Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

30 de abril de 2015

Jardim Japonês - Buenos Aires



          O Jardim Japonês é um dos parques de Palermo, em Bueno Aires. Um lugar muito bem cuidado e muito bonito onde se conserva um pouquinho da cultura oriental.

Parques de Palermo: Rosedal, Zoológico e Jardim Japonês lado a lado
        Os três parques ficam bem próximos e têm atrações diferentes, por isso é difícil escolher um em detrimento do outro. Eu visitei os três em duas viagens a Buenos Aires. Primeiro fomos ao Zoológico, em 2011, que, claro, é o que mais agrada às crianças.


         O Rosedal é um encanto! Fui surpreendida mesmo tendo-o visitado fora da época da exuberância das flores (janeiro). De lá fomos caminhando até o Jardim Japonês, observando as paisagens lindas da região.


        A comparação entre os dois, principalmente tendo visitado um a seguir do outro é inevitável, e não há uma resposta única para a pergunta: "Qual o mais bonito?" Pois além de preferências pessoais, esses lindos jardins possuem plantas diferentes que florescem em épocas diferentes. 


        Assim, há épocas do ano em que o Jardim Japonês está mais exuberante e outras em que o Rosedal o supera em beleza. Essa é a opinião do Pablo, o guia argentino que nos acompanhou e que conhece cada cantinho desses parques.


    Além dos labirintos para caminhadas há fontes, lagos com carpas, monumentos da cultura japonesa, mirante, biblioteca e outros cantinhos agradáveis.



          Bonecas, gatos, origames e outros elementos típicos da cultura japonesa também estão presentes. Um lugar de muita paz, muito sossego. Quem assistiu ao filme argentino Um conto chinês (Un cuento chino) vai achar as paisagens bem familiares. Vale a visita, nós aprovamos!



Assista ao trailler do filme com o ator mais querido dos argentinos - Ricardo Darín.

27 de abril de 2015

Netas de Graham Bell no Empress



     Desta vez o encontro inusitado não foi comigo e sim com minha amiga Geiza que autorizou a publicação das fotos feitas com as netas de Alexander Graham Bell, o inventor do telefone, no navio Empress/Pullmantur.
   Ela disse que Dona Sílvia e Dona Neriz são pura simpatia e muito boas de conversa. Contaram até que guardam uma réplica do primeiro telefone que foi dada por D. Pedro.
      Muito legal! Bônus de viagem




24 de abril de 2015

Um roteiro nada turístico em Buenos Aires

Passeios por Buenos Aires
Passeando a pé entre os parques de Palermo, conseguimos essa foto inusitada
           As três passagens que fizemos por Buenos Aires foram em escalas de cruzeiros, o que limita bastante o tempo na capital portenha. Mesmo assim, na terceira vez os principais pontos, aqueles que estão sempre cheios de turistas, já tinham sido visitados e o roteiro para dois dias feito por mim com a ajuda do guia Pablo Blacher (veja contatos aqui) foi bem pouco turístico, tanto que o Pablo disse que dependendo da foto que eu mostrasse não creditariam que eu estive em Buenos Aires. Vamos ver como foi?

21 de abril de 2015

Tour Bus em Montevidéu

Montevidéu

           Com o pouco tempo que tivemos em Montevidéu, na escala do MSC Poesia, o ônibus turístico foi uma opção mais do que bem vinda. Embora já tivéssemos feito um outro City Tour em 2011, quisemos conhecer o Bus Turístico Montevideo.

MontevidéuMontevidéu            
         O ponto de partida do ônibus turístico fica bem em frente ao porto, bastando atravessar a avenida (Rambla 25 de Agosto). Em janeiro/2015 o valor em pesos uruguaios era de 468, que convertidos em reais dava aproximadamente R$60,00. Não sei se porque pegamos o último horário e o guichê já estava prestes a fechar, mas só aceitaram dinheiro local, nem dólares e nem real.

Montevidéu

           Pegamos o último horários, portanto o passeio foi sem paradas, sem a possibilidade de desembarcar e embarcar novamente no próximo ônibus, uma hora depois. Só é possível essa opção para quem embarca até a partida das 14;30h . O passeio completo, sem paradas, dura em torno de duas horas, começando desde as 9:30h é possível parar em onze pontos durante todo o dia, até o último ônibus a partir das 16:30: Puerta de la Ciudadela, Explanada Municipal, Feria Tristan Narvaja (só aos domingos), Palácio Legislativo, Mercado Agrícola, La Diligencia, Jardim Botânico, Terminal Três Cruces (shopping), Estádio Centenário, World Trade Center, Punta Carretas e Parque Rodo.

Montevidéu
Puerta de La Ciudadela
              O ônibus tem fones individuais com opção de sete idiomas para as descrições que são feitas enquanto o ônibus passa pelos pontos. A parte de cima é mais agradável, mas em um final de tarde frio como pegamos ficou bem desconfortável o vento gelado. A parte de baixo é um ônibus normal, com grandes janelas, possui menos lugares que ficaram ocupados rapidinho com os que fugiram primeiro da parte de cima.

Montevidéu

Montevidéu
Mercado Agrícola

                É uma boa forma de conhecer a cidade tanto para quem tem pouco tempo, pois terá uma visão geral do que ela apresenta, quanto para quem quer ver tudo e depois voltar ao que mais interessou. Quem começa o passeio logo cedo terá tempo para fazer 5 ou 6 paradas e conhecer seus pontos de maior interesse. Nas escalas de navio, que costumam ser bem curtas, será difícil conseguir isso. Se houvesse tempo eu pararia no centro (Puerta de La Ciudadela) para visitar o Teatro Sollis e no Estádio Centenário com o Museo del Futbol.

Montevidéu

               De qualquer maneira, com ou sem parada, as paisagens são muito bonitas e o passeio vale a pena.

Montevidéu

Montevidéu
A rambla com o Rio da Prata ao fundo.
logo mala

18 de abril de 2015

Montevidéu em escala de cruzeiro


Escala de navio em Montevidéu
MSC Poesia no porto de Montevidéu, anoitecendo.
           Essa foi nossa segunda visita a Montevidéu, as duas em escalas de cruzeiros. Na primeira vez, em 2011, estávamos a bordo do Empress e desembarcamos em um dia chuvoso que não deixou muitas opções a não ser um City Tour contratado no porto (leia aqui). Como não foi exatamente meu dia perfeito na capital uruguaia, planejei uma segunda visita bem diferente, mas não consegui seguir nem minhas próprias dicas já publicadas no blog.

Escala de navio em Montevidéu
Embarcação trazendo o prático para orientações de manobra do navio no Rio da Prata
              Por quê? Bem, novamente o clima não ajudou, o dia estava cinzento, com um vento gelado que chegava aos ossos. Além disso, meus planos foram para uma escala prevista no roteiro entre as 7h e as 13h, o navio mudou a rota e a escala foi das 16:30h às 21:30h, como a grande maioria das atrações e visitas guiadas vão até às 17h, sobraram pouquíssimas opções: ir direto a um ponto de interesse e tentar pegá-lo aberto, passear a pé sem se afastar muito ou o Bus Turístico Montevideo, que pegamos em sua última rota, saindo do ponto inicial às 17:30h.

Escala de navio em Montevidéu
Lojas fechadas no calçadão próximo ao porto.
             Sobrou pouco mais de meia hora para dar uma voltinha pelo calçadão próximo ao porto antes de iniciar o passeio no ônibus turístico. Muitas lojas já estavam fechadas, mas consegui encontrar um mercadinho aberto e comprar as guloseimas deliciosas da La Pataia, pelo menos o paladar ficou satisfeito.

Frutaria próxima ao porto.
Escala de navio em Montevidéu
Um mercadinho aberto, ufa!! O doce de leite está garantido.
              Preciso utilizar de parcimônia para falar de Montevidéu, pois embora nenhuma de minhas duas visitas tenham sido inesquecíveis e deixado um gostinho de quero mais para pensar em uma viagem específica para conhecer melhor a cidade, não sei dizer se a capital do Uruguai realmente não tem os atrativos que me fazem querer voltar ou se não tive tempo suficiente para formar uma opinião consistente sobre o destino.

Comprinhas em Montevidéu
Minhas comprinhas com sabores uruguaios.
                  Enfim, se voltar a Montevidéu será em mais uma escala de cruzeiro, já que uma estadia mais longa não me empolga, mas fazer outro cruzeiro me anima com certeza. Se houver a próxima vez, e os horários permitirem, vou ficar entre duas opções: fazer o Walking Tour amplamente divulgado no porto ou pegar um táxi e ir direto aos pontos que me interessam conhecer.

Escala de navio em Montevidéu
Mapa com trajeto do Walking Tour
               O que me dá vontade de conhecer por lá é o Teatro Sollis e o Estádio Centenário que está meio caído, mas lá se realizou a primeira Copa do Mundo, sou curiosa e adoro estádios. Desta vez os vi só de longe, quando voltamos do passeio com o ônibus turístico já eram quase 20h, até o Mercado do Porto estava fechado, não havia porquê ficar em terra só para passar frio e embarcamos novamente.
Escala de navio em Montevidéu
Teatro Sollis, visto do ônibus turístico.

Escala de navio em Montevidéu
Estádio centenário visto do ônibus turístico.

logo mala


16 de abril de 2015

24 horas de proteção na viagem



    Alguns cosméticos podem ir além de suas funções originais e se tornarem coringas  a serem levados na nécessaire de viagem. Por exemplo, os produtos desenvolvidos para práticas esportivas  que proporcionam maior proteção e refrescância durante todo o dia. Afinal, a ideia é sair do hotel logo cedo e voltar apenas para dormir. Ou não?
 Separei aqui dois itens bem especiais: um antiperspirante sem perfume e um creme de pentear com filtro solar, ambos da linha Speedo, da Biotropic.
    Eu prefiro desodorantes sem perfume sempre, porque usamos diariamente muitos cremes, shampoo, condicionador, protetor solar... que, por mais suaves que sejam, são muitos aromas misturados, o desodorante não precisa ser mais um. A proteção intensiva dos produtos desenvolvidos para esportistas ainda têm o bônus de garantir que você passeie durante o dia todo protegida da transpiração. 
      Se as férias forem de verão, principalmente se o destino for a praia, o creme de pentear tem que estar na bagagem. E se tiver filtro solar... melhor ainda! Mas em qualquer estação o Sol dá as caras e, além de chapéus e bonés, essa proteção extra será bem vinda, já que durante as viagens se caminha e se expõe ao Sol bem mais que no dia a dia.
   A Linha Speedo tem outros itens e além da versão Women, há também a Men que oferece os mesmos benefícios em embalagens azuis. 
                                  E que venham os passeios!!


15 de abril de 2015

Estádio Monumental de Núñez - River Plate

Estádio Monumental - Buenos Aires
Foto oficial dos visitantes

           Se você visita Buenos Aires com um guia local fanático pelo River Plate é claro que terá o maior incentivo para conhecer o Estádio Monumental de Núnez que é também a casa oficial da seleção argentina, por isso, o museu guarda a história tanto do Club Atlético River Plate quanto da própria seleção.

Estádio Monumental - Buenos Aires

           Nosso guia foi o Pablo, cujo profissionalismo em nossa viagem de 2010 o obrigou a nos levar ao campo do arqui inimigo: o La Bombonera, casa do Boca Juniors. Mas ele é profissional e disfarça muito bem, só nesta viagem, quando me mostrei encantada com as instalações, a beleza, a história do River Plate é que ouvi dele o comentário de que 'nem tudo que é mais visitado é o melhor'.

Estádio Monumental - Buenos Aires

             Eu acho os argentinos bem mais fanáticos que os brasileiros por futebol. A rivalidade entre River Plate e Boca Juniors, por exemplo, supera qualquer provocação entre corinthianos e sãopaulinos. Não cabe aqui opinar sobre qual das duas equipes é a melhor, mas é impossível não perceber que o campo do River é muito mais bonito que o do Boca.

Estádio Monumental - Buenos Aires

           Tanto na parte interna quanto externa, o estádio é muito bonito e bem cuidado. A história do River e das conquistas da Seleção Argentina são contadas por meio de instalações interativas e exposições criativas que levam o visitante a viajar, literalmente através de um túnel do tempo, onde a visita começa.

Estádio Monumental - Buenos Aires

Estádio Monumental - Buenos Aires
















         Toda a história da Argentina e seus ídolos nacionais estão presentes nas portas laterais acessadas ao se caminhar pelo túnel, entre outras, a trajetória de Evita como primeira dama, os carros da moda, Mafalda, as capas de revistas com a seleção argentina, Maradona (claro!), as conquistas de Gabriela Sabatini, a chega da da internet ao país, os panelaços... e muito mais.

Estádio Monumental - Buenos Aires

             O final do túnel traz uma exposição com maquetes do campo, as chuteiras dos grandes ídolos, fichas técnicas dos jogadores, a sala de troféus, etc. Tudo isso posse ser visto antes ou depois da visita guiada que acontece de hora em hora e leva a outras instalações do estádio.

Estádio Monumental - Buenos Aires

         Éramos os únicos brasileiros em um grupo de aproximadamente 30 pessoas, argentinos e de outras nacionalidade, mas todos falantes de espanhol.  O Pablo explicou que na visita ao campo do River acontece o oposto do campo do Boca. No La Bombonera a maioria dos visitantes é brasileira e no Estádio Monumental eles são raros. Eu adoro conhecer estádios de futebol, então acho que vale a pena visitar os dois.


Estádio Monumental - Buenos Aires

          A locomotiva do foto acima é uma homenagem ao time que ganhou este apelido pelas suas conquistas memoráveis (para os argentinos, confesso que não me lembro mais detalhes). Depois de toda visita ao campo e ao museu ainda há um filme para se assistir, mas este nós deixamos para outra oportunidade. O final de tudo, claro, é a lojinha de presentes com a marca, mas os preços na Argentina não estão convidativos e desta vez meu marido ficou sem a camisa oficial.


Estádio Monumental - Buenos Aires

Contatos do guia Pablo Blacher (argentino e torcedor do River):

E-mail: info@buenosaires-trip.com.ar

MSN: infobuenosairestrip@hotmail.com

Facebook: Guia Pablo Blacher
mala