Museu Imperial - Petrópolis

ESCRITO POR: sábado, dezembro 15, 2018 ,

Museu Imperial - foto do site oficial

        Assim como os ares de Petrópolis agradavam à família imperial no século XIX, ainda hoje é o destino de inverno preferido dos cariocas (a 65 km do Rio de Janeiro). Na cidade fica a antiga moradia de D. Pedro II e seus familiares, construída entre 1845 e 1862 para ser a residência de verão da família, porém, onde passavam a maior parte do ano: em torno de 7 meses a 8 meses e o restante deles no Rio de Janeiro, a capital do império no Brasil. Desde março/1943, o palácio é a sede do Museu Imperial, um dos mais visitados do país, que abriga mobiliário, vestimentas, joias, objetos pessoais, documentos, fotos, quadros e muita história do período imperial brasileiro.
Última foto da família real no Brasil na casa da Princesa Isabel.
      O riquíssimo acervo (tanto em valor histórico quanto monetário) de cerca de 300 mil itens, não pode ser fotografado pelos visitantes; mas as fotos são permitidas no pavilhão das viaturas, que originalmente era a antiga cozinha do palácio, e nos jardins que ainda conservam as características do projeto de Jean Baptiste Binot. Há mais de um portão de acesso no Museu Imperial, entre pelo mais próximo da Praça D. Pedro II para atravessar os jardins até a bilheteria. Também é possível conhecer ou relembrar as peças do acervo por meio do Tour Virtual
          Ao longo do calçamento, na extensão dos jardins do Museu, ficam as polêmicas 'vitórias', charretes puxadas por cavalos para passeios turísticos. Os moradores de Petrópolis votaram em um plebiscito em 07/10/2018 se eram 'a favor' ou 'contra' o uso de tração animal em passeios turísticos e optaram pelo fim das vitórias por entenderem que os animais são explorados e maltratados. Mesmo assim o empasse continuou, porém, com ou sem autorização, evite as vitórias e ajude a população a defender os animais.
Viaturas: liteiras e carruagens
          Para a visita às dependências da antiga moradia de D. Pedro II e família é necessário calçar pantufas (grandes chinelos de feltro) sobre os calçados para proteger o assoalho da grande movimentação diária por seus corredores, o que obriga os visitantes a andarem bem devagar, arrastando os pés para não perder os chinelões. Não são muito cômodos não, mas é uma regra que precisa ser obedecida. A visita segue em sentido único, com todos os móveis e objetos muito bem protegidos de mãos curiosas por vitrines e vidraças. O que não impede que se observem detalhes, por exemplo, os desenhos no teto que indicam a função do cômodo: harpas na sala de música ou as iniciais PT nos aposentos do imperador D. Pedro II e da imperatriz Teresa Cristina.
      Embora as dependências estejam ornadas com belíssimos lustres, enquanto serviu de moradia à família imperial, a casa nunca teve água encanada ou luz elétrica. Para aproveitar a luminosidade natural, seus moradores despertavam muito cedo, almoçavam por volta das 9h e jantavam às 16h . Nem todas as peças que compõe o acervo são da mobília original, a proposta é reproduzir  a vida no período imperial, inclusive com o trono que foi trazido do Rio de Janeiro, pois nunca houve 'Sala do Trono' na casa de Petrópolis, por não ser a residência oficial e sim destinar-se ao veraneio da família.
Museu Imperial - Petrópolis
          A parte mais interessante da visita, são os salões internos, mas cada cantinho desse espaço guarda surpresas como as estátuas do jardim, as jaqueiras que ainda dão frutas, a locomotiva Leopoldina, que subia a serra fluminense levando a família real até Petrópolis, a última foto da família real no Brasil e até mesmo os saguis que passeiam pelos jardins tornam-se atração entre os visitantes. 
       Além da visita à casa principal, o museu oferece outras atividades interessantes, como o passeio pelos bastidores, que acontece uma vez por mês, chamado 'O museu que não se vê'; a apresentação temática 'Um sarau imperial', em que a Princesa Isabel recebe as amigas e, durante a conversa, comentam sobre os assuntos em pauta na época: o futebol que chegava ao Brasil, o blue jeans como roupa dos trabalhadores do campo, o telefone, as composições de Carlos Gomes... A peça teatral é interativa, contando com a participação da platéia. Não é permitido fotografar durante o espetáculo, mas após o término as atrizes ficam à disposição para fotografar com o público. Na página oficial do Facebook também há fotos tiradas durante cada apresentação.
Um Sarau Imperial
            Outro evento que complementa a visita é o 'Espetáculo Som e Luz' que transporta os visitantes para momentos significativos do período imperial brasileiro, entre eles, a renúncia de D. Pedro I, o baile de apresentação das princesas Isabel e Leopoldina a seus futuros maridos, a assinatura da Lei Áurea, até a proclamação da República, quando a família real foi obrigada a se exilar na Europa. Para contar essas e outras histórias é utilizada tecnologia de ponta com projeções nas paredes do palácio onde, pelas janelas, se vê o movimento dos convidados para o Baile das Princesas. Na direção oposta as imagens são projetadas em uma cortina d'água com seis metros de altura e dezessete de largura. Imperdível, programe-se para assistir a esse espetáculo único no Brasil.
Espetáculo Som e Luz
   O espaço do Museu Imperial conta ainda com outras dependências como loja, biblioteca e o bistrô onde é possível tomar um chocolate quente com bolo ou fazer uma refeição completa, que a meu ver é um tanto cara (R$75 por pessoa, o almoço), porém, não experimentei para avaliar a qualidade da comida e concluir se vale ou não. Na última sexta-feira de cada mês, acontece no Duettos's Café e Bistrô o 'Chá da Princesa', a experiência une gastronomia,  teatro e muita história, oferendo no cardápio os quitutes prediletos da realeza, como o pão-de-ló de laranja, preferido da Princesa Isabel que aparece por lá para receber seus convidados. O Duetto's também oferece uma vez por mês, o 'Jantar do Imperador', com pratos que relembram os banquetes imperiais e conta com a presença do próprio D. Pedro II, na companhia de sua filha Princesa Isabel (veja mais informações no final do post).
       Além de seu endereço principal, também pertence ao complexo do Museu Imperial, em Petrópolis, a Casa de Cláudio de Souza, construída no final do séc.XIX, onde viveu o médico e escritor membro da Academia Brasileira de Letras.
        Como se vê, visitar o Museu Imperial não é apenas dar uma 'passadinha'. Programe-se para aproveitar o que ele oferece de melhor.
Casa de Cláudio de Souza

Serviço
Museu Imperialhttp://www.museuimperial.gov.br/ 
Endereço: Rua da Imperatriz, 220 - Centro - Petrópolis/ RJ
Horários: terça-feira a domingo, das 10h às 18h (bilheteria até 17h)
Valores: R$10 (inteira); R$5 (meia)

Sarau Imperialhttps://www.facebook.com/umsarauimperial/
Horários: quinta, sextas e sábados, às 18:30h
Valores: R$16 (inteira); R$8 (meia)
Duração: 45 min

Espetáculo Som e Luz
Horários: quinta, sexta e sábados, às 20:30h
Valores: R$20 (inteira); R$10 (meia) 
Pacote familiar: 2 adultos + 2 estudantes ou 2 idosos - R$50
Duração: 45 min

Combo
Museu + Sarau + Som e Luz: R$ 36 (inteira); R$18 (meia)

O museu que não se vê (visita aos bastidores)
Período de realização: de março a novembro
Horário: última quarta-feira do mês, às 9h e às 14h 

Grupos de 5 a 15 pessoas, recomendado a partir de 14 anos
Duração: 3 horas
Valor: gratuito, mediante agendamento 
 (24) 2233-0368


Casa Cláudio de Souza
Endereço: Praça da Liberdade, nº 247, Centro – Petrópolis – RJ
Horários: terça a sexta-feira, das 11h às 18h
Entrada gratuita

Chá da Princesa
Endereço: Duetto's Café e Bistrô (no próprio museu)
Horário: última sexta-feira do mês, 16h às 18:30h
Limite de 50 pessoas
Valor: R$62,90
Agendamento: (24) 2443-2952 ou (24) 2020-1408
E-mail duettoscontato@gmail.com 

Jantar do Imperador
Endereço: Duetto's Café e Bistrô (no próprio museu)
Horário: uma sexta-feira por mês (não pré-definida), às 20:30h
Limite de 20 pessoas
Valor: R$150 (sem bebidas)
Agendamento: (24) 2443-2952 ou (24) 2020-1408;
E-mail duettoscontato@gmail.com 

Curiosidade
Nome completo de: D. Pedro I
Pedro de Alcântara Francisco Antônio João Carlos Xavier de Paula Miguel Rafael Joaquim José Gonzaga Pascoal Cipriano Serafim de Bragança e Bourbon.

Nome completo de: D. Pedro II

Pedro de Alcântara João Carlos Leopoldo Salvador Bibiano Francisco Xavier de Paula Leocádio Miguel Gabriel Rafael Gonzaga de Bragança e Bourbon.
logo mala

Poderá gostar também de:

Poderá também gostar de:

0 comentários

E você? O que pensa sobre isso?
Os comentários anônimos estão sujeitos à moderação.