Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

29 de maio de 2013

Estádios de futebol

Sala de imprensa da Vila Belmiro - Santos - SP
Sala de imprensa do Santos F. C.
             Não, nós não somos santistas, já me perguntaram isso por conta das fotos postadas no Facebook, mas eu adoro visitar estádios de futebol! De preferência quando estão vazios, é verdade. Prestes a começar a  Copa das Confederações, é um bom momento para lembrá-los. Entre os maiores, além da Vila Belmiro, conheço o Pacaembu, La Bombonera e claro, o meu Morumbi! Aliás, esse meu marido conseguiu fotografar sobrevoando São Paulo para pousar no aeroporto de Cumbica. Pura sorte estar com a câmera preparada no momento exato.
Estádio do Morumbi visto do avião
Foto tirada na volta de Bariloche em agosto/2011.
Estádio Centenário, em Montevidéu
         

     Não consegui visitar todos os que gostaria. Quando fizemos uma escala de cruzeiro em Montevidéu, por exemplo, queria conhecer o Estádio Centenário, onde foi realizada a primeira Copa do Mundo em 1930, mas estava fechado a visitações. Segundo a guia de turismo, o estádio estava em reformas pois se encontrava muito "estropiado". Mesmo assim, o orgulho da população acerca do futebol uruguaio é tamanha que na tentativa de se aproximarem de turistas brasileiros, taxistas e outros profissionais do turismo já possuem uma frase pronta para evitar confrontos: "Sólo no podemos hablar de futbol."


              






Estádio Mané Garricha em reforma - Brasília
Setembro de 2010 -  Estádio Mané Garrincha
em fase de demolição. Apenas parte das
arquibancadas em pé.






De setembro de 2010 a dezembro de 2012, estive em Brasília quatro vezes. Em cada uma delas subi na Torre de TV para ver o andamento das obras de demolição do Estádio Mané Garrincha para reconstrução do Estádio Nacional, onde pretendo assistir ao menos a um jogo da Copa do Mundo. Será que vai dar?


Estádio Mané Garricha em reforma - Brasília
Setembro de 2011 - canteiro de obras onde começa
a se erguer o novo Estádio Nacional
Estádio Mané Garricha em reforma - Brasília
Dezembro de 2012 - já começa a se parecer com as
fotos de computação gráfica que mostram como
 ficará o estádio pronto





























Estádio Mané Garrincha em computação gráfica
O Estádio Nacional pronto em computação gráfica.
















     



          Os últimos estádios que só fiquei na vontade de conhecer foi em Belo Horizonte. Em novembro/2012, estive  na capital mineira a serviço, com um city tour incluso. É obvio que fomos levados à região da Pampulha e lá passei um precioso tempo só olhando para o Mineirão e Mineirinho. Queria estar lá dentro, mas não deu.
Estádios Mineirinho e Mineirão, vistos da Pampulha
Minierinho e Mineirão vistos da Pampulha.
Estádios que matei a vontade de visitar:

26 de maio de 2013

Carina Flat Hotel - Santos

Carina Flat Hotel, em Santos - SP

          De tanto ver em sites de hotéis fotos de ambientes que pareciam enormes e na verdade eram cubículos, não acreditei que quando chegasse ao Carina Flat Hotel, em Santos encontraria espaços tão generosos. Mas encontrei, e por isso escrevo sobre ele aqui.

Carina Flat Hotel, em Santos - SP

          Fica no bairro de Aparecida, o mais habitado da cidade, cujo ponto da praia com mesmo nome não é o mais movimentado  da orla, mas fica bem próximo do Aquário de Santos. Além disso, o prédio não oferece opções de lazer como academia, piscina, sauna, etc. Por isso o preço tão atrativo, o custo benefício é perfeito: espaço, limpeza, boa localização e café da manhã justo.

Carina Flat Hotel, em Santos - SP

          Na primeira vez que nos hospedamos nele, em julho/2012, o que me atraiu a fazer a reserva foi exatamente isso: o preço. Era inverno e só precisávamos de um lugar para dormir. Minhas filhas adoraram o conforto dos ambientes espaçosos e quando voltamos a Santos nem pensamos em procurar por outro hotel. Desta vez estávamos em dez pessoas e ficamos em três apartamentos, dava para escolher onde dormir.

Carina Flat Hotel, em Santos - SP

         A cozinha não tem fogão, mas tem pratos, talheres e copos. Bem pertinho (dois quarteitões) fica o shopping Praiamar que tem uma loja do Carrefour para abastecer o refrigerador com bebidas e congelados para serem preparados no micro-ondas.

Carina Flat Hotel, em Santos - SP

       Os dois ambientes, sala e quarto, têm ar condicionado e TV com canais por assinatura (no apartamento luxo). Além de internet via cabo grátis, claro que eles já sabem que o hóspede não terá o cabo para se conectar, por isso já têm alguns reservados para empréstimo, é só pedir na recepção.

Carina Flat Hotel, em Santos - SP

         Como a previsão do tempo era de chuva para o fim de semana que passamos lá (e choveu mesmo!!), levamos o video-game e um funcionário foi lá na maior boa vontade ajudar a instalá-lo, pois a TV fica presa em um suporte da parede.

Carina Flat Hotel, em Santos - SP

          Apesar de não se localizar de frente para o mar, a localização agrada por ter tudo próximo: shopping, mercados, farmácia, a feirinha de artesanato aos domingos, entre outras facilidades que nos dias chuvosos que passamos por lá ajudaram bastante. Bem em frente ao hotel, porta com porta vamos dizer assim, há uma pizzaria de onde eu trouxe uma daquelas situações que entram para a história das viagens. Atravessamos a rua e fomos pessoalmente escolher as pizzas no cardápio. Feito o pedido de três pizzas, já íamos passando o número do apartamento para ser avisado na recepção do hotel, quando a atendente nos informou que para entrega eram R$2,00 a mais por pizza, ou seja, R$ 6,00 para atravessarem a rua!! 
           Não resisti e argumentei: "Mas como? É só atravesar a rua!" E recebi como resposta: "É o preço que o moto-taxista cobra." De verdade, estou rindo novamente só de recontar a história. Claro, que voltamos depois para buscar as pizzas, mas fico imaginando como seria se eu decidisse pagar a entrega: será que o moto-taxista daria um impulso com os pés e atravessaria a rua sem nem mesmo ligar a moto ou contornaria o quarteirão para fazer valer o que paguei?

Feirinha de artesanato em Santos - SP
Feirinha dos domingos na Praça do SESC.
           Enfim, embora eu sempre defenda que para mim hotel de férias não é só para dormir, por isso precisa ser bem escolhido, quando reservei este apenas pensando na noite que passaria em Santos, acabei encontrando um hotel despretensioso, barato e melhor que muitos onde já me hospedei atraída pelos anúncios de conforto e comodidade.


21 de maio de 2013

Mais uma voltinha em Santos-SP

Praia do Gonzaga, em Santos SP
Trecho da praia do Gonzaga, na Praça das Bandeiras.
          
            Passei quase 20 anos sem visitar o litoral de meu Estado e agora estive lá duas vezes em menos de um ano. Santos tem um turismo despretensioso que, fora de temporada, agrada quem quer descansar olhando o mar. Em finais de semana ensolarados e férias de verão a história é outra: a praia fica lotada de paulistanos e encontrar espaço na areia é um desafio para quem quer apenas relaxar um pouco.

Área do futuro aeroporto do Guarujá
Vista aérea do futuro aeroporto do Guarujá. Quando?
          A baixada santista tem sido tema frequente em periódicos de turismo que registram um movimento  crescente de turistas de várias partes do Brasil. O que falta a Santos é infraestrutura para chegar até à cidade. Os aeroportos mais próximos são os de São Paulo capital e não sai do papel o projeto divulgado há anos de utilizar o núcleo da Base Aérea de Santos para a construção do Aeroporto Civil Metropolitano (leia  mais). Além disso, as temporadas de cruzeiros marítimos perdem em número de navios de passageiros que atracam no Brasil a cada ano devido às altas taxas portuárias brasileiras que são as mais caras do mundo (leia mais). O sonho dos guias de turismo santistas é que o porto receba navios de cruzeiro durante o ano todo, e não apenas na temporada de novembro a abril.

Praia do Gonzaga, Santos - SP
               
                  
                 Mas, para nós paulistas, é o que temos de mais próximo no litoral brasileiro. Como passar alguns dias "ao som do mar e à luz do céu profundo" revigora as energias, lá fomos nós enfrentar quase sete horas de rodovias. Certa vez conversando sobre viagens com uma amiga carioca, ela disse que não a atraía viajar para Punta Cana pois parecia muito chato passar a semana em um resort olhando para o mar do Caribe. Então nos demos conta de como viagens são realmente particulares: ela mora de frente para o mar no Rio de Janeiro e eu preciso viajar mais de 400km para chegar à praia. Para mim, acordar durante uma semana em um hotel pé-na-areia olhando para o azul do mar caribenho é a viagem perfeita.



Bondinho de informações turísticas em Santos SP
Bondinho de informações turísticas na Praça das Bandeiras.
            Enfim, quem decidir disputar espaço no Rodoanel Mario Covas com os inúmeros caminhões de carga se dirigindo ao porto de Santos e exercitar a paciência na lenta descida da serra, vai encontrar surpresas agradáveis ao chegar à cidade de Santos. Como estávamos em 10 pessoas, fretamos uma van e lá fomos nós. 
       
Escultura dos jardins da orla de Santos - SP
Escultura nos jardins da orla.

                 
                A orla está muito bem cuidada com seus jardins, há opções de hotéis e restaurantes para agradar a todos os gostos e bolsos, e entre as atrações turísticas estão o passeio de bonde pelo centro histórico, a visita ao estádio do time do Santos Futebol Clube - a Vila Belmiro com seu Memorial das Conquistas e o Aquário Municipal de Santos.


Aquário de Santos - SP


            Esses e outros pontos de interesse turísticos podem ser visitados com a Linha Turística Conheça Santos que sai da Praça das Bandeiras e por R$10,00 pode ser utilizado durante todo o dia descendo e reembarcando onde o turista quiser. Incluse passando por pontos curiosos como a Fonte do Itororó (aquela mesma da cantiga de roda) e as catraias atracadas ao lado do Mercado Municipal de Santos. Curiosidades não faltam!

Catraias e o Mercado Municipal de Santos - SP
Catraias com o Mercado Municipal ao fundo.
Fonte do Itororó, em Santos - SP
Fonte do Itororó.


18 de maio de 2013

Orlando - índice de posts


Borda Mickey e Minnie



Planejamento

- Roteiro de 10 dias em Orlando
- Em Orlando, sem carro alugado
- Viajando para Orlando: 10 perguntas e respostas
- Contagem regressiva para Orlando
- O dólar disparou... vou pra Disney mesmo assim
- Planejamento Disney World
- Como tirar o passaporte
- Como tirar o visto americano
- Visto americano - a novela
- Visto americano no consulado de São Paulo
- Visto americano - mais 1 capítulo
- Entrevista no consulado americano - SP
- Visto americano - último capítulo
- Dicas de Orlando
- Disney por pacote turístico
- Hospedagem em Guarulhos - próx. aeroporto
- Check list para New York e Orlando
Pacote para Disney Mig Travel/West Central
Borda Mickey e Minnie

Parques temáticos

Pesquisando os parques de Orlando
- Parques de Orlando - Florida
- O inferno da Disney - Fernanda Torres
- Magic Kingdom
- Animal Kingdom
- Epcot
- Hollywood Studios
- Island of Adventure - Harry Potter
- Universal Studios
- Busch Gardens
- Sea World
- Downtown Disney
City Walk - Universal
Photo Pass
- O antigo Fast Pass
For free - Disney
Moedas Prensadas Disney


Orlando além dos parques

- Orlando vista do alto - voo de helicóptero
- Ripley's Believe it or Not
- I-Drive 360 - Sea Life e Skeletons
- I-Drive 360 - Madame Tussauds e Orlando Eye
- Jantar temático Medieval Times
Basquete nos EUA - jogo do Orlando Magic
Disney All Star Resorts



Compras

Cupons de desconto nos EUA
Compras em Orlando
- Excesso de Bagagem
- Para economizar: Walgreens, Walmart e Dollar Tree
- Boas compras em Orlando
- Orlando Premium Outlets
- Florida Mall
Borda Mickey e Minnie

Outros

- Paródia do Tá no Ar - Chico Buarque de Orlando
- Um cantinho brasileiro em Orlando
Comida nos EUA
Cadeados TSA
- Como utilizar o I-Ride-Trolley
- Tomadas nos Estados Unidos
Tag De Turista a Viajante na Disney

15 de maio de 2013

Cadeados TSA

Cadeados TSA
Cadeados TSA e cadeado quebrado nos aeroportos americanos.
            

        Não sei como era a segurança nos aeroportos americanos antes do atentado terrorista de 11 de setembro de 2001, mas depois dos trágicos acontecimentos esse é um assunto levado extremamente a sério nos Estados Unidos. Se no Brasil vamos para a sala de embarque no limite do tempo, nos EUA é o oposto: chegue ao aeroporto e vá direto para a fila que é enorme. Do lado de lá, depois de passar pela revista, é que ficam as lojas e lanchonetes. É preciso tirar os calçados, minha filha foi revistada até embaixo dos cabelos que estavam soltos. Beira a neurose, mas temos que admitir que eles têm motivos para isso.
      Para reforçar a segurança dos meios de transporte do país foi criada a TSA (Transportation Secutrity Administration) que entre outras atribuições é responsável pela triagem da bagagem despachada nos aeroportos. Para isso, além do raio-X, abrem as malas se acharem necessário. Se a bagagem estiver trancada com um cadeado aprovado pela TSA (com o símbolo vermelho) estes serão abertos com a chave mestra que eles possuem e depois trancados novamente com um aviso dentro da mala de que ela foi aberta e tudo foi colocado em seu devido lugar. Se houver outro tipo de cadeado ou lacre, será quebrado e até estourado o zíper se decidirem abrir a mala. 

Símbolo dos cadeados TSA
Símbolo que identifica os cadeados TSA
              Para ir para os Estados Unidos arrisquei com meus cadeados comuns nas 4 malas e chegaram intactos tanto em Nova York quanto em Orlando alguns dias depois. Aproveitei para comprar os cadeados TSA lá, que custam USD9, a cartela com 2. No Brasil custam de R$30,00 a R$40,00 (preços do site da Samsonite e Le Postiche). Comprei 6 deles com chave, mas também há com segredo de quatro números. Na hora de fechar a última mala, o cadeado que estava mais próximo era um dos comuns e na pressa fechei com ele mesmo, o resultado está na foto acima. Quando peguei minha bagagem em São Paulo, a mala em questão estava sem cadeado; dentro dela o aviso de que fora aberta e o cadeado quebrado.
       Estava tudo exatamente como eu havia deixado, até duvido que tenham tirado alguma coisa dali e recolocado. Também não sei se abriram ao ser despachada em Orlando ou na conexão que fizemos em Miami, o problema é que essa mala chegou destrancada ao 'aeroporto de Guarulhos',  onde o número de bagagem roubada ou violada aumenta ano a ano.
         Vale ressaltar que não havia nada em minha mala que pudesse chamar a atenção das autoridades americanas, foi a última que fechei com roupas usadas, calçados de todos nós e alguns (poucos) brinquedos simples e baratos que trouxe de presente. Ou a escolha é aleatória ou basta não estar com o cadeado TSA para levantar suspeita, por isso quando viajar para os Estados Unidos providencie os seus.


Mala aberta pela TSA


Atualização março/2016

    Mais uma viagem para os EUA, mais uma mala aberta. Desta vez estava vedada, o plástico foi cortado e recolocado com fitas com a identificação da Transportation Secutrity Administration. Dentro dela tudo em ordem, sem faltar absolutamente nada.



12 de maio de 2013

O Brasil para os brasileiros - Diogo Mainardi

Diogo Mainardi no programa de Jô Soares           Saudades de abrir a revista Veja no domingo e ler a coluna de Diogo Mainardi. Mas como isso não é mais possível, vou recordar um texto polêmico (como todos os outros do autor) sobre o turismo no Brasil. Leia preparado para o desafio que é qualquer texto de Diogo Mainardi.

O Brasil para os brasileiros

            "Eu tenho uma regra. Uma regra elementar. Qualquer um pode segui-la. Funciona sempre. Quando a imprensa publica repetidas reportagens sobre o aumento do turismo brasileiro para os Estados Unidos, está na hora de juntar suas economias, ir correndo até o cambista da esquina e trocar tudo por dólares. Em seis meses, seu dinheiro terá dobrado de valor. Não há a menor possibilidade de erro. Outro dia, O Globo publicou uma reportagem dessas. Continha cinco sinais inequívocos de descalabro cambial: 1) Depois de dois anos, a loja de departamentos americana Bloomingdale's voltou a exibir a bandeira verde-amarela em sua fachada. 2) Os vôos da Varig para os Estados Unidos estão com a lotação completa para os próximos três meses. 3) As escolas de esqui no Colorado agora oferecem cursos em português. 4) A Disney estima um crescimento de 17,2% de visitantes brasileiros em Orlando. 5) Uma vereadora do Partido Verde do Rio de Janeiro foi passar as férias com a família em Nova York e aproveitou para assistir à montagem do espetáculo A Gaiola das Loucas, na Broadway. Trata-se da mesma vereadora cujo caminhão de som me acordou diariamente durante a última campanha eleitoral. Escute o conselho de seu amigo Diogo. Os números não batem. O real irá despencar. Ponha o carro à venda e compre dólares. Ponha o apartamento à venda e compre dólares. Depois me escreva agradecendo.
           Não que haja algo de errado em querer viajar para os Estados Unidos. Pelo contrário. Quem nunca foi até lá deve pegar o primeiro avião e se mandar imediatamente. Entre viajar para os Estados Unidos e rodar pelo Brasil, é muito mais recompensador viajar para os Estados Unidos. O potencial turístico brasileiro costuma ser grandemente superestimado. Jamais seremos uma meta preferencial dos estrangeiros. O país tem pouco a oferecer. Só desembarcam aqui os turistas mais desavisados. Ou então os que buscam sexo barato. O mundo está cheio de lugares mais atraentes que o Brasil. Da Tunísia à Croácia, da Indonésia à Guatemala. Temos muitas praias. Mas nosso mar é feio. Turvo. Desbotado. Com despejos de esgoto. Pouco peixe. Peixe ruim. Chove demais. Chove o ano todo. Não temos monumentos. Não temos ruínas arqueológicas. Nossas cidades históricas são um amontoado de casebres ordinários e igrejas com santos disformes. Não temos o que vender porque não sabemos fazer nada direito. Não temos museus. Sou um pervertido, e teria o maior interesse em conhecer o museu da Base Aérea de Brasília, onde está exposta a taça de champanhe manchada de batom que dona Marisa usou na inauguração do avião presidencial. Mas como convencer um turista dinamarquês de que vale a pena fazer o mesmo? Nossas florestas estão sempre em chamas. Não sabemos comer. Desrespeitamos as normas básicas de higiene, contaminando os estrangeiros e a nós mesmos. Roubamos. Com um pouco de sorte, até matamos. O Brasil só serve para os brasileiros. A Embratur deveria parar de fazer propaganda enganosa sobre o país no exterior. Por falar em exterior, para onde vamos no Carnaval?"
Diogo Mainardi
Revista Veja - 26/01/2005
http://veja.abril.com.br/260105/mainardi.html

            O autor paulistano teve uma coluna semanal na Revista Veja de 1999 ao final de 2010 quando se mudou com a família para Veneza, na Itália. Como colunista de Veja colecionou processos contra si por "crimes de opinião". Não compartilho das opiniões radicais sobre o Brasil, mas sou fã do autor pelos textos que expõem algumas verdades incômodas.

Entrevista no programa de Jô Soares, em novembro/2007.



Leia mais um texto 'do contra': O Inferno da Disney, por Fernanda Torres.

9 de maio de 2013

Balneário Camboriú - faça as contas

Balneário Camboriú

          Férias chegando, vamos aos planos. O objetivo era um local que agradasse às 'criOnças', de quebra a mamãe aqui pudesse relaxar e um destino que já conhecêssemos, já que o pai desta vez ficou de fora. Conclusão: Balneário Camboriú nas férias de julho. Agora vamos às contas que gastar pouco nunca sai dos planos de viagem.

      Começando pelos sites de compras coletivas, que quando fiz as contas para Gramado não havia economia nos pacotes oferecidos, mas são um bom ponto de partida nas pesquisas.

- Hotel Urbano com saída em maio, junho, julho, agosto ou setembro.
- 2 diárias no Hotel das Américas (condicionado à compra de 2 pacotes) + voo saindo de São Paulo (Gol) + ingresso de 1 dia para o Beto Carrero World + transfer aeroporto-hotel-aeroporto:
- R$529,00 (pacote) + R$ 140,00 (taxas) + R$99,00 (voo Ribeirão Preto a São Paulo) = R$768,00
- Total para 2 pessoas = R$1536,00

- Comprando separado:
   - 2 diárias no Hotel das Américas em quarto duplo pelo site Mala Pronta = R$260,00
   - voo Ribeirão Preto a Navegantes pela Azul = R$665,70 (x2) = R$ 1331,40
   - táxi aeroporto-hotel-aeroporto = R$170,00
   - ingresso do Beto Carrero Wold = R$68,00 (x2) = R$136,00
   - Total para 2 pessoas = R$1897,40

      Neste caso o pacote para 2 pessoas no site de compras coletivas custou menos. Não é a economia de 56% anunciada, é pouco mais de 20% de desconto, mas são R$361,40 a menos.

      A questão é que não compensa gastar  tanto com passagem aérea para apenas 2 dias de hotel, além disso férias de 2 dias não são férias. Fiz as contas para 3 pessoas com 6 diárias no mesmo hotel e mesma data:

- Azul Viagens
- Voo Ribeirão Preto a Navegantes + 6 diárias no Hotel Rieger = R$ 3197.79 (em 10x no cartão)
   
- CVC
- Voo saindo de São Paulo + 4 diárias no hotel Rieger + transfer aeroporto-hotel-aeroporto + 1 ingresso para o Beto Carrero = R$ 3226.56 (+ R$99,00 x3 - voo Ribeirão-São Paulo) = R$3.523.56. Em relação ao pacote da Azul, como tem transfer e ingresso o valor é praticamente o mesmo, com 2 noites a menos.

- Comprando separado
- voo Azul, Ribeirão Preto-Navegantes-Ribeirão Preto (x3) = R$1997,10 (com taxas)

- Hotel Rieger - R$290,00 (quarto triplo) x 6 diárias = R$1740,00 (em 3x, com 40% para reserva)
- Hotel Rieger pela CVC (quarto triplo) x 6 diárias = R$1692,00 (em 10x)
- Hotel Rieger pela Decolar (quarto triplo) x 6 diárias = R$1848,00 (em 12x, porém mais caro que no próprio hotel).

     Pegando o menor valor encontrado de estadia (CVC) + aéreo pela Azul, que também tem a passagem mais barata nesse trecho, temos: R$1997,10 + R$1692,00 = R$3689,10 (lembrando: cálculo para 3 pessoas). São R$165,54 a menos por exatamente os mesmos serviços, ou seja, às vezes ser turista é mais barato.

      Adoro fazer essas continhas e algumas compartilho aqui com vocês. Vejam outros posts desse tipo:




6 de maio de 2013

Índice: Em qualquer viagem...

Índice de postagens do De Turista a Viajante para ajudar em qualquer viagem:
Mala estilizada

Bagagem
- Fazendo as malas
Como montar a mala de viagem para a Europa
Mais espaço na mala
- Com que sapato eu vou?
Excesso de bagagem
- Cadeados TSA

Documentação e legislação
Quem precisa de autorização para viajar
Anac - resolução 141
- Menores em viagem ao exterior
Como tirar o passaporte
- Visto americano no consulado de São Paulo
Entrevista no Consulado americano
Vistos de turismo em 18 países

Guias
- Free Travel Guides
Cartilhas e guias informativos para o turista
Guia Viaje Legal
- Cartilha de Direitos do Turista
- Cartilha de Direitos dos Passageiros
- Passaporte verde: respeite o meio ambiente.
- Nossa página no Slide Share
- Guia dos museus brasileiros
- Proteção aos direitos dos turistas (Procon)

Para saber mais
- Palmas para crianças perdidas
Aprenda espanhol na internet
Dicionário do Viajante
- Viagens para cada signo
- Cursos online  gratuitos sobre turismo

Promoções
- Não perca as promoções
Cartão de crédito Smile
- Smile Shopping

Transporte e hospedagem
Transfer: porto e aeroporto
A primeira viagem de avião
Diferença entre escala e conexão
- E se eu perder o voo
Hospedagem em Guarulhos (Próximo ao aeroporto)
- Temporada de Cruzeiros
- Check-in online
- Ibis Indaiatuba (Viracopos)

* Esse link é meu curinga para começar a planejar todas as viagens:
Todos os voos dos aeroportos do país

logo mala

3 de maio de 2013

Comida nos EUA

         Em primeiro lugar é caríssima e em segundo é horrível. Claro que para nossos padrões tanto econômicos quanto de paladar. Por isso uma passadinha no Walmart é imprescindível, mas não se empolgue porque as embalagens são gigantes e além de não ter um refrigerador duplex no apartamento do hotel, todo dia a mesma coisa enjoa.
Walmart em Orlando na Florida
A Laura adorou o Leite Ninho gigante.
              A comida nos Estados Unidos ou é adocicada ou é muito apimentada. Nos primeiros dias pode ser até divertido comer lanche e batata frita, principalmente para as crianças, mas depois de uma semana você estará louco por um arroz e feijão que só encontrará nos restaurantes brasileiros. Em 15 dias, nós fomos a 2 deles em Orlando: o Camila´s e o Vittorio's, em ambos o preço era USD19, com bebida e sobremesa.
            O Camila's serve uma comida mais simples, aquele almoço de domingo bem brasileiro: salada, arroz, feijão, lasanha, frango assado, bife e farofa. Comida caprichada e bom atendimento também. Fica ao lado da Yes Brasil, onde achei os preços altos, de uma padaria e supermercado com produtos brasileiros.
             O Vittorio's é um restaurante mais cheio e com comida mais variada com pratos a base de bacalhau, camarão, etc. No dia em que estivemos lá, estava jantando a atriz Anna Karolina Lannes, a Ágata, filha da Carminha na novela Avenida Brasil. A menina é um doce e atendia aos fãs brasileiros na maior boa vontade, mas um pouquinho de bom senso não faz mal a ninguém. É uma criança aproveitando suas férias e não um personagem da Disney posicionado para fotos. Eu a fotografei de longe e deixei a menina em paz. Fica ao lado da Perfumeland, entre outras lojas. Na Perfumeland, nem todos os preços praticados são os melhores, mas vale a pena dar uma olhada geral na loja. Encontrei, por exemplo, o shampoo Senscience por 12 dólares, menos que a metade do preço no Brasil.

Restaurante de comida brasileira Vittorio's, em Orlando
A foto ficou ruim , mas eu a deixei jantar sossegada.
           Há alguns restaurantes que não impressionam tanto pela culinária, mas pela decoração. Em Downtown Disney fomos ao T-Rex e ao Planet Hollywood. Na City Walk fomos ao NBA Restaurant.

Restaurante T-Rex em Downtown Disney

          O T-Rex é diferente de tudo que já vi no Brasil. Os dinossauros da decoração se movem e soltam ruídos, as crianças têm um área onde brincam de desenterrar ossos e fazer descobertas e o cardápio precisa de ajuda para se decifrar os pratos com nomes do tempo das cavernas, mas há garçons que falam espanhol que nessa hora são uma ajuda e tanto. Foi nossa conta mais cara em restaurantes nos Estados Unidos (UDS125), porém a comida tem gosto de comida.

Restaurante T-Rex em Downtown Disney

           No Planet Hollywood a decoração chama muito mais a atenção que o cardápio, mas já está valendo. No nosso caso, o jantar já fazia parte do pacote e tinha um cardápio específico com 4 ou 5 opções entre lanches e massas, além da sobremesa que era um brownie muito doce.

Planet Hollywood em Downtown Disney, Orlando

           O restaurante da NBA, como era de se esperar, toda a decoração remete ao basquete. Há uma loja (nos outros também, claro) com camisas oficiais e outros produtos relacionados ao esporte e ao entrar cada um recebeu um ticket para trocar com fichas e jogar nas máquinas. Era um almoço que também já fazia parte do pacote com sorvete de sobremesa. Não era uma comida excepcional mas... tinha arroz!!!
Restaurante NBA, City Walk, Orlando - Florida

         O almoço é sempre nos parques onde há várias opções de cardápios e preços nunca muito camaradas. Um hot dog (pão, salsicha e só) custa USD9, o copo de refrigerante tem 2 tamanhos diferentes por USD2,55 ou USD2,90. De qualquer forma você terá que comer, então não caia na tentação de ficar convertendo em reais para não ter uma congestão.
           O lugar que me pareceu mais interessado em atender ao paladar do brasileiros foi a praça de alimentação do Florida Mall onde em frente a cada restaurante fica um funcionário oferecendo a degustação. Uma volta inteira por ali, experimentando tudo, você sai alimentado sem gastar nada.
          Se nada lhe agradar sempre haverá por perto um Mc Donald's ou Subway com preços bem parecidos com aqueles praticados no Brasil. Bom apetite!
Tag De Turista a Viajante na Disney