Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

27 de setembro de 2012

A viagem dos outros

Álbum com fotos de viagem       
      Sou do tipo que lê a revista desde o editorial e esse ficou muito bom. Seção Welcome, Viagem e Turismo, agosto/2012.
 Texto de Gabriela Aguerre.

 

 

A viagem dos outros

       Não foi sempre assim. Mas já achei muito chato ter de ouvir relatos intermináveis sobre viagens que, a princípio, não me interessavam.
      Lembro-me, ainda pequena, de quase ter adormecido enquanto o pai de um amigo mostrava, incansável, dezenas de slides de um tour pelo interior da Escócia projetados em uma parede da sala, em uma apresentação formal do que havia sido a viagem do casal.
      Estava escuro. As imagens eram parecidas. Pedras. Gramados. Castelos. O casal. Ele com ela. Ele sem ela. Só ela. Os castelos. Descrições monocórdicas. A sala à meia-luz. O canto da parede um pouco descascado. Bocejos.
     Tudo bem, eu era pequena, Harry Potter não tinha nascido, e a Escócia ainda não me dizia nada. Mas o fato é que sempre prestei atenção ao talento que as pessoas têm ou não têm de contar histórias de viagem.
      Hoje gosto de tudo. Quem chega com 600 fotos digitais é bem-vindo. Desenvolvi essa paciência. Vejo graça na ansiedade de registrar todos os instantes. Gosto de diários, aprecio cadernetas de anotações. Quem prepara apresentações cerimoniosas também me agrada. Convidar os amigos, fazer pipoca, selecionar fotos (não muitas), contar coisas engraçadas -  e saber a hora de parar. A solução mais genial foi a da Jo, que pendurou num varal improvisado dentro de casa fotos do Vietnã. A gente chegava e passeva pela viagem dela enquanto tomava um chá e falava da vida. Ficou lindo.
      Talvez minha formação tenha me deformado. Meu pai, arquiteto e artsta, conta histórias com cheiros e sabores de lugares que ele conhece e não conhece. Impressionante. Minha mãe, que já foi agente de viagens, monta os melhores álbuns de fotos. As viagens dela são coloridas, animadas, ganham vida cada vez que falamos delas.
       Pensei nisso tudo depois que terminei de ler a reportagem do Petta e da Carol em Mianmar (O Reino dos Templos Dourados, na página 98). Gostei quase mais da viagem deles do que da minha. Sério mesmo. Uma boa história de viagem, e há mil manieras de contá-la, deixa a gente feliz e leva longe.
Um abraço,
Gabriela Aguerre
diretora de redação


2 comentários:

  1. Texto perfeito e lindo. Sinto e faço a mesma coisa! Abração e sempre na tua carona.

    ResponderExcluir
  2. Realmente, Silmara, muito bom o texto do editorial. Engraçado que me fez lembrar de uma cena de infância... uma projeção de slides de uma viagem de umas primas com os pais... cansativo... e eu com isso? rs. Engraçado como o tempo faz a gente ser quem é, não é mesmo?
    Bjo&Carinho,
    Jussara

    ResponderExcluir

E você? O que pensa sobre isso?
Os comentários anônimos estão sujeitos à moderação.