Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

10 de abril de 2014

E se eu perder o voo?

Avião decolando

                São tantos "e se..." numa viagem aérea que uma agente de viagem certa vez me recomendou não ficar pensando neles para não desistir da viagem. A verdade é que aos poucos fui vivenciando um por um e agora acho que conheço quase todos:

E se... a mala extraviar? Clique aqui.
E se... o voo atrasar? Clique aqui.
E se... o voo for cancelado? Clique aqui e aqui.
E se... eu precisar cancelar a viagem? Clique aqui.

                Minha última experiência foi a 'E se... eu perder o voo'. Vamos a ela:
           Era uma conexão em Campinas de um voo entre Navegantes e Ribeirão Preto, o que torna o transtorno bem menor já que a responsável é a própria companhia aérea que atrasou o primeiro voo. Estava viajando pela Azul e foi tudo muito simples: pediram para que me dirigisse ao balcão de check-in e aguardasse a entrega dos próximos vouchers. Alguns minutos de espera e um funcionário me trouxe os bilhetes para o próximo voo e um vale para o almoço no restaurante indicado. Tudo muito simples, mas quando o responsável pelo atraso é o passageiro a coisa complica um pouco.
              A ANAC garante o direito de remarcar dentro de 12 meses, desde a compra do bilhete, e autoriza as companhias aéreas a cobrarem taxas de remarcação que variam de acordo com cada uma e estão especificadas nos sites. Além da taxa de remarcação, o passageiro pagará a diferença entre o bilhete do voo perdido e o atual que custará bem mais caro que aquele que foi comprado com antecedência. Ou seja, o que já foi pago não será totalmente perdido, mas o prejuízo é grande, às vezes bem maior que o valor inicial da passagem aérea. Por exemplo, já comprei bilhetes da Gol com antecedência de 3 meses, na promoção por R$79,00; se perdesse esse voo e quisesse outro no mesmo dia pagaria 3 ou 4 vezes esse valor + a taxa de remarcação, ou seja, de nada adiantaria ter o estorno do valor já pago. Enfim, é melhor não perder o voo, mas se acontecer saiba que providências tomar.

- Se você tem pressa em chegar ao destino, dirija-se ao balcão de vendas para reservar outro voo o mais cedo possível. Se o fator tempo for o mais importante aqui, considere a hipótese de viajar por outra companhia e deixar esse valor como crédito para uma viagem futura. 

- Depois procure o balcão da ANAC (em qualquer aeroporto) para informar-se melhor e assegurar que todos os seus direitos sejam garantidos.

Tente evitar esse transtorno:

- Se não for possível um voo direto, dê preferência a voos da mesma companhia ou companhias parceiras, pois nessa compra 'casada' as companhias aéreas terão que se responsabilizar pelo atraso provocado por elas mesmas.

- Se seus voos são de companhias diferentes (não-parceiras), compre os bilhetes com uma distância mínima de duas a três horas entre um voo e outro.

- Adiante o check-in através da internet, no site da companhia aérea.

- Quando comprar seu bilhete em promoções, atente-se para as taxas de remarcação.

- Respeite a orientação de chegar ao aeroporto com uma hora de antecedência para voos nacionais e duas horas para voos internacionais. Lembre-se de calcular o tempo perdido no trânsito para chegar até ao aeroporto, principalmente em horários de pico.

Boa viagem!
logo mala


Leia também: Perdi o voo e a confiança na TAM.

2 comentários:

  1. Sil,.. saudades de vc!!!
    Eu quase perdi um voo pela TAM... Compramos uma passagem área com voo direto e tres meses antes do embarque houve uma alteração por conta da Cia área.. precisariamos fazer uma troca de aeroporto (em SP) o atendente me garantiu que havia um onibus da tam para fazer o translado.. só não me avisou que era por ordem de chegada.. Conclusão, ao desembarcarmos em Guarulhos, procuramos pelo onibus e quando chegamos lá já estava lotado.. não havendo tempo hábil para esperar o próximo... Tivemos que pegar um táxi arcando com todas as despesas.. Os funcionários da Tam não quiseram nem saber do ocorrido.. Disseram que é responsabilidade do passageiro... affff

    Ótimo post.. bem esclarecedor...

    bjss querida..

    viagensinviagens@blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Informações valiosas, Sil! Gostaria de ter lido antes de sofrer na Itália quando quase perdi o voo. Nada sabia sobre remarcações... Só sabia que não tinha mais dinheiro nem sabia falar italiano e meu inglês era/é sofrível... :/
    Abraço!

    ResponderExcluir

E você? O que pensa sobre isso?
Os comentários anônimos estão sujeitos à moderação.