MuBE e a arte contemporânea

ESCRITO POR: sexta-feira, junho 28, 2019 , ,

Labirinto de Cruzetas - Daniel Murgel -MuBe

    Partamos do princípio de que eu não entendo 'nada' (absolutamente nada) sobre arte contemporânea e essa certeza foi reforçada ao visitar a exposição 'Construções e Geometrias' do MuBE (Museu Brasileiro da Escultura e Ecologia). Não que eu seja expert em outras categorias de artes visuais, mas quando vejo uma galinha retratada em uma obra clássica, sei que é uma galinha. O mesmo para os contornos de um outro animal qualquer, ou de uma natureza morta ou um autorretrato. Quando vejo um grafite no alto de um prédio paulistano sei avaliar se gosto ou não da combinação de cores e formas que compõem a imagem que identifico.
Construções e Geometrias - MuBE
      Já na arte contemporânea é preciso ler a descrição que acompanha a obra e, para alguém leigo como eu, é uma grande frustração ler o frequente 'Sem título' das descrições. Para exemplificar o que estou dizendo, a escultura na imagem acima é de uma galinha e eu nunca saberia disso com certeza se a obra não estivesse acompanhada do título na placa a seu lado no chão. Depois de saber disso, até começa a fazer algum sentido. No entanto, admito que em alguns casos mesmo com o título, e até a descrição, algumas peças não fazem o menor sentido para mim. Sinto-me como uma personagem do conto "A roupa nova do rei" entre outros súditos fingindo que entendem a riqueza do tecido até que uma inocente criança grite que o rei está nu. Quando visito uma exposição de arte contemporânea fico esperando pelo alento (que nunca vem) de alguém inocentemente gritando: "Isso não é arte, é só uma parede (...ou uma pedra, ...ou um galho seco)".
Construções e Geometrias - MuBE
        Ao escrever esse texto, admito que me sinto tão nua quanto o rei e pronta para ser ridicularizada por me despir de pudores e admitir que a arte contemporânea é, na maioria das vezes, incompreensível para mim. Não sei identificar quando um tijolo deixa de ser objeto de construção e passa a ser obra de arte. Por que quem arranja uns tijolos sobre os outros no pátio de um museu é artista e o Sr. José que calcula milimetricamente as peças que formam as paredes de minha casa nova é apenas um pedreiro? A impressão que fica é que 'artista' é aquele que assim se autodefine e o valor da obra é atribuído de acordo com a autoestima de seu autor e da coragem de quem paga. Vai que cola!
Construções e Geometrias - MuBE
           Não, eu não entendo a arte conceitual e não sei como as peças de uma exposição se 'conversam'. Não me ensinaram a fazer isso e não há na internet nenhum manual do tipo "Aprenda a apreciar a arte contemporânea em 10 lições". A situação fica mais complicada para mim quando o artista iniciante faz questão de ressaltar que o que faz é 'arte' e não 'artesanato' porque na maioria das vezes a galinha da feirinha hippie é mais agradável aos meus olhos que aquela do museu.
       Também não entendo as críticas negativas ao trabalho de  Romero Brito por repetir sempre o mesmo estilo, pois não enxergo estilo algum em telas preenchidas com duas ou três cores sem nuances.
Construções e Geometrias - MuBE
      Não quero dizer com isso que as obras em questão não sejam arte, já iniciei o texto esclarecendo que é uma limitação minha. 'Eu' não as compreendo e me solidarizo com os filhos e maridos que levam cutucões dentro dos museus quando corajosamente dizem a frase "Isso eu também faço!" e as palavras admiradas soam mais alto que o esperado. Mario Vargas Llosa, Prêmio Nobel de Literatura de 2010, afirmou que "Atualmente tudo pode ser arte e nada o é..." Deve ser isso, enfim!
        Porém, não desisto e recomendo que você também não desista. Continue a visitar as exposições de arte contemporânea e a tentar compreendê-las. Você não é o único a questionar sobre o que vê, nós compartilhamos da mesma dúvida. 
Jardim com esculturas do MuBE
          No caso do MuBE, um museu criado com a proposta de não ter acervo fixo, a arquitetura do prédio já é em si uma obra de arte tão integrada ao ambiente que a entrada abaixo do nível da rua pode passar despercebida. Aprecie também as esculturas espalhadas pelo jardim projetado por Burle Marx. 
           Aos domingos acontece na área externa do MuBE uma Feira de Antiguidades, das 10h às 18h, com menos expositores que a feira do vão do MASP (que também acontece aos domingos), porém, com peças de mais qualidade: porcelanas francesas, vasos de murano, tapetes persas entre outras peças.
Feira de Antiguidades do Mube

      Se a exposição em cartaz deixar seus sentidos muito desconcertados (sinal de que a arte cumpriu sua função), atravesse a rua e visite a casa-museu Fundação Ema Klabin que tem um acervo de obras clássicas de compreensão mais 'rápida'. Ao lado do MuBE fica o MIS (Museu da Imagem e do Som) onde as exposições são sempre interessantes e concorridas. Verifique a programação e faça um pacotão cultural com os três museus, em algum deles você vai se encontrar.
Feira de Antiguidades do MuBE
Serviço
MuBE - Museu Brasileiro da Escultura e Ecologia
Rua Alemanha 221, Jardim Europa - São Paulo - SP
De terça-feira a domingo, das 10h às 18h
Entrada franca
Feira de Antiguidades do MuBE
logo mala

Poderá gostar também de:

Poderá também gostar de:

0 comentários

E você? O que pensa sobre isso?
Os comentários anônimos estão sujeitos à moderação.