Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

23 de janeiro de 2016

O dólar disparou...vou pra Disney mesmo assim

Variação do dólar de 2013 a 2016

            Pois bem, a cada nova variação do dólar, alguém me lembra que sou louca em viajar para Orlando nessa época. Discordo, porque foram pesados prós e contras antes de fecharmos a viagem e estávamos cientes do risco desta disparada.

          Os critérios para nossa decisão podem não ser válidos para outros viajantes, mas vou descrever em que se basearam. Nós viajaríamos de qualquer maneira, seja no Brasil ou no exterior, então começamos a fazer algumas cotações e os valores para Orlando se aproximavam muito do que gastaríamos em uma semana no nordeste brasileiro, por exemplo.
             Fiz as contas novamente hoje (23/01/2016), simulando uma viagem no período de 21/02/2016 a 28/02/206, para um casal. Utilizei o site da Azul Viagens para as simulações e selecionei um destino de cada região, além de um cruzeiro na costa brasileira e Orlando. Os valores correspondem a aéreo + hotel, apenas como parâmetro de referência. Escolhi hotéis 3 estrelas e bem localizados em todos os destinos. O que encontrei no Brasil?

Preços de pacotes de turismo pelo Brasil

Sul                      - Gramado-RS            - R$2.995,12
Centro-oeste      - Bonito-MS               - R$3.095,94
Norte                  - Manaus-AM             - R$4.218,03
Sudeste               - Rio de Janeiro- RJ   - R$4.390,99
Nordeste             - Maceió-AL              - R$4.572,68
MSC Splendida - costa brasileira         - R$5.256,42
Orlando-Fl         - Rosen Inn at Pointe - R$5.686,04

     Alguém já pode estar dizendo que os gastos com passagens aéreas e hotéis em Orlando são a menor parte do custo total dessa viagem. É verdade, o maior gasto é com ingressos dos parques, numa média de USD100 por ticket. Como também é verdade que a data pesquisada é considerada, no Brasil, como baixa temporada. 
       O auge da procura por Gramado, por exemplo, são os meses de novembro e dezembro, por conta do Natal Luz. Nesse período os preços das diárias aumentam muito e cada show noturno tem valores entre R$125 e R$250 por pessoa. Durante o dia há muito o que fazer por lá também, como por exemplo, conhecer o parque gelado Snowland, com ingressos a partir de R$100, dependendo das atividades que você escolha fazer. Ou passear de Maria Fumaça na vizinha Bento Gonçalves - R$150,00. Segundo a Revista Veja (06/01/2016), no ranking do Trip Advisor, Gramado está em primeiro lugar entre os destinos nacionais preferidos nas férias de verão.
      Já no Rio de Janeiro, os preços se comparam às cidades turísticas mais caras do mundo (dê uma olhada aqui). O custo de vida é altíssimo e mesmo assim, a cidade é a segunda colocada no ranking das mais procuradas. O terceiro destino mais desejado do verão brasileiro é Maragogi-AL, com valor médio de R$7644 por viagem (Revista Veja, 06/01/2016). Enfim, não importa qual seja o destino, é impossível resumir os gastos no valor inicial de passagens e hospedagens, pois é preciso acrescentar alimentação, transporte, ingressos, compras, etc
   Na minha opinião os cruzeiros marítimos têm um bom custo/benefício por serem a principal atração da viagem e já incluírem no valor do pacote toda a alimentação dos dias a bordo... sem as bebidas... e essas são pagas em dólar, assim como foi calculado o valor do pacote e serão feitas todas as compras dentro do navio: tudo em moeda americana.
Mapa da Flórida
       Não vou me alongar em comparações que se reduzem a valores, pois são destinos e atrações muito diferentes. Aqui entra também a questão do desejo de viajar para um local específico. Nossa primeira viagem para Orlando foi em janeiro de 2013, com o dólar a R$2,03; em 2015 desistimos do projeto de voltar porque o dólar passou dos R$2,70, e em 2016, já com a viagem programada, tudo que queríamos é que o dólar voltasse aos R$2,70 para aumentar nosso poder de compra nos EUA. Ou seja, tudo é relativo.
      Fechamos nossa viagem em outubro/2015, com o dólar chegando aos R$4,00 e analisamos todos esses fatores para uma decisão consciente, da qual nem de longe nos arrependemos. Fizemos negociações em família, cortamos gastos desnecessários na viagem, negociamos parcelamentos e lá vamos nós.

Algumas dicas de economia

- Compare os preços entre as várias companhias aéreas que fazem o trecho até Orlando (Tam, Azul, Gol, AA...) para a data que pretende viajar;

- Antes de fechar, observe as datas próximas que podem variar em valores significativos, principalmente para quem viaja em família e comprará 4 ou 5 passagens aéreas;

- Faça a cotação de reserva de hotel e aéreo separadamente e em pacotes de viagem (TAM, Azul, etc). Na data que nos interessava foi muito vantajoso o pacote da Azul com aéreo e hotel;

- Inclua outros serviços no pacote (transfer, ingressos), viajando com o máximo de itens já comprados. Nós incluímos café da manhã, ingressos para 4 parques, transfer aeroporto-hotel-aeroporto e o valor total podia ser dividido em até 12 x. Verifique se os preços compensam, claro.

- Escolha um hotel fora dos complexos da Disney e Universal. Ficando na International Drive você pagará mais barato pela hospedagem e estará muito bem localizado, com fácil acesso a parques, shoppings, restaurantes, etc

- Verifique se o hotel oferece transfer gratuito para os parques. O Rosen Inn at Pointe, por exemplo, tem transfer para os parques da Universal e o Sea World;

- Dispense o aluguel de carro, há formas mais baratas de se locomover em Orlando. O custo de um carro inclui além do aluguel, o combustível e os estacionamentos dos parques;

- O hotel que escolhemos (Rosen Inn) tem também microondas e frigobar nos quartos. Já nos planejamos para visitar o Walmart várias vezes durante a estadia;

- Alguns restaurantes oferecem transfer gratuito, aproveite e visite os arredores do estabelecimento;

- É sua primeira vez? Estude o roteiro em inúmeros sites de dicas sobre os parques de Orlando, você vai descobrir outras formas de economizar;

- Não é a primeira vez? Então você já sabe o que interessa ou não, concentre-se nos parques preferidos e troque alguns por outras atrações (mais em conta) que Orlando oferece: passeios de helicóptero, de balão, museus interativos, I-Drive360... há muito o que fazer por lá além dos parques;

- Em minha primeira viagem fizemos 8 parques em 10 dias e mais jogo de basquete, compras, etc, etc, etc... na volta precisei de férias para descansar das férias. Desta vez serão 10 dias e apenas 5 dias de parque, tudo light e tranquilo.

- Repense seus planos, o problema não é com o dólar, é o nosso real desvalorizado e esperar que ele se estabilize para viajar é o mesmo que adiar a viagem indefinidamente.
logo mala

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E você? O que pensa sobre isso?
Os comentários anônimos estão sujeitos à moderação.