Fundação Ema Klabin

ESCRITO POR: domingo, julho 21, 2019

         Vai visitar o MIS (Museu da Imagem e do Som) em São Paulo? Não deixe de conhecer também a casa-museu Fundação Ema Klabin, que fica em frente:

Fundação Ema Klabin

       Ema Klabin nasceu no Brasil, mas era filha de imigrantes de origem judaica que construíram em São Paulo uma das maiores produtoras de papel e celulose do mundo na década de 1920. Foi uma amante da cultura e das artes e construiu seu acervo, além de compras em antiquários e com marchands, em suas viagens pelo mundo. Aquela lembrancinha que nós, simples mortais, trazemos do destino turístico, no caso de Ema Klabin custavam algumas centenas ou milhares de dólares em obras de arte que ela colecionava.
Fundação Ema Klabin
        O gosto pelas viagens (e o orçamento folgado) levaram Ema Klabin a cinco cruzeiros de volta ao mundo durante sua vida e a alternar temporadas de três meses no Brasil e três meses na Europa, onde a grande predileção era Paris. Em 1947, comprou a obra Ariadne, de Jean-Baptiste Greuze (acima), a primeira de muitas peças importantes que foram formando seu acervo durante quarenta anos, com grande diversidade de estilos brasileiros e europeus, ultrapassando 1500 peças em sua coleção que inclui pinturas, esculturas, livros raros, móveis, louças, gravuras e objetos arqueológicos.
Fundação Ema Klabin
         Para abrigar a coleção que ganhava volume e melhor receber nas festas e jantares para a sociedade paulista, no início de 1950, Ema começou a buscar por projetos para uma casa nova que atendesse a seu gosto refinado e às demandas de sua vida social. Vários projetos foram analisados e a predileção foi pelo estilo eclético do engenheiro-arquiteto Alfredo Ernesto Becker com inspiração no Palácio de Sanssouci, na Alemanha.  Cada rico detalhe da construção foi escolhido e acompanhado por Ema Klabin e a grandiosa construção, que já recebeu políticos, artistas e personalidades da sociedade paulistana em seus ricos jantares, foi inaugurada em 1961. Os jardins foram projetados por Burle Marx.
Fundação Ema Klabin
         Cada nova peça adquirida ganhava um lugar eleito por Ema na decoração da casa que preserva em seus cômodos a mesma disposição de móveis e objetos escolhida por sua antiga proprietária que viveu nessa casa 33, de seus 87 anos de vida.
      Como não tinha herdeiros diretos, Ema decidiu criar uma fundação para transformar sua casa e suas obras de arte em um museu aberto ao público após sua morte. A Fundação Ema Klabin foi criada em 1978, 16 anos antes de seu falecimento (1994), e a casa foi aberta à visitação em 2007.
Fundação Ema Klabin
         Além de preservar e divulgar o acervo de Ema Klabin, cuja família foi doadora do terreno para a construção do Hospital Albert Einstein, a Fundação tem intensa programação cultural com exposições, cursos, oficinas, apresentações musicais, palestras e outras opções, geralmente gratuitas. Consulte o site da Fundação e conheça a programação; na área de download o site está disponível também o caderno de receitas de Ema Klabin para inspirar seus próximos jantares.
Fundação Ema Klabin
           A visita é uma deliciosa volta ao passado. Não se trata de uma mansão, não é uma casa de dimensões exageradas, mas de uma grandiosidade de detalhes incomparável. A disposição dos cômodos não permite uma visitação muito linear, então a dica é começar pelo hall de entrada e assistir ao vídeo de 12 minutos sobre a história de Ema e da construção da casa da Rua Portugal, depois visite a galeria em formato de semi-círculo e os cômodos em suas extremidades. Não deixe de conhecer os jardins e o espaço onde atualmente são realizados os eventos culturais. E o mais importante: não tenha pressa. Aprecie sem moderação.
Fundação Ema Klabin

Serviço
Site: Fundação Ema Klabin
EndereçoRua Portugal, 43 – Jardim Europa - São Paulo – SP
Horários: quarta à sexta, das 14h às 17h (R$10 / R$5)
                 sábados e domingos 14h às 17h (gratuito)
Visitas em grupos devem ser agendadas previamente.

Fundação Ema Klabin
logo mala


Poderá gostar também de:

Poderá também gostar de:

0 comentários

E você? O que pensa sobre isso?
Os comentários anônimos estão sujeitos à moderação.