Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

27 de fevereiro de 2011

Bariloche - faça as contas

Centro Cívico de Bariloche - AR
       Já está tudo certo: em agosto/2011 volto a Bariloche depois de 3 anos.
       Em 2008 estive por lá e voltei já pensando na próxima temporada. Mas em 2009 veio a crise mundial que parece ter enlouquecido os argentinos e os preços tornaram-se impraticáveis, isso somado ao medo do vírus H1N1. Já em 2010, foi uma opção trocar Bariloche pelo nosso 2º cruzeiro marítimo. Cruzeiros viciam, pode acreditar. Enfim 2011, e pacote fechado.

       Antes de fechar, fiz algumas continhas e considerações a respeito da viagem, claro:
      1ª- Voo direto para Bariloche só fretado. Então 'para mim', não existe outra opção viajando com crianças a não ser os pacotes.
      2ª- Não fiz cotação de vários hotéis. Só me interessava o Edelweiss, que é muito bem localizado e só li elogios de quem se hospedou nele. Em 2008, fiquei no Panamericano Casino & Resort.
      3ª Tenho filhas gêmeas, de 12 anos, que nos pacotes (pelo menos da CVC) ainda são consideradas crianças e em voos comerciais já pagam passagem de adulto.

      Meu pacote é Bariloche Clássico (CVC), com café da manhã. O valor total para 2 adultos e 2 crianças foi de R$10.577,00, divididos em 10 vezes. O pacote oferece:

Cerro Catedral - Bariloche - Argentina- Passeios por Circuito Chico,
- Cerro Campanário com ingresso ao teleférico,
- Cerro Catedral sem ingresso ao teleférico,
- Cerro Otto com ingresso ao teleférico,
- Visita à Fábrica de Chocolate,
- 1 guia de bolso com informações turísticas,
- 1 ingresso ao Cassino com 1 taça de champanhe cortesia,
- Assistência de viagem internacional.

       Fiz uma comparação na mesma data, mesmo hotel, com a mesma cotação do dolar (R$1,75), comprando tudo por conta própria, sem agência/operadora. Não me aprofundei muito nessas pesquisas, mas servem como referência:

        - Passagem aérea: Pesquisei na Decolar . Em voo comercial são 2 trechos: São Paulo a Buenos Aires, no aeoporto internacional (Ezeiza), troca-se de aeroporto para o trecho doméstico Buenos Aires a Bariloche, partindo do Aeroparque. Parece que há voos chegando direto no Aeroparque, mas não sei detalhes. Das opções que o site me deu, o menor tempo entre São Paulo e Bariloche foi de 7h45 min e os menores preços de ida e volta, em voos com apenas 1 escala foram:
- Lan - U$S 540
- Aerolíneas Argentinas - U$S 529
- Tam - U$S 712
         Valor para 4 adultos, com taxas, convertido em reais no próprio site: R$ 4.122,00 pagos em até 5x.


           - Hotel Edelweiss: Não aparece na pesquisa nem da Decolar, nem do Submarino Viagens. Provavelmente porque minha opção de busca foi de 1 apartamento para 4 pessoas. Nesses sites são consideradas crianças até 11 anos. Minhas filhas tem 12.
          No site do hotel, não há preços para agosto/2011. Considerando o tarifário de 2010, em agosto do ano passado, a diária do Family Plan era U$S 242, convertidos em reais, 7 diárias custariam R$ 2964,50 (sem IVA).
           - Passeios: é difícil calcular, pois alguns preços são divulgados em dólares e outros em pesos argentinos. A grosso modo tentei usar a 'tabela prática' de Buenos Aires em janeiro/2011:
- R$ 1,00 = 2 pesos argentinos
- U$S 1 = 2 reais
- U$S 1 = 4 pesos argentinos
Preços dos passeios inclusos no pacote para 4 pessoas:
- Cerro Campanário: R$160,00
- Cerro Catedral: R$ 120,00
- Cerro Otto: R$152,00


-Roupas de Neve: Pra mim é o item mais controverso dos pacotes da CVC. Em 2008, as roupas eram simplesmente um nojo, não há outra palavra para definir 'aquilo'. Além de serem diferentes para quem comprou o pacote Bariloche Clássico e Bariloche Total, caso de Procon.

           O aluguel dessas roupas (limpas e cheirosas) por dia custa 30 pesos. Para 4 pessoas, 6 dias, em valores convertidos custaria R$ 360,00.

- Transfer aeroporto/hotel/aeroporto: Remise - R$55,00
- Seguro de Viagem: em janeiro/2011 fiz um para toda a família e custou R$ 174,00

           Não vou computar os outros itens do pacote e nem IVA que não está incluso no valor do hotel. Somando os itens acima: aéreo, hotel, passeios, transfer, roupas, seguro; 4 pessoas gastariam: R$ 8107,50.
Uma economia de aprox. R$2500,00 é bem considerável, mas cada um sabe 'onde lhe aperta o sapato'. No meu caso, a preferência pelo pacote teve seus motivos:
- Não abro mão do voo direto, por enquanto. Logo as crianças crescem e a história pode mudar.

- Eu moro a 400km de distância do aeroporto de Guarulhos. Pra mim a viagem começa um dia antes do voo decolar e dura pelo menos meio dia a mais. Não quero acrescentar a isso mais o transtorno de trocar de aeroporto ou esperar horas para o trecho de Buenos Aires a Bariloche.

- Fechando por conta própria, existe a economia, mas o pagamento é feito em poucas vezes (5x) ou a vista em vários casos. Pra mim é importante o parcelamento em 10x.

- Eu tive 10% de desconto na compra desses pacotes. O valor final foi R$ 9592,00.
Em todas as opções há prós e contras, cada um tem que ver o que melhor lhe beneficia. Eu considerei que o benefício do voo direto é maior que o transtorno das roupas fedidas e sujas que vou pagar e 'não usar'.

Comparando pacotes: De 13 a 20/08/2011, Hotel Edelweiss, Family Plan: 2 adultos e 2 crianças de 12 anos.
CVC - R$ 10.577,00 (c/ taxas), 10x
Agaxtur - R$ 11.935,00 (taxas?), 25% de entrada + taxas, saldo em até 11x.
Calcos - preços válidos só até maio/2011. Descontos para crianças até 11 anos.
Fênix - idem à Calcos em valores, condições, hotéis, até a tela é a mesma.
Tam Viagens - Descontos para crianças até 11 anos. Desisti da busca porque a página ou dava erro ou aparecia a mensagem de que não foram encontrados voos para a data selecionada.

É isso. Encontre a melhor opção e vamos pra Bariloche que é bom demais!

Leia também: Cheguei!!! (15/08/2011)
                     Entrevista com Vanessa Olivatti
                     Aprenda espanhol na internet
                     Índice de posts sobre Bariloche


Vai viajar? Conheça o Guia Essencial de Bariloche e Villa La Angostura. Clique aqui.

25 de fevereiro de 2011

Selinho

Selo

              Oba, ganhei mais um selinho. Esse foi da Harah Nahuz.
              Esses selos são presentes carinhosos trocados na blogosfera. É um prêmio que vale muito pra mim, pois é o reconhecimento dos amigos blogueiros sobre o que postamos em nossos cantinhos. Muito obrigada, de coração vou repassá-lo aos blogs que não deixo de dar uma passadinha.

- Chega de Bagunça
- Patchcolagem-Appliqué
- Word Cruises
- Blog da Gugui
- Clara Libe

3 de fevereiro de 2011

Santos

Calçadão da praia em Santos -SP
      Quem embarca em Itajaí fica com um dia livre em Santos, enquanto são feitos os procedimentos de desembarque e embarque de um novo grupo no Porto de Santos. Mesmo quem fez o desembarque final pode optar por permanecer mais um dia viajando e aproveitar para conhecer um pedacinho do litoral paulista. Há 2 anos tento fazer isso, mas acabo abandonando o projeto.

O navio oferece 2 passeios:
- City Tour Santos - 35 dólares (adultos) / 24 dólares (crianças de 02 a 06 anos)
- Passeio de canoa havaiana - 48 dólares / 34 dólares

       Eu não fiz nenhum dos 2, mas para não parecer um tópico sobre o 'nada', linkei vários sites que podem ser úteis. No site desta agência de turismo receptivo tem as descrições do que é possível se fazer em Santos. São vários os tipos de City Tour oferecidos.
         Também não sei se estes receptivos ficam no Porto de Santos oferecendo os passeios para os cruzeiristas de passagem pela cidade. O maior porto da América Latina é uma loucura! O movimento é tanto que nunca consegui observar esse detalhe.
         Bem parecido com o que acontece em Santa Catarina, onde se diz que o melhor a fazer em Itajaí é ir para Camboriú, para nós paulistas o melhor de Santos é atravessar de balsa e ir para o Guarujá. O que Santos tem de mais famoso é a Vila Belmiro e o Aquário Municipal que já foi destaque no Guiness Book (1995).

O Guarujá também tem o Acqua Mundo.


2 de fevereiro de 2011

Buenos Aires por bairros

           Essa é uma listinha bem básica de pontos turísticos separados por bairros de Buenos Aires para ajudar na logística na hora de planejar os passeios.


La Bombonera - Buenos Aires - Argentina
La Bombonera e Museo Boca Juniors

La Boca
- Caminito
- Loja da Havanna (havannets – tipo Nhá Benta recheada com doce de leite)

San Telmo
- Escultura da Mafalda (Rua Chile com Defensa);
- Museo Histórico Nacional no Parque Lezama;
- Igreja Ortodoxa;

Puerto Madero
- Ponte da Mulher
- Fragata Sarmiento

Centro
- Plaza de Mayo
- Casa Rosada
- Catedral
- Café Tortoni
- Calle Florida (início)
  Galeria Pacífico
  Lojas Fallabella
- Plaza San Martin (final da Calle Florida)
- Obelisco
- Teatro Collon
- Congresso de La Nacion

Recoleta
- Cemitério
- Libreria El Ateneo
- Flor Metálica
- Buenos Aires Designer (Hard Rock Café)
- Feira de Antiguidades
- Museu Nacional de Belas Artes (Entrada gratuita. De 3as a 6as de 12:30 a 19:30. Sábados e domingos de 9:30 a 19:30 h. Av. del Libertador 1473)

Palermo
- Rosedal
- Malba (Abaporu) - Lunes, jueves y viernes, de 12:00 a 19:30h; miércoles, de 12:00 a 21:00 hs, gratis; sábados y domingos, de 10:00 a 19:00 hs. Martes, cerrado.
- Parque Tres de Febrero – “A Praia Portenha”: planetário, lago artificial, pedalinhos, botes, bicicletas, patins, etc
- Outlets (Levis, Nike e outros) – Av. Córdoba, “altura del numero 4000”
- Outlets (Lacoste, Puma, La Martina, Cacharel, Timberland, Prüne, Blaquè, etc) Villa Crespo, Calle Aguirre com a Gurruchaga. Essa área é também conhecida como Palermo Outlet.
- Casa da Barbie (Barbie Store) – Av. Raul Scalabrini Ortiz 3170
loga mala

1 de fevereiro de 2011

Um dia em Buenos Aires

Entardecer em Buenos Aires - Argentina
      Estou visitando Buenos Aires em prestações. Já foram 3 cruzeiros pelo Rio da Prata, totalizando 5 dias na capital portenha. No primeiro cruzeiro fiz um City Tour para conhecer os principais pontos turísticos e no dia seguinte fui às compras na Calle Florida. No segundo cruzeiro ficamos um único dia ancorados em Buenos Aires e foi preciso selecionar o que conhecer e ainda deixar um tempinho para as compras. Na terceira vez em Buenos Aires, tivemos dois dias livres novamente e fizemos o nosso roteiro menos turístico visitando pontos como o Barrio Chino e o estádio do River Plate (os brasileiros vão sempre para o Boca Juniors).
          Os planos para quem tem apenas um dia na capital portenha, e já conhece o básico dos pontos turísticos, pode ser, por exemplo, visitar o museu Malba para ver de perto o Abaporu ou conhecer um ou dois dos parques de Palermo: zoológico, Rosedal, Jardim Japonês. Com pouco tempo livre, o melhor local para compras em Buenos Aires é mesmo a Calle Florida, por ficar bem próxima ao porto e o comércio ficar aberto até às 20h . Na mesma região fica o Café Tortoni, ponto tradicional da cidade que vale a pena ser conhecido e saboreado. 
        Os navios oferecem  opções de passeio como o tradicional city tour, show de tango ou tour de compras, sempre bem mais caro do que será pago simplesmente pegando um táxi, ou melhor ainda planejando antecipadamente um transfer local. Se optar pelo táxi, que em Buenos Aires são encontrados facilmente, atravesse a rua saindo do porto e os preços caem significativamente.


Vamos a algumas considerações sobre esses passeios:

Tango argentino em show do navio Empress- Show de tango - A não ser que você seja muito apaixonada pelo ritmo (e o marido também), provavelmente vai achar um pouco repetitivo. Além disso, verifique se não haverá uma companhia local fazendo show no navio na noite em que ficar ancorado em Buenos Aires. Não consegui convencer meu marido a encarar esse programa, mas também não me atrai tanto assim.

- Tour de compras - Aqui só há uma coisa a dizer: "Qual é a mulher que precisa de guia para fazer compras em qualquer lugar do mundo??” Encontramos os passageiros do tour de compras nas mesmas ruas e lojas que fomos sem guia mesmo.

Casa Rosada - Buenos Aires - Argentina- City tour - eu gosto e procuro fazer sempre que estou em uma cidade ainda desconhecida. No porto haverá vans e táxis oferecendo o passeio com preços nem tão diferentes assim dos oferecidos no navio. A questão é o tempo que se perde em grupos de quase 50 pessoas até todos chegarem no ônibus em cada parada que for feita. Além disso, o city tour é meio ‘amarrado’. Por exemplo, os guias nem sempre vão até o estádio La Bombonera alegando ser um lugar pouco seguro. Já no Caminito, que fica no mesmo bairro, pode? E na Calle Florida não há perigo? Enfim, eu prefiro fazer meu próprio roteiro e para isso contratei em duas das três vezes que estive em Buenos Aires os serviços do guia Pablo Blacher que estão super indicados.

      Por falar em segurança, perguntei a um policial argentino se era perigoso ir andando do porto até a Plaza San Martin. A resposta: 
       “Si, un poco, pero más seguro que em Brasil.”

O que fizemos em um dia em Buenos Aires

- Fomos ao zoológico -  no porto o taxista pediu 25 pesos, começamos a caminhar e no quarteirão seguinte parou um táxi que queria nos cobrar 70 pesos! Andamos mais 100 metros e encontramos vários táxis em um posto de combustível, fechamos sem taxímetro por 20 pesos. Os argentinos não são fáceis de negociar, se irritam fácil e não gostam da mania do brasileiro de pechinchar, mas a cidade possui 50 mil táxis. Se o preço for abusivo espere que tem outro vindo logo atrás.

Monumento dos Parques de Palermo, em Buenos Aires
   O zoológico é um lugar para se ir com calma. Passamos ali bem menos tempo do que as crianças gostariam. É grande e além das jaulas e pequenos animaizinhos soltos, tem um reptilário, um espaço que reproduz o ambiente de selva subtropical, o aquário, um passeio de barco, cine 3D e um show com lobos marinhos. Há 2 tipos de ingressos: o mais barato sem direito a entrar nos ambientes especiais, e um mais caro que dá direito a quase todas as atrações (menos o show dos lobos marinhos). Crianças até 12 anos não pagam.


Loja da Havanna em Buenos Aires.- Demos uma passadinha na Calle Florida - a rua do comércio dos turistas é a agitação de sempre e eu adoro. Vi várias camisetas (remeras) com a frase: “I love BA” que poderiam perfeitamente ser vendidas no Brasil, pois eu estava me sentindo em Porto Seguro-BA, tamanho o assédio de ambulantes oferecendo passeios, shows de tango, bugigangas, câmbio e até fazendo propaganda de sex shop! Acredite!
         A Calle Florida vai da Plaza de Mayo até a Plaza San Martin. Eu prefiro começar a andança pela primeira, assim quando terminar de atravessá-la estará na Plaza San Martin, bem perto do porto. Dá pra ir a pé, mas se o cansaço bater vale a regra de sempre para os táxis. Eu peguei o primeiro que estava estacionado bem no final da Florida e paguei 30 pesos até o porto. Quem atravessou a rua e pegou o que passava, pagou a metade disso.

- Vimos o ônibus turístico passando pela região da Calle Florida e acredito que seja uma boa opção para quem tem pouco tempo na cidade. É possível embarcar e desembarcar em vários pontos diferentes ou fazer o trajeto todo sem descer em nenhum ponto. No site há informações de itinerários, valores e outras informações.
        Buenos Aires tem sempre gosto de “quero mais”. Que venham outras viagens para lá.
logo mala