Turismo: cursos online e gratuitos

                Não importa se você é viajante, turista, turismólogo ou bloggeiro de viagem, alguma utilidade você há de encontrar nos Cursos de Eventos, Turismo e Hotelaria, da iPED, que além de online e gratuitos ainda emitem certificados para serem impressos.
                  Para se matricular, basta um cadastro rápido. Há cursos pagos e gratuitos, sendo que todos os cursos grátis possuem também versões mais completas que são pagas. A opção é feita na hora da matrícula em cada um dos cursos, como na imagem abaixo:


                  Ao iniciar o curso, o sistema fornece um cronograma para auxiliar o aluno na organização de seu tempo para as atividades, conforme imagem a seguir:



           Eu gostei muito dos temas e separei alguns que quero fazer. Escolha uma das sugestões abaixo  e clique sobre o link para aprender um pouco mais sobre turismo:

Agenciamento turístico
Degustação de Vinhos
Ecoturismo
Elaboração de roteiros turísticos
Fotografia
Planejamento turístico

Mais um - esse é da Escola Virtual Portogente:
Turismo e Hotelaria



Cristais de Gramado - RS


       Um passeio muito interessante, principalmente porque é gratuito. Claro que o objetivo da loja/fábrica é chamar clientes para seu show room e incentivar as vendas, mas a Cristais de Gramado faz isso de maneira muito criativa e em nenhum momento me senti pressionada a comprar. Os vendedores deixam todos muito à vontade e nem teria como ser diferente pois a loja está sempre cheia e os funcionários sempre atendendo alguém.





      
       Logo na entrada os visitantes são recebidos por recepcionistas com roupas e máscaras ao estilo dos carnavais italianos para lembrar a origem da técnica do cristais em estilo 'di murano' que são moldados por meio do sobro e de acabamentos manuais que produzem como resultado peças únicas e exclusivas em suas cores e formas.





   

   Eu já havia visto a produção dessas peças em Poços de Caldas, onde é proibido fotografar e a produção é vista por uma vidraça, e gostei muito, por isso quis ver novamente.
     Porém, diferente do que acontece em Poços de Caldas, em Gramado é possível fotografar e há uma arquibancada para acomodar os visitantes.





     A produção é acompanhada desde a retirada da massa incandescente do forno até a finalização da peça. Cada etapa é acompanhada de explicações do artesão que através de um microfone vai relatando cada uma das fases de produção.








         A vontade, claro, é sair dali e levar tudo que tem na loja, mas os preços não são tão atrativos, aliás são bem altos como pode se ver no site. Além disso é bem difícil garantir que peças tão delicadas cheguem intactas do Rio Grande do Sul até São Paulo. Vinhos eu até arrisco a trazer dentro da mala, mas cristais...







      Além de peças de decoração, não só de cristal há também molduras e máscaras italianas, por exemplo, há também semijoias com pedrarias e peças exclusivas gravadas em laser em chaveiros, porta-retratos e outras objetos decorativos com nomes e fotos.
      Não dá pra resistir, eu trouxe dois anjinhos de 4cm cuidadosamente embalados em plástico bolha e caixinhas de papelão, chegaram perfeitos e estão juntos com os bichinhos trazidos de Poços de Caldas.



 
    Embora, seja uma atração gratuita é bom pensar na logística para aproveitar o caminho de outras atrações para não perder tempo. Nós, estávamos indo para o Gramado Zoo e demos esta paradinha no caminho.
     Recomendo!



Passeio de Maria Fumaça - Bento Gonçalves - RS



            Já falei sobre esse passeio em um outro post, da viagem anterior, quando estivemos em Gramado-RS em 2012. Na ocasião estávamos apensas eu e meu marido e adorei todas as atrações do dia em Bento Gonçalves: as vinícolas, as degustações, o passeio da Maria Fumaça. Claro que desta vez com minhas filhas quis repetir e qual não foi minha surpresa ao constatar que elas não estavam achando o trem tão interessante assim, ou seja, é um passeio que agrada a 8 'ou' 80, e não 'de 8 a 80'. 


             As crianças amam pois o trem 'de verdade' é novidade e os adultos gostam da história, da volta ao passado, de fazer parte do cenário onde foram gravadas cenas do filme "O Quatrilho", por exemplo. Já os adolescentes... minhas filhas de 15 anos nem disfarçaram, passando a impressão de que queriam que o passeio acabasse logo!

Vagão original
               Por quê? Tenho algumas hipóteses. O trem é muito lento, adrenalina zero, o oposto do que agrada aos jovens. Além disso as atrações interativas com grupos teatrais e músicos que convidam os passageiros a participar podem deixar algumas pessoas mais tímidas constrangidas, meu marido, por exemplo, já se acomoda no assento do trem e começa a repetir: "Eu não vou dançar, eu não vou dançar..." Tá bom, eu vou!



                Se voltar a Bento Gonçalves, provavelmente não farei o passeio pela terceira vez, pois toda a novidade já se esgotou, mas sem dúvida eu recomendo. As apresentações são boas, a paisagem das serras gaúchas é interessante, há uma parada para degustação de vinho e suco de uva na estação de Garibalde, para isso você já ganha a tacinha antes de embarcar, que tem um lugar especial para ser guardada no trem, assim suas mãos fiquem livres para bater palmas e dançar o quanto quiser.


              Na parada intermediária entre a estação de embarque e de desembarque, também há uma atração musical onde o ponto alto é a canção La Bela Polenta. Nessa parada é o hora de fotografar no vagão original, para quem quiser conhecê-lo. Para saber mais visite o site da empresa responsável pelo passeio.



                 Enfim, fica a dica: se estiver com "aborrecentes", pense antes de fazer o passeio, nunca se sabe o que estão querendo. Sobre o Mini Mundo (em Gramado), por exemplo, eu tentando encontrar um tempinho no roteiro para levá-las e ouvi o comentário "Mas não é só um monte de coisas pequenas?" Desisti!


Casa Valduga - Vale dos Vinhedos _RS

        Saímos da menor das vinícolas (Vinícola Torcello) para uma das maiores: a Casa Valduga, de onde saíram os vinhos degustados por Barack Obama nas recepções do Itamaraty, em sua primeira visita ao Brasil. A Casa Valduga é, desde 2011,  a vinícola oficial das cerimônias do governo brasileiro.
Durante a visita, todo mundo de toca.
             A visita guiada acontece de hora em hora e custou R$20,00 com a taça personalizada para a degustação que depois segue com você como lembrança. Como nas outras vinícolas menores de 18 anos não pagam. Achei interessante que essas informações sobre a exclusividade dos rótulos da casa nas cerimônias do Itamaraty nem foram citadas na visita, entendo como um ponto positivo não se basear nesse marketing e sim na qualidade dos vinhos produzidos.


            A visita começa com um vídeo sobre a história e a produção da vinícola e depois segue-se para a adega que é enorme, onde começa a degustação e as explicações sobre a temperatura e luminosidade ideal para armazenamento do vinho. A penumbra se mantém por todos os espaços, por isso as fotos escuras. Nesse ambiente fica bem fácil concordar com a observação do guia sobre o porquê não comprar vinhos nos supermercados onde as garrafas ficam sob uma luz intensa, ar condicionado e geralmente em pé nas prateleiras.

Sabrage
        O mais diferente nesta visita é a demonstração do sabrage, o ritual de origem francesa, inventado por Napoleão, em que a garrafa de espumante é aberta com um sabre.

A rolha retirada no sabrage, junto com o gargalo da garrafa.
            A imagem abaixo tem um passo-a-passo de como é feito, mas sinceramente não vou me arriscar a fazer em casa. O interessante é ver quem sabe o que está fazendo.
             Depois de muita degustação de vinhos e espumantes (4 ou 5) a visita se encerra na loja, onde além dos rótulos da casa, você encontra também o sabre, se quiser tentar em casa o que aprendeu (?).


         A partir da loja há uma escadaria que leva a um mirante de onde é possível ver toda a propriedade que inclui também um hotel cujos hóspedes participam de um mini curso que não formará enólogos, mas certamente apurará o paladar dos apreciadores de vinhos.


               A Vinícola Valduga é um lugar muito agradável de se estar, onde cada cantinho é cuidadosamente caprichado. O site  disponibiliza dois arquivos em PDF para aprender sobre harmonização:


Saúde!!

Patê verde - Sabor da infância

        Sabor de infância: Quem tem mais de quarenta anos foi a várias festinhas infantis onde os salgadinhos de hoje eram os pães de forma com patê de outrora. Pois meu marido invocou que estava com vontade do tal patê verde que era feito com maionese, sardinha e cheiro verde. Mas em tempos de colesterol alto não dá pra repetir a receita calórica e não ter peso na consciência, então fiz algumas adaptações e ele disse que enganou bem:

Ingredientes
50g de ricota amassada
1 copo de iogurte natural
1 lata de atum light
meia cebola
sal e outros temperos a gosto
cheiro verde até que baste

Modo de fazer
Bata tudo no liquidificador e sirva com torradas ou o tradicional pão de forma cortado em triângulos.