Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

14 de maio de 2014

Jorge Amado e sua Ilhéus

          Assim era em Ilhéus, naqueles idos de 1925, quando floresciam as roças nas terras adubadas com cadáveres e sangue e multiplicavam-se as fortunas, quando o progresso se estabelecia e transformava-se a fisionomia da cidade.
(Gabriela, Cravo e Canela)
Escultura de Jorge Amado em tamanho natural no Bar Vesúvio, em Ilhéus
Escultura de Jorge Amado no Bar Vesúvio
           O turismo da cidade de Ilhéus respira as histórias do morador mais ilustre que já teve, Jorge Amado. O escritor baiano não nasceu na cidade e sim em uma fazenda do vizinho município de Itabuna. Mudou-se para lá com um ano de idade e em Ilhéus passou apenas sua infância, na adolescência já estava em Salvador.

Obras de Jorge Amado publicadas em diversos idiomas e expostos na Casa Jorge Amado, em Ilhéus
Livros expostos na Casa Jorge Amado
            Certamente os felizes anos da infância deixaram suficientes boas lembranças para que vários de seus livros tivessem Ilhéus como cenário:

           Agora não voavam mais sobre o mar verde. Primeiro foram os coqueiros e logo depois o morro da Conquista. O piloto inclinava o avião e os passageiros que iam do lado esquerdo podiam ver, como num postal, a cidade de Ilhéus se movimentando. 
(São Jorge dos Ilhéus)

Casa Jorge Amado, em Ilhéus - BA
        Hoje a casa onde Jorge Amado viveu transformou-se em museu em homenagem ao autor, com fotos, objetos pessoais e até a máquina de escrever de onde saíram tantas histórias sobre Ilhéus:



         O feitiço de Iemanjá é muito forte. Mas poderia ir embora. Iria com Lívia para bem distante dali, alguém já lhe disse que em Ilhéus um homem pode ganhar muito dinheiro. Iria trabalhar noutro oficio, fugiria daquele lugar. 
(Mar Morto)


         Manoel Misael de Souza Telles era o seu verdadeiro nome. Possuía mais de oitenta mil contos e as suas fazendas estendiam‑se por todo o município de Ilhéus.
 (Cacau)

Máquina de escrever de Jorge Amado exposta em sua casa-museu, em Ilhéus
          O mais interessante é que a homenagem foi feita em vida, o autor esteve presente na inauguração da Casa Jorge Amado e no final da visita há um vídeo de cinco minutos em que ele fala sobre a importância dessa casa em sua vida.

Roupas de Jorge Amado expostas em sua casa-museu em Ilhéus - BA
       Um pouco de história e de cultura não fazem mal a ninguém, além disso ajudam a tornar os passeios mais significativos, tanto para turistas quanto para os moradores que parecem desconhecer o básico sobre sua cidade.

Literatura de cordel baseada nas obras de Jorge Amado vendidas em Ilhéus - BA
Cordel sobre obras de Jorge Amado, entre outros.

         Ouvi um turista perguntando a um jovem vendedor de chaveiros o motivo da cidade se chamar Ilhéus. Por acaso se trataria de uma ilha? E a resposta veio sem titubear:
     _ Não, é porque Jorge Amado que escolheu esse nome.
    Dá pra imaginar o que é para uma professora de literatura ouvir tal absurdo sem interromper a conversa? Para a felicidade (e alívio) de minhas filhas e meu marido, eu consegui.
logo mala

Um comentário:

  1. Hehehe... Eu tb teria vontade de interromper a conversa! :)
    Amei o post! Sempre achei tão doce a sonoridade do nome Ilhéus. Agora vou desejar aparecer por lá por causa desse turismo literário. Muito bacana :)
    Abraço,
    Jussara - minasdemim

    ResponderExcluir

E você? O que pensa sobre isso?
Os comentários anônimos estão sujeitos à moderação.