, por isso, para quem estiver com os pequenos 'tá valendo'. 
Parque da Água Branca
         Em plena primavera, o parque se supera em colorido e beleza. A vontade de ficar fotografando tudo fez com que não percebêssemos a hora passar e ficamos sem visitar o aquário (R$3) que fecha no horário do almoço (entre 11:30h e 13h). Depois desse horário estávamos muito longe do aquário e, como o parque é muito grande, sem coragem de voltar morro acima para visitá-lo. Ficou para uma próxima visita que certamente acontecerá. De acordo com informações do site, o aquário tem espécies dos rios brasileiros e monitores que explicam sobre esses animais. Ironicamente, na data em que visitamos o parque, estavam distribuindo na entrada um livreto de receitas do projeto Coma mais peixe. Enfim... fiquei imaginando como essa questão funciona na cabecinha da criança: ver o peixe lindo nadando no aquário e depois saboreá-lo.
Parque da Água Branca
           A lista de proibições indica que o parque tem como intuito que os visitantes apreciem e usufruam da natureza sem muitos artifícios, já que são proibidos skates, bicicletas, patins, animais de estimação, pipas, bolas... Os fotógrafos não se animam muito por ali para a produção dos books de debutantes, noivas e gestantes pois também são proibidos acessórios como cadeiras, guarda-sóis e caixotes, bem como colocar qualquer objeto decorativo nas árvores, como faixas e banners. Achou que as proibições são muitas? Acredite, o sossego também é! São essas peculiaridades que fazem do Parque da Água Branca um lugar tão agradável. Por isso, acrescentei muitas fotos ao post, pois as palavras não seriam suficientes para defini-lo.
         No museu geológico, o Mugeo, há ossos de dinossauros e pedras dos mais variados formatos e cores com informações sobre cada uma delas. Não é um acervo muito grande, mas detalhado e interessante. O melhor é um painel envidraçado no qual cada nicho tem um mineral e o exemplo do que se produz com ele para nosso uso cotidiano: o grafite do lápis, o flúor do creme dental, o alumínio das latinhas de refrigerante, a porcelana de pratos e xícaras, o zinco dos medicamentos, a halita do sal de cozinha e tantos outros objetos derivados do petróleo. Chame a atenção das crianças para esse interessante painel e deixe que façam suas descobertas.
         O site também divulga a Casa do Caboclo que reproduz uma moradia da zona rural e onde é possível degustar broa de milho, bolo de fubá e café ao som de música de viola. Passei por essa construção, mas estava fechada. Ou seja, outro bom motivo para voltar ao parque, pois faltou conhecer, além do aquário, a Casa do Caboclo, o pombal, a feira de orgânicos e quem sabe... dar uma voltinha a cavalo. São muitas atrações por lá, por isso vá sem pressa.
Parque da Água Branca
Veja o que é possível fazer por lá em cada dia e horário:

Aquário
Atendimento de terça a domingo das 9h às 17h - R$ 3,00

Escola de Equitação

Atendimento de segunda a sexta das 8h às 18h30
Voltinha a Cavalo – Somente aos finais de semana com agendamento

Feira Orgânica
Atendimento as terças – feiras das 7h às 12h / 16h às 20h
Sábados e domingos das 7h às 12h

Museu Geológico Valdemar Lefevre – MUGEO
Atendimento de terça a domingo das 9h às 17h

Parque da Família (parque de diversões)
Atendimento de terça a sexta das 9h às 17h
Sábado e domingo das 9h às 19h
Valores das atrações no local

Trenzinho de Passeio
Atendimento somente aos finais de semana das 09h às 17h - R$6

Visitas monitoradas 
Grupos podem solicitar com agendamento prévio
Telefone: 3872-6358 – Email: ig.mugeo@sp.gov.br
Parque da Água Branca
Serviço
Parque da Água Branca
Site: https://www.infraestruturameioambiente.sp.gov.br/parqueaguabranca/ 
Endereço: Av. Francisco Matarazzo, 455 - Barra Funda – São Paulo
Funcionamento: de segunda a segunda, das 6 às 20h
Entrada gratuita com algumas atrações internas pagas
Estacionamento: das 6h às 20h – Acesso Rua Dona Ana Pimentel S/N  - 2 horas – R$ 5,00 – Diária – RS 10,00
Parque da Água Branca
logo mala
Leia também sobre outras atrações próximas:
- Memorial da América Latina
- Casa de Mário de Andrade
       De vez em quando eu me aventuro não por novos destinos, mas por novas atividades. Principalmente agora, construindo a casa nova, o momento é para criar raízes, não para voar. E eu adoro um 'faça você mesmo'.
            Vamos lá?
       O espelho de 70cm x 40cm foi encontrado na rua, abandonado após alguma mudança, e trazido para casa porque 'quem sabe pode ser útil'. Nas idas e vindas pelas lojas de materiais de construção, deparei-me com uma cesta de 'saldão' com placas de pastilhas de vidro (30 x 30) por preços irrisórios: R$0,89, R$1,89, R$3,19... com menos de R$10 comprei quatro placas para me divertir em casa com o espelho abandonado.

             Passo a passo:
- Fixe com cola quente o espelho sobre um papelão deixando 6cm de lado em toda a volta;
- Complete os espaços entre o fundo e o espelho com tiras de papelão para que espelho e moldura fiquem na mesma espessura;
- Passe fita crepe larga (2 ou 3 vezes) sobre a moldura de papelão pegando cerca de 1cm do espelho para ajudar a fixá-lo;
- Faça o mesmo com a fita crepe no verso para uniformizar a base. Cuidado ao virar o espelho para baixo, prefira uma superfície macia. Eu fiz em cima da cama;
- Comece a colar as pastilhas de sua preferência pelos cantos. Após fazer os quatro cantos complete a moldura nas laterais;
- O tipo de cola vai depender do material que você tem. Usei Super Bonder para as pastilhas azuis e as placas com pastilhas pretas, brancas e cinzas eram autocolantes;
- Depois de pronto 'rejunte' com cola plástica branca para preencher as fendas entre as pastilhas;
- O mais importante de tudo: quando for a alguma loja de materiais de construção, fique de olho nos saldões de pastilhas. Depois é só soltar a criatividade.

Leia também:

logo mala

Descobrimento
Abancado à escrivaninha em São Paulo
Na minha casa da rua Lopes Chaves
De supetão senti um friúme por dentro.
Fiquei trêmulo, muito comovido
Com o livro palerma olhando pra mim.
Não vê que me lembrei que lá no Norte, meu Deus!
muito longe de mim
Na escuridão ativa da noite que caiu
Um homem pálido magro de cabelo escorrendo nos olhos,
Depois de fazer uma pele com a borracha do dia,
Faz pouco se deitou, está dormindo.
Esse homem é brasileiro que nem eu.
Casa Mário de Andrade
        A "casa da Rua Lopes Chaves" eternizada nos versos do poema Descobrimento e em tantos outros textos em que foi citada por seu ilustre morador - o escritor Mário de Andrade - desde 2015 está aberta ao público como uma casa-museu. Nela estão expostos, entre outros itens, móveis (desenhados por ele e executados em madeira de lei), objetos pessoais, fotografias, manuscritos e registros que recontam a trajetória de vida e obra de um dos principais escritores do Modernismo brasileiro, autor de "Macunaíma - o herói sem nenhum caráter", sua obra mais popular que das páginas do livro publicado em 1928 transformou-se em história em quadrinhos, filme, peça teatral, musical... e continua a ganhar adaptações quase um século depois (em 2019 esteve em cartaz nos teatros de São Paulo, Belo Horizonte e Rio de Janeiro).
Casa Mário de Andrade
        Mario de Andrade, residiu na "Morada do coração perdido", forma como ele se referia à própria casa e título da exposição permanente do museu, de 1921 a 1945, quando faleceu precocemente aos 51 anos de idade, em decorrência de um ataque cardíaco. A casa foi comprada por sua mãe já viúva e a construção abriga três sobrados geminados com uma única estrutura, onde a família se alojou. Hoje, a casa-museu (branca, na 2ª imagem do post) que fica na esquina da Rua Lopes Chaves com Rua Margarida tem como vizinhos nos sobrados geminados dois cortiços (amarelo e vermelho na imagem), tipo de habitação comum no bairro da Barra Funda.
     Sobre sua casa tão amada, Mário de Andrade, escreveu a Henriqueta Lisboa convidando-a a visitá-lo: "A minha casa me defende, que sou, por mim, muito desprovido de defesas. E sobretudo a minha casa me moraliza, no mais vasto sentido desta palavra. Um dia você ainda ha-de vir a esta casa, Henriqueta, e verá como é gostoso o cantinho em que moro, meus livros, minhas coleções de desenhos, de objetos populares, de imagens antigas e meus quadros e meus badulaques que não acabam mais." A esperada visita aconteceu em fevereiro/1945, dias antes do autor falecer.
Casa de Mário de Andrade
      A casa tão querida e cuidada foi frequentemente citada nos textos do autor. Numa crônica de 1931 ele escreveu: “Saí desta morada que se chama O Coração Perdido e de repente não existi mais”. Considerando-se que o autor pouco se ausentava de sua residência, a citação pode referir-se ao distanciamento da casa para sua viagem imersiva pelo Nordeste brasileiro, feita entre novembro de 1928 e fevereiro de 1929, cujos relatos de viagem resultaram no livro "O turista aprendiz" lançado em 1976, 30 anos após sua morte. Ou seria então, uma referência ao período de aproximadamente dois anos (entre 1939 e 1941) em que viveu no Rio de Janeiro. Na volta desse exílio autoimposto, Mário de Andrade descreveu a inefável "felicidade lopeschávica" de voltar a viver em São Paulo.
Casa Mário de Andrade
       A partir dessa relação tão próxima com o lar onde viveu metade de sua vida, não haveria local mais indicado para um museu que a casa da Rua Lopes Chaves com suas paredes tomadas por estantes com os livros que Mário catalogava de forma a permitir uma organização permanente de sua biblioteca mesmo com novos acréscimos ao seu acervo pessoal que também continha quadros, partituras, discos, imagens sacras, entre outras obras de arte. O poeta retorna a sua casa também nos áudios de declamações de seus poemas que ecoam nas salas do museu. 
Casa Mário de Andrade
          E para quem pensa que "shippar" é uma inovação da 'Geração Z', saiba que Mário de Andrade não apenas 'shippou' os nomes do casal amigo Oswald de Andrade e Tarsila do Amaral, como fez a eles uma homenagem no poema "Tarsiwaldo":

TARSIWALDO

Pegue-se 3 litros do visgo da amizade
ajunte-se 3 quilos do assucar cristalizado da admiração
Perfume-se com 5 tragos da pinga do entusiasmo
Mexa-se até ficar melado e bem pegajento
e se engula tudo duma vês

Com adesão do Mario de Andrade
Ao almoço
Pra Tarsila
e Osvaldo,
Amem.

Casa Mário de Andrade
        Para conhecer mais sobre o artista multifacetado que voltou a sua amada casa e abre as portas aos visitantes, aceite o convite e vá conhecer a "Morada do Coração Perdido".

Serviço
Casa Mário de Andrade
Site: www.casamariodeandrade.org.br
Endereço: Rua Lopes Chaves, 546 - Barra Funda, São Paulo. Telefones: (11) 3666-5803 | 3826-4085
Funcionamento: de terça-feira a sábado, das 10h às 18h
Entrada gratuita

Casa Mário de Andrade
       Para encerrar só mais 'perola' de Mário de Andrade que, compreensivelmente, nunca foi muito querido pela aristocracia paulistana:
Moça linda bem tratada,
Três séculos de família,
Burra como uma porta:
Um amor.
logo mala


A pele da minha família tem mais valor que a da sua?


      Esse é o título da obra da foto, assinada pelo artista aerografista Maurício Gigante e exposta em frente ao Centro Cultural FIESP, na Av. Paulista. A escultura da onça estilizada é parte da intervenção artística Jaguar Parade 2019 que espalhou cerca de 90 peças em tamanho real pelas principais ruas e avenidas de São Paulo, chamando a atenção em defesa da preservação do maior felino das Américas que já está oficialmente extinto nos Estados Unidos, em El Salvador e no Uruguai. No México é muito rara e no Brasil, onde se encontra a maior parte da população desses animais, o número de indivíduos da espécie vem diminuído significativamente, por isso, a arte foi utilizada para conscientizar sobre a preservação da onça-pintada.
      
Jaguar Parade 2019
          As obras foram pintadas ao vivo por artistas convidados entre agosto e setembro/2019 no Shopping Market Place, depois ficaram expostas nos shoppings da Rede Iguatemi e em outubro/2019 ganharam as mais movimentadas ruas, parques e praças paulistas, onde permanecem até 23 de novembro. Várias dessas esculturas estão na própria Av. Paulista, outras no Parque do Ibirapuera, na Rua Oscar Freire e arredores; além do Parque da Água Branca, Pacaembu, Praça da Liberdade... entre outros pontos informados no site oficial da Jaguar Parade.
      Essas onças você vai querer encontrar soltas pelas ruas e quando der de cara com uma delas, fotografe e compartilhe com as #jaguarparade, #jaguarparadebrasil e #artesalva para ajudar a divulgar a causa. No site há mais informações, fotos e vídeos de todas as fases do evento que se encerra em 29/11 (Dia nacional da onça-pintada), com um leilão beneficente das peças no Hotel Unique, no qual 50% do valor arrecadado será direcionado a entidades com foco na preservação da onça-pintada. 
          Ah! E se você também quiser 'pintar a onça-pintada' e fazer sua própria obra de arte da Jaguar Parade, o maior evento* de arte urbana a céu aberto da história de São Paulo, pode comprar seu kit com miniatura da onça em resina, pincéis e tintas clicando aqui.
* Em tempo: as vaquinhas coloridas da Cow Parade que invadiram as ruas de São Paulo em 2010, eram cerca de 70 esculturas.
logo mala
MIS Experience
     Muito além da Mona Lisa, a mais abrangente exposição itinerante sobre a vida e o legado do gênio Leonardo Da Vinci inaugurou o MIS Experience, em São Paulo, em 02/11/2019. Além de pintor, o artista foi escultor, cientista, inventor, filósofo, escritor, arquiteto, músico, cenógrafo... O evento não poderia receber nome melhor que "Leonardo Da Vinci: 500 anos de um gênio". Entre tantas invenções e engenhocas, até um protótipo do que hoje conhecemos como "bicicleta" ele imaginou há mais de cinco séculos.
MIS Experience
        Para dar vida à obra do gênio, as peças foram recriadas por artesãos italianos (seus compatriotas) que seguiram os esboços e códices deixados pelo mestre, driblando todas as dificuldades que Da Vinci acrescentava às suas invenções para protegê-las: erros propositais nas anotações, ideias soltas e informações contraditórias que lhe garantiam a 'patente' de suas criações. Algumas dessas anotações só podem ser decifradas diante de um espelho, por isso, a exposição tem uma sala de espelhos (uma pequena cabine, na verdade) em que o visitante experimenta a inusitada situação de se ver por todos os ângulos.
MIS Experience
         Em todas as salas da exposição, há frases - em português e em inglês - inspiradoras e deliciosamente reflexivas do mestre, por exemplo: "O prazer mais nobre é a alegria do entendimento". A minha preferida estava na sala que apresentava Da Vinci como pai da aviação por tentar criar asas que possibilitassem ao homem voar: "Uma vez que você tenha experimentado o voo, sempre andará na terra com os olhos voltados para o céu, pois lá você esteve e lá sempre desejará voltar." Diga se é ou não a cara de todo apaixonado pelas viagens? Lá vai mais uma: "O pé humano é uma obra de arte e uma obra-prima da engenharia". De onde vem essa comparação? Da paixão do mestre pela anatomia. Ele dissecava e desenhava corpos humanos secreta e apressadamente, pois a prática era proibida. Três séculos e meio mais tarde, seus desenhos ricos em detalhes serviram de base do atlas de anatomia clínica Gray's Anatomy.
MIS Experience
     As pinturas expostas são reproduções de alta qualidade, geralmente maiores que as originais justamente para aumentar o impacto provocado no visitante. A Mona Lisa, por exemplo, que tem como tamanho original 77 cm x 53 cm, na exposições ocupa paredes inteiras para que cada detalhe possa ser observado. Entre as obras representadas está La Bella Principessa, o mais recente item atribuído à autoria de Leonardo Da Vinci há pouco mais de duas décadas, o que ainda causa controvérsias entre os especialistas. Várias das obras mais significativas do gênio são projetadas em paredes e grandes painéis na sala mais deliciosa da exposição (primeira foto), onde os visitantes se sentam em bancos espalhados pelo espaço ou no chão, simplesmente para apreciar a arte secular.
MIS Experience
      Depois da sala gigante acontece a imersão no mundo de Mona Lisa, ou do "Retrato de Lisa Gherardini, esposa de Francesco Del Giocondo", como a pintura está nomeada no museu do Louve, em Paris, onde é visitada anualmente por mais de 9 milhões de pessoas. Entre curiosidades, descobertas e detalhes ampliados, o principal foco é mostrar que a Mona Lisa de hoje é bem diferente da pintura executada por Leonardo Da Vinci há 500 anos com cores vivas e delicadas que perderam o vigor e a luminosidade pelo efeito do tempo sobre os pigmentos e de várias restaurações, nem sempre bem sucedidas. Atualmente quem vai ao Louvre, onde a obra está protegida por uma redoma de vidro à prova de balas, enxerga predominantemente os tons de marrom e verde escuro até mesmo no céu que já foi azul e na pele rosada da dama retratada.
MIS Experience
      A obra mais popular de Leonardo Da Vinci nunca foi considerada concluída pelo gênio. Entre 1503 e 1519 (ano de morte do artista) recebeu vários retoques. O dedo indicador da mão direita, por exemplo, não foi finalizado pelo mestre. Os cílios e sobrancelhas de Mona Lisa desapareceram com o tempo sob o efeito dos produtos utilizados na restauração ou mesmo da despigmentação das linhas finas com que foram desenhados. O sorriso enigmático e os olhos que parecem seguir os apreciadores são significativamente diferentes hoje que quando foram pintados. O sorriso original (descoberto com infra-vermelho sob várias camadas de tinta) é mais expressivo e mais acentuado do que aquele que hoje se vê.
     No século XIX, Mona Lisa pertenceu a Napoleão Bonaparte que, ao pendurar o quadro no quarto e no banheiro,  fez com que o verniz próximo aos olhos e ao queixo fosse danificado pelo contato com a água. Essas manchas, que já foram equivocadamente interpretadas como sinais de que a dama retratada tinha colesterol alto, na verdade nada mais são que acidentes com o verniz.
A última ceia - releitura

    La Gioconda (como é conhecida na Itália) já foi roubada, apedrejada e exposta no Metropolitan Museum of New York. Hoje é considerada valiosa demais para ser transportada, por isso, é mantida sob proteção acirrada no Museu do Louvre.
      Na exposição do MIS Experience, é possível 'ser' Mona Lisa por alguns instantes e a experiência fotográfica é bem disputada. A Mônica Lisa, de Maurício de Sousa também está por lá, assim como toda a Turma da Mônica na releitura de A última ceia.
        Além das visitas regulares, o MIS oferece visitas guiadas de 90 minutos de duração em dias e horários específicos que devem ser previamente agendados (consulte aqui) e se esgotam rapidamente. A parte externa do MIS é uma atração em si mesma ao trazer as releituras do Homem Vitruviano, da Mona Lisa e do próprio retrato de Leonardo Da Vinci recriados pelo muralista Eduardo Kobra, paulistano que tem sua arte urbana espalhada por cinco continentes. Eu tive um bônus na visita feita cinco dias após a inauguração do museu: pude apreciar o próprio Kobra terminando suas criações. Incrível!

MIS Experience
Serviço
MIS Experience
Rua Vladimir Herzog, n.75 - Água Branca - SP
Terça a domingo, das 10h às 20:30h
Valores: terça-feira (grátis); quarta a sexta (R$30/R$15); sábados, domingos e feriados (R$40/R$20)
De 02/11/2019 a 1º/03/2020
Ingressos antecipados no site.
logo mala