Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

4 de dezembro de 2010

Final da OLP em Brasília


OLP 2010
Desses 7 milhões de alunos, restaram 152 finalistas e entre eles estava minha aluna.


      Nos 3 dias que passei em Brasília (28, 29, 30/11/2010) para a final da Olimpíada de Língua Portuguesa não consegui ver mais do que já havia visto em setembro. Voltei aos mesmos pontos do Plano Piloto pois o roteiro turístico foi programado para mostrar o básico a quem visitava pela primeira vez.

       O que me enriqueceu ali foram as histórias de vida de gente do país inteiro. Não trouxemos a medalha de ouro, mas comigo vieram histórias e lembranças que jamais serão esquecidas.


OLP 2010
         A cerimônia de encerramento foi no Teatro do Museu Nacional com show de Adriana Calcanhoto, apresentação de Rosi Campos e Cássio Scapin e as presenças do Ministro da Educação Fernando Haddad e do presidente Lula.

OLP 2010


        Valeu muito a pena. Em 2012 quero estar lá outra vez.

OLP 2010

23 de novembro de 2010

Museu do Futebol

Museu do Futebol - São PauloMuseu do Futebol - São Paulo
         Meu principal interesse nesse bate-volta até São Paulo era conhecer o Museu do Futebol. Eu imaginava que ficaria tão deslumbrada com a tecnologia de um museu interativo quanto fiquei quando visitei o Museu da Língua Portuguesa. Concordo que a comparação não tem muitos parâmetros, principalmente porque sou professora de Português, mas o Museu do Futebol me decepcionou um pouco.
         É muito cheio de "não pode". Como estávamos em grupo, antes de entrar, foi feita uma pequena reunião com um dos guias do museu para explicar tudo que "não pode": entrar com alimentos e/ou água, entrar com mochilas, fotografar, voltar em lugares já passados, etc, etc
Tantos cuidados se justificariam se fosse a 8ª Maravilha do Mundo, mas não é tudo isso. Depois de uns 15 min andando, olhando e ouvindo; andando, olhando e ouvindo; um dos colegas do grupo me disse que ainda não tinha entendido o que havia ali para "não poder" fotografar ou para tanto medo de serem roubados. Estávamos diante da réplica da Jules Rimet e eu respondi que a única explicação era que aquela ali devia ser a taça original disfarçada.
        A história do futebol brasileiro está toda ali, sem privilégio de um time ou outro, o que deve decepcionar um pouco aos visitantes corinthianos. Mas história relaciona-se com memória, coisa que as crianças ainda não têm e por isso as salas cheias de fotos e vídeos não prendem a atenção delas. A preferência infantil é o "Chute ao Gol" em que a velocidade do chute é informada num marcador digital. Mas um chute só, o funcionário fica ali pra avisar que "não pode" voltar na fila. O cinema em 3D com Ronaldinho Gaúcho fazendo embaixadinhas também chama a atenção, só que começa e termina com as tais embaixadinhas e as crianças saem do espaço com um olhar interrogativo: "É só isso?" No chão de algumas salas há um campo projetado por um equipamento do teto com bola virtual que pode ser "chutada" de um lado para outro. Faz o maior sucesso quando funciona e se não estiver funcionando não espere por nenhuma atitude dos monitores, fica como mais uma atração para se olhar.
            As fotos acima são dos únicos espaços onde podem ser tiradas. Em compensação seu "Chute ao Gol" é fotografado e com o número do seu ingresso você a encontra no site do museu, "se" o serviço estiver ativo, no dia em que fui não estava. Mas você pode levar uma lembrança da lojinha para provar que esteve lá, já que não vai ter suas fotos para fazer isso, desde que esteja aberta. Não estava no dia em que eu fui.
         Enfim, o Museu do Futebol é para adultos. Os pais mais empolgados, querendo iniciar seus filhos no esporte, podem ficar frustrados com o desinteresse dos pequenos após a visita. É passeio para se fazer uma vez e basta.

22 de novembro de 2010

Um domingo paulistano


Localização de pontos turísticos no centro de São Paulo.
     Sou paulistana por nascimento, mas morando há tanto tempo no interior do Estado, a capital fica meio assustadora pois a imagem guardada na mente é sempre das tomadas aéreas mostrando o caos no trânsito. Por isso, ir à São Paulo resume-se geralmente ao que é necessário: compras ou aeroporto.

     Ontem fomos passear em família acompanhando o grupo de escoteiros do qual minhas filhas fazem parte. São Paulo oferece inúmeras opções culturais e de lazer, mas numa cidade tão grande, mesmo num domingo em que o trânsito está "tranquilo", é preciso ter um roteiro pré-definido, com atrações não muito distantes umas das outra. O nosso era: Museu Cata-vento e Museu do Futebol.

     No centro histórico da cidade e arredores há diversas opções além destas escolhidas: Mercado Municipal, Pateo do Collégio, prédio do Banespa, Museu da Língua Portuguesa, Pinacoteca do Estado entre outros onde transbordam cultura e conhecimento.
Museu Catavento

      Começamos pelo Museu Catavento e as crianças (de todas as idades) amaram ver, tocar, entrar, enfim experimentar as opções que o Museu oferece. Até levar choque em nome da Ciência fica divertido. É um lugar para se ir sem pressa, principalmente com crianças, pois a maior parte das salas é interativa e eles querem experimentar tudo.

Museu catavento





     

Museu catavento





    Eu me cansei bem antes da turminha de escoteiros e lobinhos e me sentei em um dos corredores para ver o movimento. Percebi que é um dos programas de domingo das famílias paulistanas com crianças. Havia muitas se divertindo com as experiências de física e mecânica, nos ambientes com ilusão de óptica, no cinema 3D... há tanta coisa por ali que passamos a manhã inteira e eu não consegui ver tudo.

        Como não poderia deixar de ser, tanto pela proximidade quanto por ser um programa típico, fomos almoçar no Mercado Municipal. As opções de alimentação são inúmeras, mas a dúvida ficou entre comer o pastel enorme ou o gigante pão com mortadela. Eu e meu marido optamos pela mortadela com queijo (R$11,00) e as crianças pelos pastéis. O lanche é delicioso, só não sei onde pesa mais: na consciência ou na balança.

Mercado Municipal de São Paulo
     O movimento estava bem intenso, apesar de ser domingo parece que metade da cidade e mais alguns turistas resolveram almoçar por ali. Havia fila e empurra-empurra em todos os boxes principalmente onde se vende os famosos pastéis e o lanche de mortadela. Lugar para sentar também é privilégio para poucos, mas dá pra se ajeitar.
     Aproveitei o tempinho restante para experimentar uns morangos enormes e comprar uma posta de quase 2kg de bacalhau. Nosso tempo por ali foi curto, pois tínhamos ainda o Museu do Futebol para visitar. Mas vou deixar para o próximo post.
Prédio do Banespa - SP
Vista do prédio do Banespa a aprtir da frente do Mercado Municipal

17 de novembro de 2010

Brasília de Dimenstein

Brasília desde a Torre de TV
Vista desde a Torre de TV
Eu adorei Brasília. (ponto final)
Fiz meus comentários positivos sobre a capital brasileira em outro post do blog e um "anônimo" deixou um recado sugerindo que eu devo estar louca. Respondi que ser "turista" no DF é diferente de ser "morador" e citei os "Ds" de Gilberto Dimenstein.
Retomei o assunto porque estou muito feliz em voltar lá. Para mim, Brasília foi o deslumbramento que eu esperava ver na arquitetura, nos jardins, no plano piloto. Devo ter passado tanto entusiasmo com a possibilidade da viagem que minha aluna disse depois da cerimônia de premiação da OLP:

_ Se eu não ganhasse essa medalha de prata, eu iria chorar.
E eu respondi, muito brava:
_Como assim? Depois de tudo que conversamos?! Então se você não ganhar a medalha de ouro, que só 5 estudantes do país terão, você vai chorar??
_Não, professora! Mais aí eu já vou estar em Brasília.

Achei pertinente postar aqui o texto de Dimenstein para reafirmar que concordo com ele:

Os "Ds" de Dimenstein

   Dizem que o morador de Brasília passa por quatro "Ds": deslumbramento, decepção, desespero e, por último, demência. O estágio da demência se manifesta quando o indivíduo passa a gostar da cidade e não se muda mais daqui. Felizmente, estou livre dessa sequência de "Ds": sou um apaixonado pela cidade, apesar das minhas raízes paulistanas.
    O leitor talvez imagine que sou maluco, mas, numa situação normal, não deixo Brasília por nenhuma cidade do mundo -nem Roma nem Jerusalém, outras paixões. Por que gosto de Brasília? Sinceramente: não sei. Só sei que gosto. Claro que minha Brasília não é a cidade dos políticos, dos ministros, dos barões ou lobistas. Essa é a cidade do poder que, de fato, fede na sua bajulação.
     Tirando a péssima paisagem composta pelos homens do poder, adoro esse contato próximo com o céu sempre azul, como se estivéssemos protegidos por uma cúpula. Quando vier a Brasília, preste atenção: o céu é algo próximo, parece ser possível tocá-lo. Adoro a sensação de sempre ter vista para o infinito, como se não houvesse limites. Adoro (e muito) as esculturas do Oscar Niemeyer, perdidas neste cenário. Os críticos afirmam que os prédios do Niemeyer são ótimos para ver e péssimos para habitar.
     Como não sou e não quero ser governo, esse problema não me toca.
      Brasília tem todos os dias um delicioso jeito de final de sábado, de calma permanente. Não temos trânsito, o ar é limpo. Vive-se aqui o mundo e o Brasil, por sermos o centro. Mas, ao mesmo tempo, partilhamos da intimidade de uma pequena cidade de interior.
     A escritora Isabel Allende diz que nossa cidade é onde estão enterrados nossos mortos. Digo que nossa cidade é onde nascem nossos filhos; os meus nasceram aqui e como eu adoram essa abundância de espaço, que me faz lembrar a imagem que tenho da alma brasileira, generosa em seus limites.
     Fico aborrecido com as críticas contra a cidade. Atacam: aqui moram ladrões. Só esquecem de dizer onde nasceram, foram criados e aprenderam a roubar. Não dizem que, acaba a semana, voltam para suas cidades. Outros garantem que a solução estaria na volta da capital para o Rio; parecem se esquecer que nenhum lugar se deteriorou tanto como o Rio. Portanto, a culpa não é da capital, mas dos homens. Talvez o leitor imagine que estou, na verdade, no estágio da "demência". Quem sabe. O fato é que desde janeiro, quando me decidi mudar para Nova York, já estou com saudades.

Gilberto Dimenstein, do Conselho Editorial da Folha de S. Paulo

Dia da Criatividade

Selo

         Dia 17 de novembro é o "Dia da Criatividade", mas blogueiros que são criativos o ano todo merecem ser homenageados em qualquer data.
         Se você já se perguntou enquanto lia um blog: "Por que não pensei nisso antes?", sabe o que é reconhecer a criatividade alheia.
         Então vamos à brincadeira. Vou indicar 5 blogs, linkados com os referidos posts que me fizeram pensar nessa pergunta, e esses vão indicando outras postagens criativas.

Lembrando:
1- Escolha 5 blogs criativos para presentear com o selo.
2- Faça uma postagem, indicando de quem você ganhou o selo e para quem vai enviar.
3- Link as postagens mais criativas que você já leu na blogosfera.
4- Copie e cole o selo no seu blog para que todos saibam que sua criatividade foi reconhecida.

Por que não pensei nisso antes?
Blog Ideias
Sou do Lar
Dicas Domésticas
Moda Evart

Leia também: Sacolas Criativas

15 de novembro de 2010

Passeios por Curitiba

Conheci tão pouco de Curitiba, mas o encantamento foi grande.
Jardim Botânico - Curitiba
O Jardim Botânico é imperdível e dispensa muitas explicações pelo tanto que já foi explorado em novelas globais. É um lugar agradável de se estar. Fiquei muito feliz em ver que ele tem vida própria, não existe apenas para decorar cartões postais. É facílimo identificar quem é turista e quem é morador da cidade quando se está ali dentro. O primeiro tem uma máquina fotográfica nas mãos registrando tudo o que vê; já o curitibano não precisa disso, ele vai voltar quantas vezes quiser e vai guardar na memória os bons momentos passados ali brincando com os filhos, andando de bicicleta, fazendo caminhada com os amigos, exercitando-se com o grupo da melhor idade, empurrando o carrinho do bebê... Mas, para quem só resta fotografar, há ângulos maravilhosos.
Logo na entrada há uma lanchonete e uma lojinha com lembranças da cidade... e só! Nada de ambulantes! Ufa!!

Ópera de Arame
Ópera de Arame - Curitiba

A Ópera de Arame é um teatro construído todo em ferro e vidro em meio a um área verde. Para chegar até o auditório, atravessa-se por uma ponte no mesmo estilo sobre um lago. É lindo! Lugar para se "ver" em dias em que não há apresentações e em dias de espetáculo deve ser difícil se concentrar nos artistas e parar de apreciar a arquitetura. Isso me fez lembrar de uma palestra com Pasquale Cipro Neto que assisti no Teatro Pedro II, em Ribeirão Preto. Antes de começar a falar, ele olhava para todo o teatro a partir de uma mesa colocada no centro do palco e comentou: "Como esse teatro é lindo!"

Pedreira - Curitiba
Pedreira - Curitiba
A Pedreira fica ao lado da Ópera de Arame. Pelo que entendi, depois de desativada a antiga pedreira, o espaço foi aproveitado para a realização de shows e eventos que não acontecem mais por ali. É mais um parque na cidade. Não há muito o que se fazer por ali, mas para quem foi ver a Ópera de Arame não custa dar uma voltinha.
Em frente a esses dois pontos há uma lojinha com artigos típicos da cidade: vinhos, chocolates, lembranças... Mesmo quem não queria comprar nada foi dar uma olhadinha primeiro porque mulher não resiste a uma loja e segundo porque a decoração (um pouco duvidosa) é muito chamativa. Tira-se tantas fotos por ali que o proprietário deixa uma caixinha para contribuições de quem se utilizou do cenário.
O final desses dias na capital paranense não poderia ser melhor. Minha aluna foi classificada para a próxima fase da Olimpíada de Língua Portuguesa e, com a medalha de prata no pescoço, nem é preciso desfazer as malas pois no final do mês estaremos em Brasília.

Eu conheci bem menos do que gostaria, mas encontrei um site para saber tudo sobre a cidade: Parques e praças de Curitiba
logo mala

7 de novembro de 2010

OLP2010, Curitiba-PR

Curitiba

De 03 a 06 de novembro

      Chegou o dia tão esperado! Pela primeira vez, minha aluna viajou de avião... e adorou! Voltou até fazendo comparações entre as companhias aéreas...
      Não fomos pela Passaredo. Por um desses mistérios indecifráveis, em vez de voo direto Ribeirão-Curitiba, nos acomodaram em um voo da TAM com conexão em São Paulo/Congonhas. Mas tudo é festa!


           Fomos recebidas pela equipe da OLP no aeroporto Afonso Pena, que não fica em Curitiba e sim em São José dos Pinhais. Do aeroporto até o hotel no bairro de Santa Felicidade são 50 min com trânsito normal. Meio longinho, heim!
           O hotel Tulip Inn é bem simpático, com ponto para internet nos quartos e 8 salas de reuniões. Por isso foi escolhido, era preciso espaço para reunir alunos e professores seprados em 8 grupos.


Curitiba
          Bem em frente fica a Vinícula Durigan que fez com que minha mala voltasse pesando 26 kg. Trouxe vinhos, suco integral de uva, vários potinhos de doce de leite e geléia de framboesa. Jamais aguentaria trazer tudo isso na bagagem de mão, então contei com a sorte e fui acomodando quase tudo entre as roupas da mala despachada. Graças a Deus chegou tudo inteirinho!


Curitiba no Natal

           Bem pertinho dali também fica a Casa dos Bonecos onde você encontra tudo que conseguir imaginar sobre enfeites de natal. Fotos só pelo lado de fora.
           Os restaurantes são lindos, enormes e, pelo menos nas noites de quarta e quinta-feira, quase vazios.
            Consegui dar uma voltinha por essa rua no dia em que cheguei e na noite seguinte, tudo muito corrido, mas deu pra ver que é um bairro muito organizado, bom para se hospedar.

25 de outubro de 2010

Etiquetas personalizadas

Tags personalizadas para malas. Brinde da KLM


Oba, recebi minhas etiquetas personalizadas da promoção da KLM. Já vou usá-las na viagem para Curitiba. Não são essas aí do lado, mas chegaram num envelope exatamente assim.



Achei que usar uma imagem pessoal ficaria muito indiscreto, então escolhi uma foto da Esquadrilha da Fumaça tirada em Brasília. As 2 etiquetas Foto usada em tag para mala.enviadas têm o tamanho e a textura de um cartão de crédito. Atrás são impressos os dados de identificação do dono da mala.



Muito legal, pena que a promoção do site acabou! Mas quem estiver interessado pode assinar a News Letter e aguardar que a promoção volte. Adorei as minhas!

20 de outubro de 2010

Preparativos para Curitiba

Estou até estranhando viajar sem me preocupar em planejar nada. Já está tudo resolvido pela equipe da Olimpíada de Língua Portuguesa. Juntando essa comodidade ao tanto de papelada que tenho que providenciar, acabei não conhecendo bem a cidade virtualmente antes de chegar a ela.
São 3 dias quase que totalmente ocupados por atividades, então nem adianta fazer planos, pois dificilmente sairão do papel. O hotel é o Tulip Inn, em Santa Felicidade que é o bairro mais turístico de Curitiba e o centro gastronômico da cidade. Pelo jeito estaremos bem localizados, só não sei se conseguirei aproveitar essa localização privilegiada.

Se sobrarem algumas horinhas livres vou tentar fazer o passeio com o ônibus turístico que custa R$20,00 e passa pelos principais pontos turísticos da cidade. É possível parar em 5 pontos diferentes para conhecer melhor, mas se conseguir fazer o passeio com certeza terei que fazer o trajeto de 45 km em 2h30min, sem descer do ônibus. Fiz esse tipo de passeio em Brasília e gostei muito.




As passagens aéreas estão sendo providenciadas pela OLP e pelo jeito lá vou eu de Passaredo de novo! Voo direto de Ribeirão Preto à Curitiba e estarão me aguardando no aeroporto para o transfer até o hotel. Tudo fácil demais! Estou acostumada a pesquisar preços, hoteis, roteiros... assim, com pessoas resolvendo tudo por mim, nem parece que vou viajar...rs
Enfim para quem tiver mais tempo do que terei na cidade, vale a pena conhecer as opções:

16 de outubro de 2010

Curitiba, lá vou eu!

LOGO OLP

Existe coisa melhor para quem ama viajar que ganhar uma viagem?! Pois eu ganhei, eu ganhei!! Serão 3 dias em Curitiba!!
Não há reconhecimento maior para um professor de Português que ser classificado na Olimpíada de Língua Portuguesa que acontece de 2 em 2 anos e envolve alunos de todo o país. Na edição de 2008 eu acompanhei um aluno à São Paulo e agora vou acompanhar uma aluna à capital do Paraná.
A notícia não poderia ter chegado em dia melhor: no Dia do Professor. Por volta das 17:30h recebi um telefonema me parabenizando duplamente, pela data e pela classificação de minha aluna. Agora estou aqui, sem conseguir dormir de tanta felicidade!
Esse é texto classificado entre as 125 melhores crônicas do páis:
Entre o céu e a terra

             Dizem que aquela estátua gigante fará de Sertãozinho um lugar mais famoso e frequentado por turistas. Pode até colocar o nome da cidade na previsão do tempo do Jornal Nacional, onde são mencionadas só as mais conhecidas. O Cristo Redentor “caipira”, como já foi chamado, será mais alto que o irmão carioca. Será. Mas quando?
             Olhando aquele monumento inacabado dá pra imaginar em que estaria pensando o grande Cristo que repousa ao lado de um pedestal ainda maior, sobre o qual não conseguiu erguê-lo a capacidade humana. Multiplicar os pães e andar sobre as águas realmente são ações divinas.
             “Aqui estou, como outros, construído em local de destaque para que a homenagem seja vista ao longe. Onde me colocam sempre me torno, além de objeto de crença, motivo de orgulho para as cidades que me recebem.
              Por enquanto, a única coisa que vejo à minha frente são folhas da mata que me esconde quase totalmente, mas ao meu lado tenho um trono e quando estiver sobre ele, verei inteira a cidade que me foi dada para abençoar.
              Aguardo o dia em que finalmente verei Sertãozinho do alto e pairando sobre a imensidão verde dos canaviais, poderei avistar suas usinas, ouvir suas indústrias anunciando o novo dia de trabalho e sentir o cheiro do garapão trazido pelo vento.
              São quase 2 anos de espera! Por que adiam tanto minha inauguração? Sei que não faltam pontos de encontro, mas eu também reunirei pessoas ao meu redor que poderão me visitar e conhecer a prosperidade da cidade que me acolhe.
              O tempo mudará minha cor, seja pela fuligem negra da queimada da cana ou pelo vermelho da terra fértil, porém gostaria que me conhecessem na cor original, antes do tingimento inevitável.
              Só me resta aguardar que o trabalho há tanto iniciado seja concluído e até lá continuo esperando de braços abertos a vontade de quem está de braços cruzados.”

Stefany Ohana Cardoso dos Santos
Profª Silmara Colombo
EE Anna Passamonti Balardin
Sertãozinho - SP

11 de outubro de 2010

Passaredo - último capítulo

Aeronave da Passaredo Linhas Aéreas             A novela durou exatamente um mês: de 06/09 a 06/10. Mas enfim terminou com final feliz.

            * Primeiro Capítulo: voo de Brasilía a Ribeirão Preto cancelado e remarcado para 27 horas depois.
             * Segundo Capítulo: 2 dias tentando falar com a loja de Brasilía, sem sucesso, para saber em que hotel me acomodariam devido ao cancelamento.
            * Terceiro Capítulo: Como não houve manifestação da empresa, decidi ficar no hotel em que já estava hospedada (Mercure Líder) por mais um dia e meio e brigar por meus direitos quando chegasse em casa.
           *Quarto Capítulo: Já em casa, entrei em contato com o SAC, expliquei o ocorrido e começou a enrolação. Primeiro pediram que eu enviasse por e-mails os notas de meus gastos digitalizadas. Enviei os gastos comprovados com hotel, telefonemas, alimentação e estacionamento do aeroporto.Total R$320,00.
           * Quinto Capítulo: Por e-mail, recebi a resposta de que a empresa cumpriu com tudo que é previsto em lei (???), "mas" visando a satisfação do cliente estavam me oferecendo o valor de R$320,00 em vale-voucher com validade de 1 ano.
           * Sexto Capítulo: Respondi que não aceitava, que queria o valor em dinheiro e entrei em contato com a Anac para saber se eu era obrigada a ceitar essa proposta. Não souberam responder.
           * Sétimo Capítulo: A Passaredo concordou em fazer o depósito em conta e para isso me enviou um acordo extremamente mal redigido e formatado que assinado por mim e com o valor devidamente estornado, encerraria a questão. Corrigi, formatei o texto e devolvi assinado e digitalizado.
           * Oitavo capítulo: Achei que terminasse aqui, no dia seguinte o dinheiro entraria na conta e fim. Mas recebi um e-mail comunicando que o depósito estava previsto para o dia 06/10, um mês depois da data do voo cancelado.
           * Capítulo final: no dia previsto, o valor de R$320,00 foi depositado.

           Muito chato esse post, né! Eu sei, mas tinha que ser. Só assim para mostrar o quanto é difícil conseguir os direitos que estão "garantidos" por lei. A impressão que tenho é que tentam nos vencer pela canseira e deve funcionar em alguns casos, porque realmente é bem cansativo!
           Meu marido já estava querendo "deixar pra lá" outros gastos e tentar receber só valor do hotel. Fui eu que insisti: "Eu quero tudo que gastei. É meu direito e vou receber."
           Se fôssemos um país bem informado, com um povo consciente de seus direitos, muitos advogados ficariam desempregados.

10 de outubro de 2010

Mais espaço na mala



Excelente!!! Mas só funciona para os homens, só minha necessaire encheria a mochila.
Preciso me controlar, numa viagem de 3 dias, minha mala voltou pesando 26kg!!! Fora a bagagem de mão.

18 de setembro de 2010

Não perca as promoções

                   Sorteios não são o meu forte, o máximo que já ganhei foi um milk shake e uma camiseta e era um concurso de frases, não de sorte. Mas adoro promoções de verdade, onde todos podem ganhar e, se ajudarem a deixar as viagens mais baratas, melhor ainda. Abaixo vai uma lista de promoções onde você se cadastra gratuitamente e trocas seus pontos por muitas vantagens:


Smile
SMILE É o programa de relacionamento da Gol, onde o participante pode acumular milhas voando ou adquirindo produtos e/ou serviços de empresas parceiras e pode resgatar milhas emitindo bilhetes de Cias Aéreas. http://www.smiles.com.br/smiles/content/cadastro/index.htm?site_lang=pt-BR


TAM FidelidadeTAM Fidelidade Além de acumular pontos, você passa a receber promoções exclusivas da TAM e TAM Viagens. Preenchendo também suas preferências, você terá acesso a ofertas personalizadas, de acordo com o seu perfil. http://www.tam.com.br/b2c/vgn/v/index.jsp?vgnextoid=a7d91e3780513210VgnVCM1000000b61990aRCRD


Superbônus SantanderSuper Bônus Com o Programa SuperBônus (Santander) você tem centenas de prêmios para escolher, companhias aéreas para viajar, hospedagens em grandes redes hoteleiras, ingressos de cinema, descontos na anuidade do seu cartão e até doações.

Mastercar Surpreenda 
Surpreenda Mastercard COMPRE UM PACOTE TAM VIAGENS COM SEU MASTERCARD E GANHE O DO ACOMPANHANTE. https://www.naotempreco.com.br/cadastro.aspx

Mais: http://www.mastercardpromocoes.com.br/

 

Cartões de crédito Cada bandeira (Visa, Mastercard, Hipercard) faz suas promoções para compras e pagamentos efetuados com cartão de crédito. Vale a pena dar uma olhadinha antes de fechar o pacote e antes de chegar ao destino pois sempre são oferecidos descontos em restaurantes, brindes, etc.


Logo VisaPor exemplo: Participe do Programa Vai de Visa e na compra de um pacote individual da CVC, você leva um acompanhante grátis. (de 15/08 a 15/11/2010). http://www.promocoesvisa.com.br/promocoes/UI/principal/principal.aspx
Logo Hipercard


Pagando com Hipercard na Barraca do Caranguejo, em Natal-RN, você ganha 20% de desconto.(até 31/10/2010) http://www.hipercardvantagens.com.br/


A-club - Accor HoteisAClub É o novo programa de fidelidade dos hotéis Accor que oferece vantagens e recompensas em mais de 2.000 hotéis no mundo inteiro. Participando do AClub, você ganha pontos para cada euro ou dólar gasto e troca por benefícios exclusivos em toda a rede Accor, que inclui os hotéis Sofitel, Pullman, MGallery, Novotel, Suite Novotel, Mercure, Adagio, ibis, all seasons e Thalassa sea & spa. http://www.a-club.com/pt/



CVC - promoção crianças“Criança Grátis” na CVC A operadora oferece gratuidade de passagens aéreas e hospedagem para crianças de até 12 anos que viajarem acompanhadas de dois adultos pagantes. Geralmente a promoção é feita nas férias de julho, por tempo limitadíssimo, e como vem se repetindo todo ano já é ansiosamente esperada por alguns pais atentos. http://www.cvc.com.br/

Aproveite o que for mais vantajoso e conveniente e boa viagem!

16 de setembro de 2010

Mala violada


Infelizmente acontece. E qual seria a solução? Será que existe? Uma tentativa de evitar o problema é o Protect Bag que encarece um pouco a viagem, mas principalmente na volta evita que as comprinhas fiquem perdidas. Você mesmo pode proteger sua mala enrolando filme plástico que, assim como o Protect Bag, não vai garantir 100% de segurança, mas entre tantas malas nos aeroportos acredito que as mais visadas são as que oferecem menos 'resistência'. Eu nunca tive problemas com bagagem, dei sorte e tomo alguns cuidados:
- Na ida, objetos de valor e de primeira necessidade vão na bagagem de mão;
- Na volta são as compras que vêm na bagagem de mão;
- O que vai na mala despachada e tem mais valor fica no fundo dela. Em cima só roupas sujas e toalhas. Imagino que não haja tempo de ficar revirando malas sem caracterizar furto;
- As roupas de todos vão misturadas em todas as malas. Assim, se alguma se extraviar não estraga a viagem da família inteira porque alguém não tem o que vestir.
- Coloco etiquetas por dentro e por fora da mala, com identificação, contato e hotel em que estarei de tal a tal data.
- Torço muito para que ela chegue intacta, principalmente passando por aeroportos brasileiros.

14 de setembro de 2010

Últimas impressões sobre Brasília

Plano piloto de Brasília
Estadia: 2 dias foram pouco. Quem aproveitou o feriadão e ficou por lá os 4 dias (do sábado até terça) deve ter visto tudo. Pra mim, faltou muita coisa, não consegui ir além do Plano Piloto e mesmo nele não consegui visitar todos os monumentos pelo tempo curto e porque na segunda-feira e na terça (feriado) muitos não estavam abertos à visitação. A foto ao lado foi tirada no subsolo da Praça os Três Poderes onde fica a maquete de Brasília. E embora Lúcio Costa tenha morrido afirmando que não projetou a capital do país com o formato de um avião, não dá para enxergá-la de outra maneira. Voltei em voo noturno e sobrevoar Brasília com suas 'Asas' iluminadas é lindo.

Brasília - DFHotel: fiquei no Mercure Lider que os taxistaschamam de Mercure Banco, pois atrás dele fica o Mercure Eixo apelidado de Mercure Vermelho. Na foto dá pra ver um pedacinho do Mercure Vermelho e o Brasília Shopping . Eu recomendo de olhos fechados, quando voltar não vou nem pesquisar hotéis, é esse! É um flat com cozinha equipada com micro-ondas e fogão, 2 televisores (sala e quarto) com canais por assinatura, estava no 14º andar e da sacada tinha uma vista maravilhosa do Plano Piloto. Com um dos melhores preços entre os hoteis da mesma categoria R$149,00 + 5% nos finais de semana. O único 'porém' é o acesso à internet: R$ 25,00 por 1/2 hora ou R$35,00 por 24h de acesso wireless. No shopping há uma lan house com preços um pouco menos salgados: R$15,00 a hora. Em Brasília, a maioria dos hotéis tem promoções aos finais de semana e são tantos que fica fácil negociar. Antes de reservar, mandei e-mail para 17 deles solicitando um late check-out até as 15h, pois meu voo da Passaredo que foi cancelado sairia às 17h. Recebi umas 10 respostas, entre as positivas 2 hotéis confirmaram o late check out até às 15h, um até às 13h e outros 3 ofereceram local para guardar a bagagem após o check out as 12h. Na terça-feira, vi um casal bem jovem sentado em frente ao hotel com a mala ao lado,
às 14:30h, não sei até que horas ficaram por ali, mas bastava pedir para guardar a mala no hotel e esperar a hora do voo passeando em um dos shoppings, por exemplo.

Catedral de Brasília - DF
Arquitetura: a cidade é linda, é um museu (modernista) a céu aberto. Mesmo quem não é da área, como eu, não tem como não apreciar a genialidade de Oscar Niemeyer. Ou até por isso, já que arquitetos e engenheiros conseguem encontrar defeitos como na Catedral que fica ensolarada o dia todo por causa de seu teto transparente. Pra mim, que sou leiga no assunto, tudo é muito criativo e perfeito. Fiquei tentando entender por onde se entrava na igreja e nem imaginava que o acesso é subterrâneo. A parte de vidro é o teto da Catedral. Além da predileção pelos subterrâneos, chama a atenção a quantidade de espelhos d'água. Se a intenção era amenizar o calor e melhorar a qualidade do ar, aparentemente funcionou, porque em Brasília sente-se menos o desconforto da baixa umidade do ar que em Goiânia, por exemplo. Em Brasília dormimos com o ar condicionado desligado, em Goiânia isso é impossível. Os jardins de Burle Marx são outro presente aos olhos, embora em alguns pontos estavam um tanto descaracterizados.
Feirinha de artesanato na Torre de TV, em Brasília
Feirinha da Torre de TV: meu primeiro contato por ali foi meio estranho e até assustador. Fomos direto para as barracas de alimentação e por ali há muitos mendigos pedindo dinheiro e comida. Muito sujos, magros e algumas vezes agressivos. Um deles ficou parado ao lado de nossa mesa resmungando que ainda ia encontrar uma alma caridosa que lhe desse dinheiro e completou: "Se não der, eu 'róbo'". Outro insistia para que lhe pagássemos uma 'quentinha', eu estava comendo pastel e peguntei se ele queria um. A resposta foi que pastel ele não queria, queria comida. Mas isso só acontece na área das barracas de alimentação, no restante da feira eles não dão as caras. A feira tem de tudo, desde lembranças da cidade até móveis. Os objetos de decoração são muito bonitos e as flores secas do cerrado alegram as barracas. Pena que sou estabanada demais para trazer coisas tão delicadas na bagagem de mão, com certeza as florzinhas chegariam despetaladas. Há uma barraca só de caleidoscópios de todos os tamanhos, feitos pelo próprio dono. Fiquei encantada, há quanto tempo não via isso. Meu marido nem conhecia, minhas filhas e sobrinhos então, nunca tinham ouvido falar. De todas as lembranças possíveis oferecidas por ali, foi essa que escolhi como a mais especial.

População: povo simpático, alegre, disposto a ajudar, alheio (no bom sentido) às sujeiras políticas protagonizadas dentro de seus palácios. O que dizem por lá é que Brasília só tem gente boa, os maus elementos são os que vêm de fora, políticos dos outros estados. E não é? Só o Estado de São Paulo enviará 74 novos moradores (deputados) para lá em 2011 e pelo que vemos no Horário Eleitoral Gratuito a qualidade desse material humano paulista é meio duvidosa. Os moradores da cidade se misturam aos turistas, visitando os mesmos lugares e mostrando muito orgulho em serem brasilienses. No Congresso Nacional, encontrei uma enfermeira que explicava animadamente como é o desfile de 7 de Setembro; na fila para o acesso às arquibancadas do desfile um outro morador nos contou mais aspectos interessantes da vida na capital; no ônibus turístico uma moça lamentava que tivéssemos visitado a cidade em época de seca e insistia com os turistas: 'Brasília não é assim, é um jardim lindo! Voltem em outra época! Da Rodoviária Nova onde cheguei, até o aeroporto por onde voltei só me deparei com sorrisos e boa vontade. Enfim, o custo de vida é altíssimo, o clima é seco, o calor incomoda, mas ninguém pensa em se mudar dali.

Aeroporto: acho que só se compara em tamanho e movimento ao de Guarulhos. São muitos pousos e decolagens. Tudo muito bem organizado. Há um shopping com várias lojas com 'preço de aeroporto', uma praça de alimentação de verdade, com várias opções e muitos assentos na sala de embarque. Aqui acabou a viagem que não sei porque demorei tantos anos para fazer, quero repeti-la num tempo bem menor.


13 de setembro de 2010

7 de Setembro em Brasília

7 de setembro em Brasília
    A impressão que tive é que para o brasiliense assistir ao desfile de 7 de Setembro é quase uma obrigação ou um prazer do qual ninguém quer abrir mão. Deve ser como assistir às Escolas de Samba no Rio de Janeiro, faz parte da vida dos moradores.

    Ouvi histórias de quem iria chegar às 4h30min para pegar um bom lugar, de quem só conseguiu chegar às 6h e já não havia tantos lugares para escolher, tudo para o desfile marcado para às 9h. No dia seguinte, já em casa, li no jornal que havia 40 mil pessoas em Brasília assistindo ao desfile!
7 de setembro em Brasília

     Confesso que meu patriotismo não chega a tanto. Tomei meu café tranquilamente, saí do hotel por volta das 9h20min e assisti ao que deu, aliás o melhor fica mesmo pro final. Vi o presidente Lula só pelo telão. O momento mais esperado é a Esquadrilha da Fumaça, o público delira a cada manobra e realmente é hipnotizante, não há como não ficar com os olhos pregados no céu.

7 de setembro em Brasília
    De um lado do eixo monumental o desfile organizado e do outro um tumulto de militantes de todos os partidos. Brasília era a imagem da campanha política e em nenhum lugar do país eu havia visto tanta paixão. Li também nos jornais do dia seguinte que houve atritos que precisaram da intervenção da polícia e gente machucada. Eu não vi nada disso.
7 de setembro em Brasília
       O desfile terminou às 11h e começou uma verdadeira peregrinação até a Torre de TV. Eu fui de táxi desde a rodoviária do Plano Piloto por R$5,45, mas a grande maioria decidiu pela caminhada. Isso fez com que uma fila interminável se formasse, olhando do alto pareciam formiguinhas umas seguindo as outras.
        Às 13h ainda havia gente atravessando o gramado e chegando à Torre, provavelmente aqueles que chegaram às 4h30min para conseguir lugar bem perto do palanque do presidente e depois ficaram bem longe da Torre que fica no lado oposto do eixo monumental.
logo mala

12 de setembro de 2010

City Tour em Brasília

Ônibus turístico em Brasília, DF     Não imaginava Brasília como cidade turística e sim como 'sede do governo brasileiro' e ponto final. Cheguei a pensar que, por causa do final de semana prolongado, estaria vazia. Enganei-me completamente, estava cheia de turistas de várias partes do país.


         Da sacada do hotel eu podia ver todos os monumentos do plano piloto: a igreja, o museu, os ministérios, o congresso, até a Ponte JK e isso dá uma falsa ideia de proximidade, mas da Torre de TV até a Praça dos Três Poderes (eixo leste-oeste) são 3,5 km de distância. Olhando para o outro lado eu via JK no alto de seu memorial, mas para chegar até lá eram mais 2,5 km. Ou seja, Brasília não foi projetada para se andar a pé. Táxi é caríssimo, então a melhor opção para se conhecer os principais pontos da cidade é com o ônibus turístico que faz um passeio de 2h, com 3 paradas (Catedral, Praça dos Três Poderes e Palácio da Alvorada) por R$25,00 por pessoa. Você pode usar esse transporte durante o dia todo ficando onde quiser e subindo no próximo ônibus que passar.

Visita ao Congresso Nacional em Brasília    No Palácio da Alvorada vimos a troca da guarda dos Dragões da Independência. Há visitas guiadas no Congresso Nacional de meia em meia hora, com histórias interessantes. Por exemplo: Na Câmara dos Deputados não há lugar para que os mais de 500 se acomodem sentados, mas isso não é problema, pois todos se amontoam em pé no 'miolo' do salão, onde tem alcance as câmeras de TV, para que os eleitores possam vê-los 'trabalhando'. No Senado (foto), há lugares para todos os senadores, a curiosidade é a Bandeira Nacional desenhada no carpete que, segundo a assessora de imprensa que nos acompanhou, foi feita certo dia por um dos faxineiros, usando aspirador de pó e uma escovinha. Fez tanto sucesso que agora a cada 2 ou 3 dias o funcionário tem a missão de refazer os desenhos. Como nenhum funcionário da Câmara dos Deputados se propôs a isso, os desenhos no carpete ficaram sendo exclusividade do Senado.
          Nos demais prédios oficiais há horários de visitas anunciados nos sites de turismo, mas nenhum deles estava aberto à visitação. Alguns não abrem às segundas-feiras, na terça era o feriado de 7 de Setembro e Brasília para. Fiquei sem visitar o Museu Nacional, o Memorial JK, o Memorial dos Povos Indígenas e outros pontos fora do Plano Piloto. Isso não é ruim, é um bom motivo pra voltar.


Guarda do Palácio da Alvorada, em Brasília - DF
       A cidade tem muitos ônibus de transporte coletivo, mas faltam tabelas para informar aos turistas sobre linhas e rotas ou eu não soube onde encontrá-las. A solução era ficar no ponto e sempre que alguém parava o ônibus pedir informações ao motorista. Bem em frente ao hotel tinha um ponto e de tanto observar da sacada para tentar entender (e confirmar com os funcionários depois) descobri que para ir da Praça dos Três Poderes para a Torre de TV, ou mais adiante o Memorial JK, bastava pegar um ônibus escrito Via Estrutural. Para fazer o sentido oposto e ir do Setor Hoteleiro até a Praça dos Três Poderes, era só atravessar para o outro lado do gramado e esperar em um ponto da Asa Sul o ônibus Esplanada. Mas descobri isso tarde, só vou aproveitar a descoberta na próxima visita.
logo mala