Viagem

foto1.

Viagem

foto2.

Viagem

foto3.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

4 de julho de 2015

Cesta básica para a pele

           Desde que a primeira propaganda da TV nos colocou a dúvida se era "base ou protetor?" sugiram muitos outros produtos que tonalizam a pele enquanto protegem do Sol. Ótimo!



           Todos com o benefício do 2 em 1, o que na nécessaire é uma vantagem e tanto, principalmente porque a pele também precisa de proteção contra a luz artificial. Por isso, quando o destino não é a praia ou a piscina, seja dia ou seja noite, o protetor (ou a base?) é o mesmo.
           O que experimentei (por ordem alfabética):
Adcos: (FPS 40) a textura é bem grossa, e a mais parecida com os protetores solares mais conhecidos. A embalagem tem 50ml e pode ser encontrada em 5 tonalidades diferentes. Preço: R$87,00.
Blocskin: (FPS 40) é o mais fluido e foi o que deixou minha pele mais brilhante.  Pode ser que não tenha me adaptado a ele pelo pouco uso. Apenas experimentei uma amostrinha recebida. A embalagem de 80ml e custa R$62,50.
Blur (Cosmobeauty): (FPS 50) tem a textura exata para espalhar bem e deixar a tonalidade mais uniforme. A promessa é de efeito photoshop e achei o resultado muito bom. Estava levando o meu para todo lado até esquecê-lo no hotel. Vontade de chorar! A embalagem de 50g custa R$105,00.
Extratos da Terra: (FPS 30) é mais base que filtro, mas com uma relevante proteção solar. Tem um efeito aveludado, mas um pouquinho escuro para minha pele, por isso, prefiro usá-la à noite. A embalagem de 30ml da base matificante custa R$50,60. 
Quem disse, Berenice? (base em pó - FPS 25) não importa qual seja o filtro, finalizo com essa base em pó para tirar o brilho. Já testei o FPS em um dia que me esqueci do filtro e tinha apenas a base em pó na bolsa. Aprovado! R$53,90.
SpectraBan: (FPS 35) é bem fluida, porém com boa cobertura. A primeira marca a levantar a dúvida se "é base ou protetor" tem 4 tonalidades e é uma das mais baratas, a embalagem de 60g custa em torno de R$40,00.
        Por último, minhas esponjinhas, que considero a melhor forma de espalhar a base (nem dedos, nem pincel). Não fico sem.
         Vamos lembrar a propaganda?




* Preços pesquisados na internet, em julho/2015.

30 de junho de 2015

Passaredo: falta de segurança e desrespeito

Voo das 22:35h saiu às 3:50h da manhã: 5h15min de atraso, sem definição,
 sem hotel, sem mala.
        Mais um voo problemático, mais uma situação de desrespeito das companhias aéreas para com seus passageiros. Um amigo blogueiro diz que essas coisas acontecem conosco para termos o que contar no blog.

 
A tranquilidade dos funcionários da TAM após duas horas de atraso,
a irritação dos passageiros depois de 4 horas sem definição,
remarcação no balcão às 4:40 da madrugada e
 uma das aeronaves da Passaredo no aeroporto de Ribeirão Preto.

   Pois bem, desta vez, para garantir que pudesse contar a história aqui, optei por não arriscar minha vida em uma aeronave da Passaredo  com manutenção duvidosa e voltei de ônibus de São Paulo a Ribeirão Preto. 
  Meu voo de Guarulhos a Ribeirão deveria ter saído do aeroporto de Cumbica às 22:35h e a decolagem foi abortada, já na pista, por problemas em um dos motores, conforme informações do comandante aos passageiros. Voltamos, sem a bagagem, para a sala de embarque do Terminal 4 de GRU e ali ficamos, sem manifestações por parte da empresa, até às 2h30min, horário em que foram distribuídos vouchers de R$19,90, pois o voo já completava 2 horas de atraso.
     Após 4 horas de atraso não havia definição sobre o voo, os agentes repetiam apenas que a aeronave estava em testes. Questionados sobre o atraso e a responsabilidade da empresa aérea em acomodar os passageiros, a resposta foi que poderíamos aguardar o transporte para seguir para o hotel "sem bagagem". Obviamente ninguém aceitou e os ânimos se exaltaram muito! O horário mais próximo de voo era para o dia seguinte ao que o voo deveria ter decolado (23/06), ao meio dia. Para alguns passageiros com outros destinos a única opção oferecida foi o voo do dia seguinte (24/06) no mesmo horário: 22:35h .
      Aos passageiros com destino a Ribeirão Preto foi dito que o transporte seria feito em ônibus com reembolso do trecho, mas esse ônibus nunca chegou e após a decolagem do voo às 3:50h, na 'mesma aeronave que apresentou problemas', disseram que a opção foi descartada e quem optou por não embarcar deveria remarcar o voo para o dia seguinte. Nisso já eram 4:40h (veja o vídeo abaixo) e depois de muita discussão diante do balcão fomos enviados, a nosso pedido, de táxi até o Terminal do Tietê para terminarmos a viagem de ônibus.
      Agora começa a luta para receber o reembolso, que já sei que será bem chata, pois já passei por situação parecida com a Passaredo (contei aqui) em 2010 e a enrolação fora do aeroporto é tão grande quanto dentro dele. Aliás, em 2010, eu não aceitei o reembolso em créditos pois não pretendia viajar com a empresa nunca mais. Cinco anos depois, um horário conveniente me fez mudar de ideia e... mais uma decepção. Dessa vez levei tão a sério minha determinação que voltei de ônibus.

Mais algumas informações relevantes:
- A Passaredo  é um empresa pequena, sediada em Ribeirão Preto, e por aqui é chamada de Passa'm'edo;
- A Passaredo é parceira da TAM, pela qual alguns passageiros fizeram suas reservas. O desrespeito é o mesmo: leia aqui.
- Não é difícil encontrar pela internet notícias de situações bem parecidas com a que passei:

- No Reclame Aqui são 698 reclamações no último ano;
Minha dica? Evite problemas, evite a Passaredo.
video



28 de junho de 2015

Campos do Jordão - Índice de postagens


          De 21 a 24 de maio/2015 participamos da 1ª Blog Trip Campos do Jordão. Além do De Turista a Viajante, participaram outros 7 blogs. Nossas impressões sobre a cidade mais alta (e fria!) do Estado de São Paulo estão abaixo:

- Aguce seus sentidos em Campos do Jordão
- Sabores de Campos do Jordão
- Pousada das Hortênsias
- Amantikir, jardins que falam


Leia mais sobre Campos do Jordão em outros blogs que participaram da 1ª Blog Trip #vempracampos:

- Trilha Marupiara, por Kellen Bittencourt
- Da Porta pra Fora, por Gustavo Torres e Adriana Lima
Viveajante, por Ricardo Serpierro
- Só Viagem, por Daniela Duarte e Camila Craveiro
- Viagem Criativa, por André Mota e Dani Krugets
- Retrip, por Antônio Rômulo Jr.
- Trippolis, por Daniela Polis

27 de junho de 2015

Destinos de Inverno







http://www.deturistaaviajante.com/2013/10/balneario-camboriu-sc-indice-de.html
Balneário Camboriú - SC



http://www.deturistaaviajante.com/search/label/Bento%20Gon%C3%A7alves
Bento Gonçalves - RS



http://www.deturistaaviajante.com/search/label/Campos%20do%20Jord%C3%A3o
Campos do Jordão - SP



http://www.deturistaaviajante.com/2012/09/conclusoes-sobre-gramado.html
Gramado - RS

http://www.deturistaaviajante.com/2013/06/bariloche-indice-de-posts.html
San Carlos de Bariloche - AR


http://www.deturistaaviajante.com/search/label/Esquel
Esquel - AR


http://www.deturistaaviajante.com/2013/02/esqui-na-pennsylvania.html
Pennsylvannia - EUA

http://www.deturistaaviajante.com/2014/05/indice-de-postagens-santiago-do-chile.html
Santiago do Chile

25 de junho de 2015

Memorial da América Latina

Praça do Sol e a escultura símbolo do memorial - A mão, de Oscar Niemeyer

        Você pode ir para São Paulo a negócios ou a trabalho (o mais comum de acontecer) e sem nenhuma mala, mas se tiver um tempinho sobrando não perca a oportunidade de voltar com um pouco mais de peso na bagagem cultural. Para quem estiver na região da Barra Funda, a esticadinha até o Memorial da América Latina é uma ótima opção.

Escultura "Grande Flor Tropical", de Franz Weissmann, escultar nascido na Àustria.

         O espaço de mais de 80 mil m2 respira e transpira cultura em todos os espaços do conjunto arquitetônico projetado por Oscar Niemeyer onde estão reunidas, desde 1989, centenas de obras que retratam as manifestações artísticas latino americanas. Entre elas há exposições permanentes e sazonais, todas com acervo igualmente rico e interessante.

Alguns dos painéis do projeto "Etnias - Do primeiro e sempre Brasil", de Maria Bonomi,
localizado em uma galeria no subsolo do Memorial. Produzidos em barro, bronze e alumínio.

      O Pavilhão da Criatividade Darcy Ribeiro (do outro lado da passarela), por exemplo, tem um acervo de aproximadamente 4 mil peças artísticas do Brasil, México, Peru, Equador, Chile, Uruguai, Paraguai, Bolívia e Guatemala. A proposta de Darcy Ribeiro, foi a de transmitir a ideia de integração entre os povos da América Latina.

Maquete da América Latina, no Pavilhão da Criatividade.

        Entre as peças da exposição permanente desse pavilhão há um espaço no piso coberto por material transparente sobre o qual é possível caminhar que deixa visível uma maquete da América Latina produzida com miniaturas.
       As manifestações folclórico-culturais de todos os povos citados estão representadas em roupas, peças decorativas, objetivos utilitários, festas, danças e muito mais. São peças produzidas por autores anônimos, porém legítimos representantes entre os artesões latino-americanos.


      As exposições temporárias, como a Soal (Salão de Outono da América Latina) trazem obras assinadas por artistas contemporâneos e a criatividade é sempre um ingrediente presente nas obras. Sejam quais forem suas preferências artísticas, no Memorial você encontrará algo que lhe agrade.
        Dica: entre ou vá até a entrada principal, onde ficam hasteadas as bandeiras, e passe pelo centro de recepção (à esquerda) para pegar o folder da programação e pedir informações que lhe guiem na visita. A galeria subterrânea com os painéis "Etnias", por exemplo, teria me passado totalmente despercebida se não tivesse sido indicada por um dos atendentes da recepção que me indicou um circuito a ser seguido sem perder nada.

Exposição do Soal, na galeria Marta Traba, em maio/2015.

       É possível fazer a visita guiada (e grátis) em grupos pré-agendados, de terça a sábado, a duração aproximada é de 2 horas. Gostou? Veja mais informações no site do Memorial.